Como se Defender das Tentações? (06/11/2014 – quinta)

SÉRIE: VENCENDO AS TENTAÇÕES – 02/04
COMO SE DEFENDER DAS TENTAÇÕES?
mensagem pregada pelo Pr. Vicente Bomfim
A série VENCENDO AS TENTAÇÕES vai nos ajudar a compreender melhor como somos tentados a pecar e como podemos proteger nossa mente, corpo e coração para não pecar contra Deus. Durante esse mês vamos nos capacitar um pouco mais para vencermos a guerra contra as tentações e o pecado. Vamos analisar alguns conceitos sobre tentações:

  • A tentação é inevitável.
  • A tentação é previsível.
  • A solução contra a tentação é a satisfação plena em Jesus.
  • As disciplinas espirituais ajudam a vencer as tentações.

Recapitulando o que foi dito na última mensagem, a tentação sempre tem três origens: 1) nossa carne (concupiscências – desejos); 2) o mundo (sistema controlado pelo Mal – pessoas, instituições, mídia, etc.) e 3) o Diabo e seus anjos.
Nunca somos tentados além do que podemos suportar. Quem é tentado muitas vezes tenta justificar seus atos colocando culpa nos outros, julgando-se merecedor de alguma recompensa, diminuindo o tamanho do pecado, etc. As tentações não começam pesadas. O Diabo vai agindo aos poucos. O segredo é se afastar logo no início. Os métodos de Satanás não mudaram desde a primeira tentação no Jardim do Éden. Conhecer esses métodos nos ajudará a vencer as tentações. É possível vencer a tentação. Deus nos capacita para vencer as tentações. Após a tentação vêm as bênçãos de Deus.
Sendo assim, vamos analisar a tentação de Jesus para extrair dela as orientações sobre como vencer as tentações.
Texto Bíblico: Mateus 4.1-11
Quero analisar com você as três faces da tentação e depois veremos como podemos nos defender delas.
Quais são as três faces da tentação?
1ª FACE

  • O diabo vai atacar a sua IDENTIDADE e o seu DESEJO de extrair SATISFAÇÃO fora de Deus

O tentador aproximou-se dele e disse: “Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.” (V. 3)
A questão maior aqui não foi à fome, a necessidade material, mas sim a identidade de Filho de Deus. Jesus tinha acabado de ouvir do Pai que ele era o filho amado. (Mateus 3.16-17)
Quando passamos por necessidades, dores e carências, temos a tendência de esquecer quem somos: filhos amados de Deus. Passar por problemas, dores e carências não é prova de que Deus não lhe ama. Deus sempre ama. É impossível Deus não amar seus filhos. A dificuldade que vivemos pode ser limpeza de Deus, poda de Deus ou permissão de Deus para mostrar sua própria glória. Sem clareza quanto a essa identidade com o Pai, somos tentados a extrair satisfação em nós mesmos, em outras pessoas ou em coisas.
2ª FACE

  • O diabo vai USAR o seu DESEJO de ser Deus e CONTROLAR as forças espirituais

“Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: Se és o Filho de Deus, joga-te daqui para baixo. Pois está escrito: Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra.” (v. 5-6)
Jesus foi tentado a fazer um milagre para sua própria autopromoção. A tentação aqui é tentar manipular as forças espirituais em proveito próprio. Tudo foi criado para a glória de Deus. Nenhum milagre acontece sem objetivo ou propósito. A origem desta tentação é o desejo de ser Deus, ou seja, controlar o universo e as outras pessoas.
3ª FACE

  • O diabo vai ESTIMULAR seus DESEJOS CARNAIS

“Depois, o Diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E lhe disse: Tudo isto te darei, se te prostrares e me adorares.” (v. 8-9)
Somos sempre tentados pelas coisas materiais. Pelos recursos e prazeres da carne. Mas nem sempre o que se quer é pecaminoso; às vezes vem combinado com desejos aparentemente legítimos. Ao contrário do que possa parecer, a tentação de Jesus aqui não foi o desejo de possuir. Foi antes a possibilidade de construir o seu Reino de Justiça e paz por forças humanas. A tentação aqui é tentar manipular as forças espirituais em proveito próprio. Quase sempre a tentação vem com um bonito rótulo.
Depois disto, como podemos nos defender das tentações? Quais são as três defesas contra a tentação?
1ª DEFESA | Apegue-se à VERDADE da palavra de Deus
“Jesus respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” (v.4)
Jesus não se prendeu às suas necessidades pessoais. Jesus não se justificou, não ficou com pena de si próprio, não ficou com raiva de Deus. Jesus se apegou à palavra e às promessas de Deus. Para Jesus, as necessidades físicas, emocionais e até mesmo espirituais estavam condicionadas à autoridade da Palavra de Deus. Nossa identidade não depende das outras pessoas. Depende do que Deus fala sobre nós. Nossa busca por sentido e significado somente são satisfeitas na verdade revelada da Palavra de Deus. Jesus é a expressão do Deus invisível. É através do Filho que a nossa comunhão com Deus se aperfeiçoa. Ele é a Palavra Revelada. Nossa alegria e satisfação somente se completam no Logos, o Verbo de Deus, na Palavra encarnada.
2ª DEFESA | Seja totalmente DEPENDENTE de Deus
Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus.” (v. 7)
Seja uma pessoa completamente dependente de Deus. Ser dependente de Deus é: Reconhecer nossa incapacidade e buscar solução. Reconhecer nossa fraqueza e pedir ajuda. Reconhecer nossas dores e buscar cura. Reconhecer as áreas que somos tentados e buscar a solução em Deus.
3ª DEFESA – Coloque Deus no CENTRO de sua vida
Jesus lhe disse: “Retire-se, Satanás! Pois está escrito: Adore o Senhor, o seu Deus, e só a ele preste culto.” (v. 10)
Não aceite outra coisa a não ser a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Agir de outra forma é adorar Satanás. Não se curve às facilidades e oportunidades dadas por Satanás. Não ceda às pequenas tentações que o afastam da vontade de Deus.

  • Coloque Deus como o alvo de sua família.
  • Coloque Deus como o alvo de sua carreira ou empresa.
  • Coloque Deus como o centro de suas emoções.
  • Coloque Deus como o centro de seu ministério.
  • Coloque Deus como o centro de suas finanças.
  • Coloque Deus como o centro de seu tempo.
  • Coloque Deus como o centro de seus talentos.

Conclusão:
Você pode vence as tentações. A maior arma contra os ataques do diabo é a adoração.

  • Adoração é relacionamento com Deus.
  • Adoração é SER o que Deus criou você para ser.
  • Adoração é FAZER o que Deus deseja que você faça.
  • Adoração é ESTAR onde Deus quer que você esteja.
  • Adoração é RENDIÇÃO – declarar sua insuficiência.
  • Adoração é ENTREGA – entrega incondicional.

Vença a tentação. Adore.

 

Rolar para o topo