Cultivando uma Vida de Oração (16/11/2014 – manhã)

CULTIVANDO UMA VIDA DE ORAÇÃO
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“Quando Daniel soube que o rei tinha assinado a ordem, voltou para casa. No andar de cima havia um quarto com janelas que davam para Jerusalém. Daniel abriu as janelas, ajoelhou-se e orou, dando graças ao seu Deus. Ele costumava fazer isso três vezes por dia.” (Daniel 6:10)
Como um cristão, o que é que você tem cultivado na sua vida? Qual tem sido a sua lavoura do seu dia-a-dia? O que você tem plantado, cuidado e esperado colher? Infelizmente, há muitos cristãos que tem cultivado o ódio, o rancor, a amargura, a mentira, o orgulho, e, ainda assim, querem esperar grandes coisas da parte de Deus.
Tenho aprendido que as batalhas espirituais só podem ser vencidas quando estamos munidos das disciplinas espirituais, que são a força e o poder de todo cristão. Sem a prática dessas disciplinas tornamo-nos presas fáceis nas mãos do inimigo, deixamos brechas abertas em nossas vidas para a sua ação destruidora.
Abrimos mão da prática dessas disciplinas por qualquer coisa: dormir um pouco mais, viajar, participar de festas, jogar um futebol e outras coisas mais. É claro que você pode fazer tudo isso e, mesmo assim, não deixar de lado aquilo que alimenta, fortalece e o prepara para vencer os grandes desafios da vida!
 
Daniel é o exemplo que nos inspira nesta manhã! Mesmo em terra estranha, longe de casa, da sua família, do seu povo, debaixo de um decreto de morte, ele permaneceu fiel às suas disciplinas espirituais. Ele não abriu mão do seu tempo de oração por causa da ameaça de ser jogado na cova dos leões. Ele não abriu mão da oração mesmo quando sua vida estava em jogo!
Deus fez de Daniel um vitorioso! Suas batalhas foram grandes, mas ele tinha a certeza de que seu Deus era muito maior do que qualquer intimidação do adversário. Daniel apenas colheu o que havia cultivado. Cultivou uma vida de oração e colheu uma vida vitoriosa. Então, quais são as lições que Daniel nos ensina nesta manhã?
Preciso cultivar uma vida de oração…
1. Porque sei das CRISES que me cercam
“Quando Daniel soube que o rei tinha assinado a ordem,…”
Daniel não ficou alienado. Ele sabia perfeitamente da crise que havia se instalado em sua vida. Ele tinha ciência do que acontecia ao seu redor. Daniel tinha necessidade de orar porque ele entendia perfeitamente que, somente através a oração, ele poderia vencer as crises da vida. Não era a primeira e nem a última crise que ele enfrentaria, mas a arma infalível usada para vencê-la continuou sendo a mesma: a oração!
Quais são as crises que nos cercam neste tempo? O que tem tentado nos impedir de avançar, de prosseguir? Se temos conhecimento das crises que estão ao nosso redor, não nos resta outra opção senão buscarmos o poder que vem do alto através da oração. Não adianta ficarmos alienados, desesperados, inseguros e preocupados. Se conhecemos a crise que nos cerca, precisamos continuar orando e Deus nos tornará um povo vitorioso!
Preciso cultivar uma vida de oração…
2. Para manter as JANELAS do coração sempre ABERTAS
“… Voltou para casa. No andar de cima havia um quarto com janelas que davam para Jerusalém. Daniel abriu as janelas…”
O que me chama a atenção nesta parte do verso não é o fato de Daniel ter voltado para sua casa quando soube da ordem do rei, mas o fato dele ter aberto as janelas do seu quarto, que davam para Jerusalém. As janelas do quarto de Daniel apontavam para Jerusalém. Era a sua terra, seu povo, onde ele aprendera a respeito do Deus a quem ele servia.
Jerusalém aponta para sua terra, seu povo, seu Deus, aponta para o alto. Babilônia aponta para o cativeiro, povo estranho, deuses estranhos, aponta para baixo. Daniel estava fisicamente na Babilônia, mas sua vida estava sempre apontada para Jerusalém, para o seu Deus, o seu Senhor, o seu Salvador.
Para que lado as janelas do seu coração estão abertas? Jerusalém ou Babilônia? Para a vida ou para a morte? Para a proteção ou para a destruição? No meio de uma batalha espiritual não podemos ficar olhando para Babilônia, precisamos continuar olhando para Jerusalém. De lá virá o nosso socorro, de lá virá a nossa salvação, de lá virá a nossa vitória. O cultivo de uma vida de oração é a janela do nosso coração aberta para o Todo-Poderoso. Ainda que haja uma ordem de morte contra nós, nada será capaz de fechar a janela do coração aberta para Deus através da oração.
Preciso cultivar uma vida de oração…
3. Para desfrutar de uma perfeita INTIMIDADE com o Senhor
“…Daniel abriu as janelas, ajoelhou-se e orou, dando graças ao seu Deus…”
Somente alguém que não era capaz de abrir mão da perfeita intimidade com o seu Deus poderia, em um momento crucial da vida, ajoelhar-se, orar e agradecer. Oração gera intimidade com Deus! Quanto mais oramos, mas nos tornamos íntimos de Deus, mais conhecemos o Deus a quem servimos, mais nos identificamos com Ele.
Quanto mais conhecemos desse Deus através da oração, mas temos a certeza de que Ele estará conosco em cada batalha, em cada empreitada, em cada desafio que chegar! Quando estamos em perfeita intimidade com o Senhor através da oração, a maior tragédia não será capaz de destruir essa ligação viva, eficaz e constante.
Será que nós conhecemos de verdade o Deus a quem servimos? Será que temos intimidade com o Senhor o suficiente para ficarmos tranquilos diante das batalhas que nos cercam? Só há uma maneira de desfrutarmos uma perfeita comunhão com o Senhor: passando tempo com ele, conversando com ele e aprendendo com ele. Nenhum decreto de morte é maior do que a experiência de alguém que desfruta de uma perfeita intimidade com Deus! Vale a pena tornar-se íntimo do Senhor!
Preciso cultivar uma vida de oração…
4. Para que ela se torne um HÁBITO CONTÍNUO em minha vida
“… Ele costumava fazer isso três vezes por dia.”
A oração era um hábito contínuo de Daniel. Mas tudo começou quando ele plantou e cultivou essa semente. O resultado não poderia ser outro: vida contínua de oração. As crises não mudaram o seu cotidiano de vida com Deus. Os ventos contrários não foram capazes de desmontar o hábito do homem reto, íntegro e fiel ao seu Deus.
Quando cultivamos uma vida de oração o resultado sempre será o hábito contínuo, sem barreiras, sem obstáculos, sem interrupções. Nada e nem ninguém serão capazes de destruir essa ligação direta com o Senhor. A Babilônia deixou de ser um empecilho na vida de Daniel para torná-lo ainda mais fiel e dedicado ao Senhor. As adversidades fizeram de Daniel um homem identificado, entrelaçado e marcado com a oração. Sua vida era misturada à oração! Não era simplesmente a quantidade de vezes em que Daniel orava, mas era a vida que ele levava porque estava completamente tomado pelo poder do alto. A oração era a sua vida, a sua vida era a oração!
A oração não era só um hábito de Daniel, mas era a vida de Daniel. O segredo é tornar o hábito indispensável, é saber que sem ele eu não sou capaz de vencer as lutas desta vida! Quando cultivo uma vida de oração sincera, o resultado é que a oração se tornará um hábito. Se esse hábito se tornar indispensável, a oração se tornará a minha própria vida!
Conclusão:
Estamos na Babilônia, mas não pertencemos à Babilônia. Porém, aqui é o lugar onde temos travado grandes batalhas espirituais, e esse panorama não vai mudar. Quem precisa mudar somos nós! Se até hoje não temos sido cristãos preparados para enfrentar o inimigo que nos cerca, Deus está nos alertando nesta manhã.
Deus está nos convidando para investirmos um tempo especial com ele. Ele deseja mexer com a nossa vida, transformar o nosso caráter e preparar-nos para um momento jamais vivido por esta igreja! Ele nos chama para cultivar uma vida de oração!
Preciso cultivar uma vida de oração…

  1. Porque sei das CRISES que me cercam
  2. Para manter as JANELAS do coração sempre ABERTAS
  3. Para desfrutar de uma perfeita INTIMIDADE com o Senhor
  4. Para que ela se torne um HÁBITO CONTÍNUO em minha vida

Rolar para o topo