Intercessão – A Vida de um Intercessor

SÉRIE “A ORAÇÃO DA FÉ” 01|04
INTERCESSÃO – A VIDA DE UM INTERCESSOR
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“Quando ouvi essas coisas, sentei-me e chorei. Passei dias lamentando, jejuando e orando ao Deus dos céus.” (Neemias 1.4)
Neemias se destacou na história como um intercessor. Seu nome significa “aquele que Deus consola” “consolado por Deus” “consolador”. Neemias foi consolador e intercessor. Como consolador, Neemias viveu perto das pessoas; como intercessor, Neemias viveu perto de Deus. Neemias era, acima de tudo, um homem de oração.
Neemias sempre foi um homem muito ocupado, mas não tão ocupado a ponto de não ter tempo para Deus. Um dos truques do diabo é manter-nos tão ocupados que não encontramos tempo para orar. Se Neemias não fosse um homem de oração, o futuro de Jerusalém teria sido outro. A oração move o céu, aciona o poder de Deus, desencadeia grandes intervenções de Deus na história. Tem uma frase que confirma essa verdade quando diz:

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha, mas quando o homem ora, Deus trabalha.”

Neemias começa seu ministério orando. Sua oração é uma das mais significativas registradas na Bíblia. Vemos nela os elementos da adoração, petição, confissão e intercessão.
Nesta mensagem vamos focar nossa atenção no tipo “intercessão”. Interceder significa literalmente “mediar”, significa fazer mediação. Interceder é você se colocar no lugar do outro e defender a causa dele.
Sendo assim, o que podemos aprender com a vida desse intercessor. Vejamos alguns princípios para uma vida de intercessão.
1° Princípio:
Um intercessor é alguém que SENTE o FARDO da REALIDADE que o cerca
Um intercessor torna-se responsável diante do conhecimento de uma necessidade. O próprio Neemias testemunha acerca de sua reação ao saber que a cidade estava destruída:
“Quando ouvi essas coisas, sentei-me e chorei. Passei dias lamentando-me, jejuando e orando ao Deus dos céus.” (Neemias 1.4)
O conhecimento dos problemas do seu povo levou Neemias a orar a respeito do assunto. Um intercessor sente a dor daqueles que o cercam. Neemias chorou, lamentou, orou e jejuou durante quatro meses pela causa do seu povo. Sua oração foi persistente e fervorosa.

Um intercessor não tem pressa de sair da presença de Deus até que a causa da sua intercessão seja respondida.

2° Princípio:
Um intercessor é alguém que RECONHECE a soberania de Deus
“Então eu disse: Senhor, Deus dos céus, Deus grande e temível…” (Neemias 1.5a)
Um intercessor aproxima-se de Deus com um profundo senso de reverência. Neemias começa a sua intercessão adorando a Deus. Ele entende que Deus é Senhor sobre todas as coisas. Ele focaliza sua atenção na grandeza de Deus, antes de pensar na enormidade do seu problema.
Um intercessor aproxima-se de Deus sabendo que Ele é soberano, onipotente, diante de quem precisamos nos curvar cheios de temor e reverência. Um intercessor aproxima-se de Deus sabendo que para Ele não há impossíveis.

“Quanto maior Deus se torna para você, menor se torna o seu problema.”

3° Princípio:
Um intercessor é alguém que RECONHECE a fidelidade de Deus
Um intercessor sabe que Deus é fiel à sua aliança. Neemias expressou isso claramente em sua oração.
“… fiel à aliança e misericordioso com os que te amam e obedecem aos teus mandamentos.” (Neemias 1.5b)
Somos o povo de Deus. Ele firmou conosco uma aliança eterna de ser o nosso Deus e nós o Seu povo. Ele vela por nós e prometeu estar conosco sempre. Deus prometeu nos guardar, nos conduzir em triunfo e nos receber em glória. Quando oramos, podemos nos agarrar nas promessas dessa aliança.
Um intercessor fundamenta-se não nos seus méritos, mas na fidelidade de Deus. Neemias tem disposição para interceder porque conhecia o caráter fiel e misericordioso de Deus. Ele sabia muito bem que sua intercessão não ficaria sem a resposta de Deus.
4° Princípio:
Um intercessor é alguém que IMPORTUNA a Deus com suas SÚPLICAS
“Que os teus ouvidos estejam atentos e os teus olhos estejam abertos para a oração que o teu servo está fazendo diante de ti, dia e noite, em favor dos teus servos, o povo de Israel…” (Neemias 1.6a)
Um intercessor é alguém que não descansa nem dá descanso a Deus. Neemias foi incansável em sua importunação. Ele orou continuamente e com perseverança. Muitas vezes, começamos a interceder por uma causa e logo a abandonamos. Neemias orou 120 dias com choro, com jejum, dia e noite. Ele insistiu com Deus.
5° Princípio:
Um intercessor é alguém que reconhece os SEUS PECADOS e os do POVO e os CONFESSA
Neemias era consciente das causas da derrota do povo. O pecado foi à causa do cativeiro. Deus entregou o povo nas mãos do rei da Babilônia. O pecado foi à causa da miséria dos que voltaram do cativeiro. Neemias se identificou com os pecados do povo e os confessou:
“… Confesso os pecados que nós, israelitas, temos cometido contra ti. Sim, eu e o meu povo temos pecado. Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés.” (Neemias 1.6b-7)
Neemias não ficou culpando o povo, mas identificou-se com ele. Um intercessor não é um acusador, jamais aponta o dedo para os outros, antes levanta as mãos para o céu em fervente oração, clamando por perdão.
Um intercessor faz confissões específicas. Neemias foi específico: não temos obedecido aos teus mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés. Muitas confissões são genéricas e inespecíficas, por isso sem convicção de pecado e sem quebrantamento. Porém, para que a oração tenha efeito, precisa ser acompanhada de confissão. A Bíblia diz o seguinte:
“Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (Provérbios 28.13)
6° Princípio:
Um intercessor é alguém que se apoia nas PROMESSAS da palavra de Deus
A Palavra de Deus e a oração andam de mãos dadas. Um intercessor precisa conhecer a Palavra. A palavra é o combustível que alimenta a vida do intercessor. Um intercessor sabe que Deus tem zelo no cumprimento da sua Palavra. Neemias começou sua oração da seguinte forma:
“Lembra-te agora do que disseste a Moisés, teu servo…” (Neemias 1.8a)
A memória de Deus é infalível, pois Ele é onisciente, mas Deus ama ao ser lembrado de suas promessas. Quem ora com base na Palavra, ora segundo a vontade de Deus. As maiores orações da Bíblia foram fundamentadas nas promessas da Palavra de Deus.
Conclusão:
Um intercessor ora e age. Neemias orou, jejuou, lamentou e chorou por 120 dias. Ele colocou essa causa diante de Deus, mas também colocou a mesma causa diante do rei. Neemias ora e toma medidas práticas: vai ao rei, informa-o sobre a condição do seu povo, faz pedido, pede cartas, verifica o problema, mobiliza o povo e triunfa sobre dificuldades e oposição.
Pela oração de Neemias um obstáculo aparentemente intransponível foi reduzido a proporções domináveis. O coração do rei se abriu, os muros foram levantados e a cidade reconstruída. Tudo isso aconteceu por causa de um intercessor.

A oração abre os olhos para as coisas antes não vistas. Nossas orações diárias diminuem nossas preocupações diárias.

Que os princípios aqui aprendidos com Neemias, sejam colocados em prática na nossa vida diária.

 

Rolar para o topo