O Deus que Nos Restaura

O DEUS QUE NOS RESTAURA

mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho

“Então ele se levantou, comeu e bebeu. Fortalecido com aquela comida, viajou quarenta dias e quarenta noites, até que chegou a Horebe, o monte de Deus. Ali entrou numa caverna e passou a noite. E a palavra do Senhor veio a ele: O que você está fazendo aqui, Elias? Ele respondeu: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos. Os israelitas rejeitaram a tua aliança, quebraram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada. Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me. O Senhor lhe disse: Saia e fique no monte, na presença do Senhor, pois o Senhor vai passar. Então veio um vento fortíssimo que separou os montes e esmigalhou as rochas diante do Senhor, mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto, mas o Senhor não estava no terremoto. Depois do terremoto houve um fogo, mas o Senhor não estava nele. E depois do fogo houve o murmúrio de uma brisa suave. Quando Elias ouviu, puxou a capa para cobrir o rosto, saiu e ficou à entrada da caverna. E uma voz lhe perguntou: O que você está fazendo aqui, Elias? Ele respondeu: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos. Os israelitas rejeitaram a tua aliança, quebraram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada. Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me. O Senhor lhe disse: Volte pelo caminho por onde veio, e vá para o deserto de Damasco. Chegando lá, unja Hazael como rei da Síria. Unja também Jeú, filho de Ninsi, como rei de Israel, e unja Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, para suceder a você como profeta.” (1º Reis 19.8-16)

Introdução:

Elias estava vivendo uma crise de perseguição e abandono, e foi para dentro de uma caverna, abandonando todo o projeto de vida que Deus tinha para ele. A crise é assim mesmo: nos sentimos abandonados por todos e abandonamos todo o projeto de vida que Deus preparou para nós. Quero, contudo, fazer uma exposição da maneira pela qual Deus agiu para restaurar Elias da consequência gerada pela crise. Há, nesse texto, ações importantes da parte de Deus que motivaram e trataram do coração de Elias. Vamos analisar cada passo que Deus usou para tratar das crises de Elias. Olhando para esse texto podemos aprender as seguintes lições:

O Deus que nos restaura nas crises…

1. É aquele que nos faz uma pergunta.

Após Elias entrar na caverna, frustrado, decepcionado e se sentindo abandonado, Deus dirige-se ao profeta e pergunta: “O que você está fazendo aqui, Elias?” (v.9). A pergunta está repleta de propósitos. Um deles é o de fazer Elias compreender o tamanho da sua inutilidade dentro daquela caverna.

“Toda vida fora do propósito de Deus torna-se inútil.”

O Deus que nos restaura nas crises…

2. É aquele que nos lança um desafio.

O segundo passo terapêutico de Deus para restaurar Elias foi um desafio. Deus chamou Elias para fora. De dentro da caverna Elias não teria condições de ver o todo, ele só teria uma visão parcial das coisas.

“A caverna limita a nossa visão.”

A visão de Elias era tão limitada que ele diz para Deus que estava só e ninguém o acompanhava. No entanto, o engano é desfeito quando Deus diz no verso dezoito: “No entanto, fiz sobrar sete mil em Israel, todos aqueles cujos joelhos não se inclinaram diante de Baal e todos aqueles cujas bocas não o beijaram.” (v.18).

O convite restaurador de Deus é para deixarmos essa caverna de crise hoje!

“Deus não desafia incapazes.”

O Deus que nos restaura nas crises…

3. É aquele que nos faz uma proposta.

O terceiro passo terapêutico de Deus para restaurar Elias foi uma proposta que mudaria todo rumo de sua vida: “Volte pelo caminho por onde veio, e vá para o deserto de Damasco. Chegando lá, unja Hazael como rei da Síria. Unja também Jeú, filho de Ninsi, como rei de Israel, e unja Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, para suceder a você como profeta.” (v.15-16).

O fim da vida de Elias não era a caverna. A proposta de Deus para a vida de Elias era ungir dois reis e o seu sucessor.

“A caverna não pode anular seu chamado profético.”

O Deus que nos restaura nas crises…

4. É aquele que nos aponta a saída.

É possível que você diga que não sabe como sair deste lugar. Existe uma expressão no texto que me chama a atenção. Deus disse: “Volte pelo caminho por onde veio…” (v.15a).

Entenda uma coisa – crise não se vence fugindo dela e nem se escondendo, mas encarando-a de frente. Saia daí e você ouvirá a voz de Deus te conduzindo ao seu destino profético. Saia e verá de maneira completa e não parcial toda a situação.

Conclusão:

O Deus que nos restaura nas crises…
1. É aquele que nos faz uma pergunta.
2. É aquele que nos lança um desafio.
3. É aquele que nos faz uma proposta.
4. É aquele que nos aponta a saída.

Rolar para o topo