Como Crescer em Santidade

SÉRIE DE MENSAGENS | “CRESCENDO EM SANTIDADE” | 01/04
COMO CRESCER EM SANTIDADE
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
“Quanto ao mais, irmãos, já os instruímos acerca de como viver a fim de agradar a Deus e, de fato, assim vocês estão procedendo. Agora lhes pedimos e exortamos no Senhor Jesus que cresçam nisso cada vez mais. Pois vocês conhecem os mandamentos que lhes demos pela autoridade do Senhor Jesus. A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o próprio corpo de maneira santa e honrosa, não com a paixão de desejo desenfreado, como os pagãos que desconhecem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique a seu irmão nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já lhes dissemos e asseguramos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade. Portanto, aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus, que lhes dá o seu Espírito Santo. (1ª Tessalonicenses 4.1-8)
O apóstolo Paulo, nessa carta à igreja de Tessalônica, reafirma a necessidade de crescer cada vez mais em santidade, abandonando tudo o que desonre a Deus, deixando de agir como se não fossem resgatados pela cruz. Para falar de crescimento em santidade, precisa estar bem definido que só é possível esse tipo de crescimento depois de crer em Jesus e aceitar o plano de rendição de Deus através da cruz. A cruz de Jesus é a vergonha de toda humanidade, porque expôs o próprio Deus à vergonha quer era minha e sua.
Lembro-me de que, quando era pequena, me atemorizava com a possibilidade de ter meus erros expostos como um filme e que todos vissem. Apesar de ser um terrorismo religioso, imaginar que foi isso que a cruz revelou, deve nos levar a rendição a Cristo e receber dele uma nova vida, que precisa ser vivida na perspectiva da redenção, pois a santidade é fruto do que nos tornamos em Cristo.
Nesse ano, teremos o foco no crescimento, e não haveria tema melhor para começarmos esse processo do que a santidade, afinal somos filhos de um Deus Santo e que deseja que também sejamos santos, isto é, separados e puros da estrutura que já é contaminada pelo diabo, porque Jesus resgatou o plano original do Pai. Em Cristo somos santificados e Nele devemos crescer em santidade. Hoje veremos como podemos, nesse processo de transformação, crescer em santidade.
Crescemos em santidade quando…
1. CONFESSAMOS os nossos PECADOS
“Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” (1ª João 1.7-9)
Recebemos a graça de sermos perdoados dos nossos pecados e temos comunhão com o Pai, mas ainda pecamos, por isso a necessidade da confissão e novamente sermos purificados e autorizados para o livre acesso ao Pai. Não desejamos o pecado, mas pecamos ascendentemente. A única coisa que nos separa de Deus é o pecado. Jesus já pagou nossa dívida e, todas as vezes que contraímos novamente, precisamos confessar para que venhamos a ser perdoados e tenhamos comunhão com o Pai do céu e com as pessoas.
Confissão está além de pedir perdão. A confissão precisa ser específica, precisa haver arrependimento, precisa ser abandonado e não há espaços para a racionalidade do erro. A confissão de pecados a Deus resulta em perdão e purificação; a confissão a irmãos, traz cura. Não podemos tolerar aquilo que nosso Pai, odeia. O amor Dele por nós deve ser o motivo de confessarmos pecados e mantermos diariamente a comunhão com Ele. Agora somos da luz, que não se ache em nós trevas algumas. A confissão é o meio de sempre estarmos limpos.
Quando pecamos, naturalmente nos afastamos de Deus. Foi assim com Adão e Eva. Eles se esconderam de Deus, mas Deus os procurava. Assim é conosco também. Pecamos e nos afastamos por medo, por vergonha, mas, em Jesus, podemos confessar e voltar a nos relacionar. É através dele que chegamos a presença sem sermos mortos. Ao confessar os pecados, Jesus nos coloca na possibilidade de entrar no lugar onde a impureza é intolerável.

“Entristecemos o coração de Deus quando ao tropeçar corremos Dele e não para Ele. Falsos, metidos e impostores.”

Quem decide por confissão, é uma pessoa que confia inteiramente na graça. Quem ainda tenta se esconder é porque ainda tem deixado os pensamentos de orfandade dominar. É hora de crescer e decidir receber imediatamente a graça do perdão de Deus que quer se relacionar conosco e que, porque é amor, decide sempre liberar perdão e manter nossas posições de filhos amados. Jesus veio para que a separação do homem e Deus fosse abolida. Para isso, o caminho é rendição e confissão constante. A religião faz listas de pecados e de maneiras de nos livrarmos deles, mas Cristo rasga todas elas e caminha conosco sendo nosso referencial, perdoando cada confissão para prosseguirmos na caminhada da vida nova. A confissão nos faz crescer em santidade, pois, quanto mais arrependidos e confessores, mais honramos a Deus e seus propósitos em nós.
Crescemos em santidade quando…
2. BUSCAMOS pelo SENHOR continuamente
“Olhem para o Senhor e para a sua força; busquem sempre a sua face.” (1º Crônicas 16.11)
Se você deseja crescer em santidade, precisar ter como alvo a busca contínua do Pai. Enquanto nossa busca se resumir somente às celebrações coletivas, muito mais como ritual do que um prazer do que se vive diariamente, cresceremos em religiosidade e nunca em santidade. Aquele que busca ao Senhor deseja ser como Ele, deseja conhecê-lo cada vez mais porque o ama, deseja cada vez mais morrer para o seu “eu” e viver refletindo a sua imagem.
Um dos dilemas da nossa época está em um tempo em que somos incentivados a fazer tudo baseado em nosso “eu” e sua satisfação. E como resultado dessa busca, nunca se viu tanta doença física, emocional e relacional. Nossa busca não deve ser por nós, deve ser por quem fomos criados e seus propósitos, que estão alem de nós, estão somente Nele. Existimos por causa Dele, devemos vier para revelá-lo. Somos tentados diariamente em nos distrairmos e ouvirmos a velha mentira de Satanás: não é bem assim. Tudo que Deus revelou, falou e ensinou ao homem, o diabo vem e diz: não é bem assim, e, infelizmente muitos filhos amados como Adão e Eva, estão caindo nessa armadilha.
Quando entendemos que buscar a Deus, significa encontrar o sentido da nossa existência, estaremos conectados com Ele e desfrutaremos de sua presença. Orar, meditar na Palavra, fazer jejum, amar como Cristo amou, não será um peso, será um alvo. Essas práticas não serão para nossa autoafirmarção e nem para nossa autopromoção, mas será por causa de uma necessidade vital de crescimento na nova vida que recebemos.
É no contato com o Pai que descobriremos quem somos, quem Ele é e as ferramentas para nossa missão. Ouvi há poucos dias que quando Deus cria os bebês Ele coloca dentro de cada um deles uma solução para o caos do mundo, uma semente de compaixão. Eu creio que cada vida gerada em Jesus, recebe uma missão para convidar, apontar e anunciar o Reino de Deus na terra. Não há crescimento em santidade sem secreto com o Pai e das disciplinas espirituais. Fora disso serão só rituais religiosos, que nos levarão para um contato com um “deus” inventado por nós, do que o contato com o Deus-Pai.
O que tem impedido você de buscá-lo? Por mais que as respostas sejam variadas, só há uma raiz: estamos nos distraindo conosco mesmos, achando um atalho para conseguirmos coisas em vez de buscar crescer na nova identidade que ganhamos. Não se iluda, não busque o Senhor pelas bênçãos que outros podem dar a você. Busque, porque sem Ele você não existe e nem se move com sentido, passa a vida toda correndo atrás do vento, se perdendo nas distrações que satisfazem o ego, mas que no fim não produz satisfação e nem abundância.

“O seu novo eu só surgirá não quando o procurar; surgirá quando o objeto de sua procura e busca for Ele” (C.S. Lewis)

Se o seu motivo de crescer em santidade, de busca, tiver relação com Deus e não com seu desempenho, de repente você verá Cristo em você mesmo e os que convivem com você também.
Crescemos em santidade quando…
3. Tendo ATITUDES DIFERENTES do MUNDO
“Quanto ao mais, irmãos, já os instruímos acerca de como viver a fim de agradar a Deus e, de fato, assim vocês estão procedendo. Agora lhes pedimos e exortamos no Senhor Jesus que cresçam nisso cada vez mais.” (1ª tessalonicenses 4.1)

“Você foi criado para um fim específico e não pode ser misturado com qualquer coisa que não esteja em sintonia com o céu.” (Céus Abertos)

Há pouco tempo uma nova lei de trânsito entrou em circulação: usar farol baixo de dia nas rodovias. Com isso, toda vez que eu saio da minha casa e entro em uma rodovia e me deparo com um farol ligado, imediatamente eu verifico se eu liguei o meu. Assim quando crescemos em santidade. Somos como um farol que ilumina aqueles que estão na escuridão, mas que também inspira outros a ligarem seus faróis. Somo faróis quando as nossas atitudes revelam o Pai e trazem para os nossos ambientes terrenos o ambiente do céu, que é o anúncio de como será o governo por toda a eternidade.
Precisamos sempre nos perguntar por que somos o que somos e por que fazemos o que fazemos. Em Cristo vivemos para honrar Deus e adorá-lo. Não podemos mais profanar, tornar comum algo que Deus já tornou especial. Não podemos agir ao ponto de trazer vergonha ao nome Dele depois que Ele limpou o nosso.
Pense como ensinaríamos uma pessoa que nunca conheceu o valor do sal na alimentação. A melhor maneira seria dando a ela uma prova de uma comida com ou sem sal. Ela entenderia que a comida ficou muito mais saborosa do que a qual estava acostumada a comer sem o sal. Assim Jesus falou que seríamos nós: sal na sociedade. Seríamos aqueles que mostraríamos como a vida foi feita para ser vivida, mas se não fizéssemos isso, para nada prestaríamos. Só quem cresce em santidade, tem para sociedade um parâmetro diferencial para mostrar e fazer com que ela deseje também desfrutar. Por isso quem cresce em santidade, demonstra diferença no mundo.
Não há mais espaço para usarmos os nossos corpos como bem quisermos como o mundo faz. Não há espaço para glutonaria, bulimia, anorexia, sexos ilícitos, pornografia, porque precisamos mostrar ao mundo através do nosso corpo que somos agora templos ambulantes da presença de Deus. Não há mais espaço para deixarmos que nossas dores e frustrações se desenvolvam em doenças crônicas emocionais que nos paralisam, não há mais espaço para divórcios, pois sabemos porque casamos e formamos uma família. Enfim, nosso Deus já deu o propósito para vivermos, não há mais espaço para religiosidade, que mais promove o homem do que a Deus, não há mais espaço para ódios, guerras em nossos relacionamentos pessoais, porque Jesus nos deu um novo mandamento: amem como eu vos amei. Crescer em santidade é crescer em agir em santidade.
Estamos em um caos nacional e mundial e somos nós que devemos colocá-los em ordem. Somos nós que devemos mostrar, não através de discursos e sim de obras, como se administra, educa filhos, mantém casamentos, se administra recursos, se lida com as perdas e frustrações. É em nós que eles vão buscar soluções, porque verão em nós ações diferentes que eles estão tendo. C. S. Lewis em seu livro “Cristianismo Puro”, diz a seguinte frase: “Nós nunca seremos relevantes porque espalhamos a cultura no mundo em nossa volta. Somos relevantes quando nos tornamos aquilo pelo que o mundo anseia.”.
O mundo anseia por amor, cuidado, respeito, bondade e por Deus, e nós temos o que eles precisam através da pessoa de Jesus e do Espírito Santo que está em nós. Jesus em todos os seus atos expressou seu Pai para toda a humanidade e Ele nos comissionou a fazer o mesmo. Bill Johnson no Livro “A Presença” diz: “Nós fomos escolhidos para carregar a presença de Deus”. Que responsabilidade, que maravilha! Mas se Deus nos escolheu porque Ele o fez possível, só precisamos decidir a quem realmente estamos servindo e querendo honrar. Que tudo o que venhamos a fazer aponte para Deus e não para nós. Devemos ser honrados porque honramos ao Senhor. Se você faz história com Deus, Deus fará história através de você. Cresça em santidade a tal ponto que Cristo cresça e seja visto em você.
Conclusão:
É tempo de chorarmos pelos nossos pecados e depois desfrutarmos da alegria do Senhor que será nossa força. É tempo de buscarmos mais o Senhor, por causa do tempo que ficamos separados do que por nossos pedidos insaciáveis. É tempo de servos vistos mais como sinalizadores do que religiosos barulhentos. É tempo de crescer em santidade: confessando pecados, buscando diariamente ao Senhor e mostrando a diferença ao mundo através de nossas ações.

 

Rolar para o topo