Defendendo a Minha Família dos Ataques do Mal

MÊS DA FAMÍLIA – EU AMO MINHA FAMÍLIA
DEFENDENDO A MINHA FAMÍLIA DOS ATAQUES DO MAL | 03/07
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
Desde que o mundo foi criado por Deus há ataques contra as criações de Deus. Antes mesmo de Deus criar o homem, Ele já sabia que seu inimigo número um tentaria e conseguiria desvirtuar sua obra-prima da criação por um período temporário ao lado dele. No Gênesis somos informados o dia que Satanás se camuflou e conseguiu atacar a primeira família da criação: Adão e Eva; e, a partir, daí nunca mais parou. Todos os ataques que nossas famílias sofrem podem vir camuflados de gigantes, mas quem está pro detrás deles, é o inimigo de Deus: Satanás. No texto que estudaremos nos ajudará a defender nossas famílias dos ataques do mal. Inicia-se com um gigante que dia e noite desafiava, debochava e amedrontava o povo de Deus em uma de suas batalhas.
No século XXI e na sua família, constantemente surgem gigantes também com esse intuito. Eles podem surgir como: os pais, os filhos, os irmãos que parecem estar tão longe de Jesus, aquela enfermidade que parece que não vai passar; aquela dívida que parece que nunca vai ser paga; aquela conta impossível de receber, as pessoas da cidade que parecem que nunca vão se converter, a perseguição de alguém que um dia já foi querido, um casamento que parece perdido, um familiar perdido nas drogas. Às vezes nos achamos pequenos demais para enfrentarmos os gigantescos problemas que surgem à nossa frente e ficamos sem saber o que fazer. Aí vem o sentimento de derrota, frustração, desânimo e medo.
Nesta noite aprenderemos com o Rei Davi como defender nossa família desses ataques do mal, camuflados de gigantes.
Para defender a sua família dos ataques do mal…
1. Desenvolva a virtude da OBEDIÊNCIA
“Um dia Jessé disse a Davi: pegue dez quilos de trigo torrado e estes dez pães e vá depressa levar para seus irmãos no acampamento. Leve também estes dez queijos ao comandante. Veja como os seus irmãos estão passando e traga uma prova de que você os viu e de que eles estão bem. O seus irmãos, o rei Saul e todos os outros soldados israelitas estão no vale do Carvalho, lutando contra os filisteus. Na manhã seguinte Davi se levantou cedo, deixou alguém encarregado das ovelhas, pegou os mantimentos e foi, como Jessé havia mandado…” (1º Samuel 17.17-20a)
Quando estudamos a vida de Davi, salta os nossos olhos a disposição em obedecer que desde pequeno demonstrava. Quando Samuel foi para ungi-lo rei, logo que foi chamado para deixar seu trabalho e ir para casa, foi nesse texto seu pai lhe dá uma tarefa e ele imediatamente obedece. No seu relacionamento com Saul, apesar de demonstrar para com ele um desejo de matá-lo, obedecia a suas ordens. Davi entendia que o princípio da obediência o levaria sempre as vitórias nas batalhas.
Precisamos aprender com ele esse principio se quisermos defender nossa família dos ataques do mal. Quando satanás se camufla para nos fazer ir contra os planos de Deus, ele sempre tenta e nos leva a relativizarmos, revoltarmos ou desprezarmos as ordens de Deus e das pessoas que Ele colocou como autoridade.
Com Eva, ele fez com que ela duvidasse do plano de Deus. Com Caim fez com que ele eliminasse quem foi obediente a Deus. Com os irmãos de José, ele fez com que agisse por inveja. Com Moisés, fez com que ele perdesse a paciência. Com o povo de Israel, fez com que ele duvidasse da provisão. Com os fariseus, ele com que eles não enxergassem a verdade e todas essas atitudes levaram a desobediência de uma ordem que foi dada para adorarmos a Deus e abençoarmos nosso próximo.
Somos uma geração tão egocêntrica, que tudo que não me satisfaz ou não é do me jeito, eu decido não obedecer. Muito difícil vermos pessoas dispostas a obedecer, a se submeter a uma autoridade. Maridos não se submetem a Cristo, esposas não se submetem aos maridos, filhos não se submetem aos pais, liderados não submetem aos seus líderes.
O fato de pensarmos não nos dá o direito de agirmos como queremos. Estamos sempre sob a liderança de alguém e devemos nos submeter. Por causa da nossa dificuldade nesse princípio, toda nossa família fica vulnerável aos ataques dos gigantes. Maridos, esposas e filhos que não assumem seu papel e nem se submetem, trazem desproteção à sua família.
Se nossos filhos têm dificuldade de obedecer a uma simples regra de não mexer no celular por um período, imagina obedecer as regras que precisam de fé para realizá-la. Entretanto, a família que escolher desenvolver a obediência não será poupada de gigantes, mas os vencerá, um a um.
Para defender a sua família dos ataques do mal…
2. Esteja ATENTO ao AMBIENTE onde sua família está
“Davi deixou as coisas com o oficial encarregado da bagagem e correu para a frente de batalha. Chegou perto dos seus irmãos e perguntou se estavam bem. Enquanto Davi estava falando com eles, Golias avançou e desafiou os israelitas, como já havia feito antes. E Davi escutou. Quando os israelitas viram Golias, fugiram apavorados. Eles diziam: olhem para ele! Escutem o seu desafio! Quem matar esse filisteu receberá uma grande recompensa: o rei lhe dará muitas riquezas, lhe dará sua filha em casamento, e a família do seu pai nunca mais vai ter de pagar nenhum imposto. Então Davi perguntou aos soldados que estavam perto dele: o que ganhará o homem que matar esses filisteu e livrar Israel dessa vergonha? Afinal de contas, quem é esse filisteu pagão para desafiar o exército do Deus vivo? Aí eles lhe contaram o que ganharia quem matasse Golias. Eliabe, o irmão mais velho de Davi, ouviu-o conversando com os soldados. Então ficou zangado e disse: o que é que você está fazendo aqui? Quem é que está tomando conta das suas ovelhas no deserto? Seu convencido! Você veio aqui só para ver a batalha! O que foi que fiz agora? – perguntou Davi. Será que não posso nem fazer uma pergunta? Então Davi fez a mesma pergunta a outro soldado. E ouviu a mesma resposta.” (1º Samuel 17.22-30)
Davi obedeceu a ordem do seu pai e observou o que estava acontecendo no ambiente em que os seus irmãos estavam. Davi queria entender o que estava acontecendo naquele ambiente. Davi enquanto não foi respondido e, certo do que estava acontecendo, não sossegou. Seus irmãos não gostaram da intromissão, mas ele foi com essa missão de mandar mantimentos e saber como eles estavam na batalha.
Essa situação vivida por Davi e sua família nos lembra, também, de nossas situações familiares. Estamos em um campo minado, bombardeados com mídia, referências totalmente distorcidas das quais cremos e muitas das vezes somos nós os comissionados para trazer notícias de como os nossos familiares estão. Com uma observação, muitos de nós estamos até no mesmo ambiente, mas não nos importamos em saber como os outros estão.
Se quisermos defender nossa família dos ataques do mal, deveremos ter um olhar atento sobre as batalhas enfrentadas por nossos familiares. Olhares atentos às redes sociais e suas publicações, indagações a amigos próximos, a líderes que convivem mais próximos deles. Não podemos ser da mesma família e não percebermos como estão os nossos próximos.
Não é à toa que somos surpreendidos com adolescentes se suicidando e que os pais não perceberam algo de errado, maridos tendo casos extraconjugais e esposas desavisadas não conseguindo enxergar, esposas tendo várias dificuldades emocionais, seus travesseiros molhados de lágrimas e o marido e filhos não se apercebem até que o corpo grita através de doenças psicossomáticas.
Quer defender sua família dos ataques do mal? Esteja no ambiente, mas antenado. Cada frase, cada olhar, cada comentário, cada postagem são pistas de que algo não anda muito bem. Assim como os irmãos de Davi, nossos familiares podem tentar esconder de nós, ou se incomodar com nossa intromissão, mas insista para compreender as batalhas familiares instaladas.
Para defender a sua família dos ataques do mal…
3. Tenha EXPERIÊNCIAS espirituais INDIVIDUAIS
“Davi chegou e disse a Saul: meu Senhor, ninguém deve ficar com medo desse filisteu! Eu vou lutar contra ele. Mas Saul respondeu: você não pode lutar contra esse filisteu. Você não passa de um rapazinho, e ele tem sido soldado a vida inteira! Disse Davi: meu Senhor, eu tomo as ovelhas do meu pai. Quando um leão ou um urso carrega uma ovelha, eu vou atrás dele, ataco e tomo a ovelha. Se o leão ou o urso me ataca, eu o agarro pelo pescoço e o golpeio até matá-lo. Tenho matado leões e ursos e vou fazer o mesmo com esse filisteu pagão, que desafiou o exército do Deus vivo. O Senhor Deus me salvou dos leões e dos ursos e me salvará também desse filisteu. Respondeu Saul: pois bem. Vá, e que o Senhor Deus esteja com você!” (1º Samuel 17.32-37)
Desenvolvendo a obediência nos relacionamentos e estando atento aos ambientes que nossas famílias estão, chegou a hora de ajudá-los a partir do que você experimenta de Deus no seu dia a dia. Davi, ao saber que seus irmãos e todo o exército estavam acuados pelo gigante Golias que insistia em amedrontá-los com seu tamanho e força, começa a relatar suas experiências individuais com Deus. Davi havia enfrentado leões e ursos e tinha entendido que sua vitória veio porque Deus estava com Ele, e, com isso, não tinha dúvidas que também era possível vencer um gigante.
Cada experiência vivida com Deus é mais uma capacidade de vitórias maiores. Os gigantes virão, mas o que nos fará derrotá-los são os leões e ursos que vencemos em nossas batalhas menores. Uma experiência com Deus gera outra. Deste modo devemos sempre buscar mais a Deus. Quando, para Deus, chega o momento de você dar um novo passo para vencer novas batalhas, isso será sempre uma sequência daquilo que Ele já vem fazendo em sua vida.
Davi não se acovardou, porque no simples trabalho com ovelhas, Ele experimentou o que a presença de Deus em nós pode fazer e, por isso, tomou a decisão de vencer aquela batalha. O que faz defendermos nossa família dos ataques do mal, não é o quanto somos capazes, mas a convicção da presença de Deus conosco.
No livro FORTALECIDOS NO SENHOR tem a seguinte frase: “O inimigo usa mentiras para fazer com que os problemas pareçam maiores que as soluções que carregamos.” Ele nos mostra os gigantes e nós devemos vencê-los com a presença e a experiência que temos com Deus que pode todas as coisas e está ao nosso lado.
Defenda sua família dos ataques do mal andando diariamente com Deus, e os leões e ursos diários o ajudarão a vencer os maiores gigantes que aparecerão para atacar sua família, mas que cairão em nome de Jesus.
Para defender a sua família dos ataques do mal…
4. Use as ARMAS recebidas por DEUS
“Então deu a sua própria armadura para Davi usar. Pôs um capacete de bronze na cabeça dele e lhe deu uma couraça para vestir. Davi prendeu a espada de Saul num cinto sobre a armadura e tentou andar. Mas não conseguiu porque não estava acostumado a usar essas coisas. Aí desse a Saul: não consigo andar com tudo isto, pois não estou acostumado. Então Davi tirou tudo. Pegou o seu bastão, escolheu cinco pedras lisas no ribeirão e pôs na sua sacola. Pegou também a sua funda e saiu para enfrentar Golias.” (1º Samuel 17.38-40)
A cada experiência que temos com Deus, Ele nos dá uma arma para usarmos no dia mal. Deus não criou as dificuldades, mas Ele usa todas elas para nos forjar em um bom soldado. Como somos únicos, cada um de nós recebe armas diferentes, mas com o mesmo propósito: ganhar batalhas.
Davi venceu Golias, não com as armaduras de soldado, mesmo que fosse a do Rei, mas com suas próprias armas. Davi sabia que o que faria a diferença não era o instrumento, mas a fé e a disponibilidade de vencer em nome de Deus. A armadura de Saul era apenas uma máscara para Davi. Não adianta tentar ser quem você não é. As máscaras só podem nos esconder por um momento, mas elas caem nas horas mais inesperadas. Davi não tentou agradar o rei.
Vencedores de gigantes não fazem média, não fingem, não são hipócritas. Não queira ser como os outros. Use as armas que Deus lhe deu e vença os gigantes. O Espírito Santo nos capacita a cada experiência para a vitória, não porque temos uma fórmula que sempre funciona, mas porque Deus está conosco e dentro de nós.
Para defender a sua família dos ataques do mal…
5. Declare PALAVRAS proféticas de VITÓRIA e ADORAÇÃO a Deus
“Davi respondeu: você vem contra mim com espada, lança e dardo. Mas eu vou contra você em nome do Senhor Todo-Poderoso, o Deus dos exércitos israelitas, que você desafiou. Hoje mesmo o Senhor Deus entregará você nas minhas mãos; eu o vencerei e cortarei a sua cabeça. E darei os corpos dos soldados filisteus para as aves e os animais comerem. Então o mundo inteiro saberá que o povo de Israel tem um Deus, e todos aqui verão que ele não precisa de espadas ou de lanças para salvar o seu povo. Ele é vitorioso na batalha e entregará todos vocês nas nossas mãos.” (1º Samuel 17.45-47)
Antes mesmo de Davi usar suas armas, Ele deixou bem claro o que iria acontecer e adorou a Deus antes mesmo da vitória. Mesmo antes do enfrentamento dos gigantes, devemos deixar claro que já somos mais do que vencedores e no final de tudo Deus será louvado. Em toda história Bíblica vemos pessoas com essas mesmas atitudes. Um exemplo é de Ana que, antes de engravidar, já doou o filho que nem havia gerado.
Você já viu o gigante que está ameaçando atacar sua família? Então, comece a declarar palavras proféticas de vitória e já adore a Deus pelos feitos que Ele irá realizar. Saiba de uma coisa: toda vez que satanás se camufla de gigante para nos atacar, é porque ele já está contra-atacando uma ação de Deus que já vai acontecer.
Quando Moisés nasceu, houve uma perseguição para matar meninos. Satanás sabia que o libertador de Israel já estava a caminho. Quando Jesus nasceu, houve outra matança por causa do rei dos judeus que mudaria a história do mundo. Antes de uma grande vitória tem um grande ataque; por isso, temos que ir para a batalha, não como derrotados, mas certos que do lado que estamos e com quem estamos só tem um resultado: a vitória.
Muitas das vezes as derrotas do povo aconteceram porque deixaram Deus e quiserem ir com um amuleto. Deus não é amuleto, Deus é Deus, e aqueles que querem participar do seu projeto, precisam realmente viver com Ele. Só os íntimos têm coragem de declarar vitória antes da batalha, porque os íntimos já conhecem a essência de Deus. Os distantes nem vão para batalha, porque já perderam de vista o comandante. Seja íntimo de Deus e sua boca vai falar com autoridade que a vitória é certa. O gigante mudou, mas o Deus continua o mesmo.
Conclusão:
Toda vez que matamos um gigante, inspiramos outros a também crerem que podem também. Resgatamos a fé em Deus e renovamos a esperança.
Bill Johnson termina seu livro FORTALECIDOS NO SENHOR com esse parágrafo: “Os gigantes têm o hábito de se levantar durante os momentos mais sombrios da história para lançar desafios e muitos homens e mulheres de Deus se levantaram para expulsá-los e declaram: não na minha vez eles vencerão. Sabendo que sua missão era moldar o curso do mundo, eles se recursaram a ceder a grande cobertura das trevas que os rodeava e eles viram que todo Céu apoiava em sua missão humanamente impossível”.
Nesta noite Deus nos convida a sermos ousados também e declararmos aos gigantes que eles não vencerão nossas famílias: não na nossa vez. Com essa posição, não só venceremos os gigantes, mas inspiraremos outros a também a agirem assim. “Se queres matar um gigante, siga matadores de gigante!”

 

Rolar para o topo