O que Deus Espera de Nós? (31/12/2014 – Culto da Virada)

2015 | ANO DA RESTITUIÇÃO
O QUE DEUS ESPERA DE NÓS?
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da piedade da tua mocidade, e do amor do teu noivado, quando me seguias no deserto, numa terra que não se semeava. Então Israel era santidade para o SENHOR…” (Jeremias 2.1-3)
O profeta Jeremias foi chamado para o ministério ainda muito jovem. Jeremias profetizou durante 40 anos, nos quais permaneceu absolutamente impopular e solitário. Naquele tempo, Israel já tinha sido levado para o cativeiro pela Assíria, e Judá, em plena decadência estava prestes a ser feito cativo pela Babilônia.
Diante de um cenário desolador que, segundo a bíblia no diz, o profeta Jeremias chorou copiosamente, ao ver as famílias sendo arrancadas de seus lares pelos conquistadores inimigos, as crianças sendo pisadas como lama, sua cidade sendo esmagada implacavelmente pelos adversários.
Jeremias foi testemunha não só da humilhação sofrida pelo povo de Jerusalém, mas, sobretudo, da teimosia da nação rebelde, que não quis ouvir a voz de Deus. As autoridades de sua época se uniram para rejeitar fortemente a voz profética de Jeremias, e o profeta solitário foi perseguido, humilhado, menosprezado, preso e acoitado.
Neste tempo Jeremias atacou a religiosidade superficial e mística do povo de Judá, que, apesar de não ter abandonado o templo nem o culto, havia abandonado a Deus. Diz a bíblia que o povo confiava mais no templo do que no Senhor do templo. Eles haviam colocado sua fé na religião e não em Deus. Eles acreditavam que enquanto o templo estivesse erguido em Jerusalém, Deus estaria com eles, mesmo estando eles vivendo na prática do pecado.
Sendo assim, os versos que acabamos de ler é a primeira mensagem recebida por Jeremias da parte de Deus que aponta para o sentimento de Deus para com seu povo. Essa mensagem mostra que Deus olha para a nação de Judá e a vê como a noiva, como a esposa que, ao longo da caminhada, permite que seu amor se esfrie e sua devoção a Ele se perca.
No entanto, por intermédio de Jeremias, Deus traz uma palavra carregada de emoção, compaixão e amor, para trazer de volta a Ele um povo que Ele amava. Olhando para esses versos podemos entender com clareza o que Deus espera de nós no ano da restituição. O ano pode ser novo, mas o desejo de Deus continua sendo o mesmo.
No ano da restituição Deus espera que…
1. Seu RELACIONAMENTO com Ele VOLTE A SER como era antes.
“E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti, da piedade da tua mocidade…”
Nos versos de 1 a 3, Deus demonstra saudade de seu povo, mencionando os tempos de uma relação de devoção a Ele. Deus tinha saudade do tempo em que seu povo se relacionava com Ele em uma profunda devoção. Na época desse relacionamento, Deus guiou o povo através do deserto. Deus guiou o povo dando-lhe vestes e calçados que durante 40 anos não envelheceram.
Quando o povo tinha sede, Deus fazia brotar água da pedra; quando o povo tinha fome Deus trazia pão do céu. Quando o povo enfrentava enfermidades, Deus os curava; quando o povo enfrentava inimigos, Deus os libertava.
No entanto, após ter experimentado de modo tão evidente o cuidado e a providencia de Deus, o povo se comportou como uma noiva que se esqueceu do seu amado e se encantou com outros homens.
O relacionamento com Deus foi trocado pelo relacionamento com ídolos. Outros deuses ocuparam o lugar de Deus na vida do povo. Então, aquele relacionamento com Deus deixou de ser puro e verdadeiro.
Isto deve provocar em cada um de nós uma avaliação de nossa vida, uma espécie de check-up de nossa condição atual diante de Deus. Será que esse mesmo Deus não sente também saudade dos tempos em que nos relacionávamos com Ele?
Quando paramos para pensar nisso, é inevitável sondar nossos corações para descobrir se já andamos com Deus de maneira mais profunda do que temos andado hoje. É inevitável sondar nossos corações para ver se nenhum ídolo está ocupando o lugar de Deus em minha vida. Um ídolo é tudo aquilo que conquista a devoção do nosso coração.
Pergunte a si mesmo em uma auto avaliação: Minha devoção ao Senhor é maior hoje do que antes? Existe algo que busco mais do que a Deus? Qual é o maior prazer da minha vida? Pergunte a si mesmo sobre sua vida devocional, sobre suas reações a palavra, sobre seu engajamento na obra, sobre o seu ardor missionário. Pergunte a si mesmo sobre sua vida de temor, obediência, santidade, fidelidade e compromisso com os valores do Reino.
Deus tem saudade do tempo que tínhamos uma devoção pura, sincera, e verdadeira com Ele. Neste ano de 2015, Deus espera que você restitua a Ele o tempo que você perdeu, para que seu relacionamento com ELE volte a ser como era antes.
No ano da restituição Deus espera que… 
2. Seu AMOR por Ele seja IGUAL ao do PRIMEIRO AMOR.
“E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Vai, e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Lembro-me de ti… e do amor do teu noivado…”
A ternura de Deus por nós se torna ainda mais evidente, quando Ele nos vê como a noiva. Que grande carinho está contido nessa figura de linguagem! É como se um noivo saudoso exclamasse para sua noiva:

  • Eu me lembro com muita saudade daquele tempo em que você se preparava para me encontrar.
  • Eu me lembro daquele tempo em que falar comigo era o maior prazer do seu coração.
  • Eu me lembro daquele tempo que você me cortejava com alegria e paixão, em momentos de profunda comunhão comigo.
  • Eu me lembro daquele tempo em que você me fez promessas de fidelidade e lealdade.

Você se lembra desse tempo? Isso ainda está vivo em sua memória? É por isso, que precisamos com urgência voltar ao primeiro amor. Porque todos esses momentos, essa paixão se perderam na caminhada do nosso relacionamento com Deus. Precisamos voltar a amar a Deus como amávamos antes. Precisamos voltar a amá-lo incondicionalmente. Precisamos voltar a amar a Deus sem interesse. Precisamos voltar a amar a Deus de maneira pura, sincera e verdadeira.
Precisamos restituir a Ele a nossa paixão, a nossa adoração, o nosso coração, a nossa vida por inteiro e completo.
Hoje você vem às celebrações mais seu coração está seco, vazio e frio. Sua alma já não está enamorada de Deus. O ritual de uma vida religiosa roubou de você a devoção, a adoração, o primeiro amor e a paixão por estar na presença de Deus.
Tudo continua acontecendo a sua volta, mais nada acontece dentro de você. Você continua frio, indiferente, vazio, insensível. Seu coração já não é mais puro, sua vida já não é mais santa, Deus já não é mais o prazer da sua alma.
O povo de Judá estava vivendo assim. O povo também ia ao templo. Eles tinham orgulho da religião deles. Eles confiavam que tudo estava indo muito bem com eles. Eles gostavam do templo, dos rituais, mas haviam perdido o primeiro amor e a comunhão com Deus.
Neste ano de 2015, Deus espera que você restitua a Ele o seu coração e o seu primeiro amor. Deus espera que você o ame como antes.
No ano da restituição Deus espera que…
3. Sua vida ESTEJA no ALTAR.
Não há melhor lugar para nossa vida está do que o altar. O altar é melhor do que as conquistas que terei em 2015, o altar é melhor do os projetos e sonhos que irão se concretizar em minha vida no ano de 2015. Pense nas conquistas que você terá em 2015… Pense nos sonhos e projetos que se realizarão em sua vida! O altar é mais prazeroso do que tudo isso que você vai alcançar. É no altar que tudo começa. Quer começar bem o ano de 2015? Termine o ano de 2014 subindo no altar de Deus e permaneça nele durante o novo ano. Observe no texto!
“Então Israel era santidade para o SENHOR…”
No verso três, lemos que Israel era (deixou de ser) uma nação santa, pura, consagrada, dedicada ao SENHOR. Deus olha e diz: Eu me lembro desse tempo. Eu me lembro do tempo de sua dedicação. Eu me lembro do tempo em que você era consagrado a mim. Eu me lembro do tempo da sua santidade. Deus tem saudade do tempo que nossa vida era consagrada a Ele.
Entenda que, para Deus, não é suficiente apenas estar na igreja, participar de uma celebração animada. Se envolver com sua obra. É preciso ter um coração puro, uma vida consagrada, uma vida dedicada a Ele, uma vida no altar. Como é triste ver pessoas que passam um ano inteiro na igreja sem ter uma vida no altar. Passam um ano inteiro representando um papel de santidade, mas são impuros.
A vida no altar é uma vida que custa caro. A vida no altar é uma vida de exigências. A vida no altar exige obediência e dedicação em fazer a vontade de Deus. Porém, fazer a vontade de Deus só é possível através do ato de sacrificar a nossa carne com suas paixões e prazeres.
Altar é lugar de sacrifício, lugar de confissão, lugar de arrependimento, lugar de entrega, lugar de renúncias, lugar de rendição, lugar de submissão, lugar de restituição. Neste ano de 2015, Deus espera que você restitua a Ele uma vida de santidade, temor e obediência.
Conclusão:
Essa mensagem clama por um autoquestionamento de nossa vida pessoal:

  • Você está tendo comunhão com Deus?
  • Verdadeiramente está se deleitando em Deus?
  • Até que ponto o ritualismo tem substituído o relacionamento?
  • Até que ponto o ajuntamento nas celebrações tem substituído a sua intimidade com o Senhor?
  • Ao adorar a Deus, você tem a consciência que está no Santo dos Santos?

Que em 2015, possamos restituir a Deus tudo o que deixamos pendentes em nossa relação com Ele. Que em 2015…

  • Você volte a se RELACIONAR com ELE como ante,
  • Você volte a AMAR a ELE como antes,
  • Você volte a se CONSAGRAR a ELE como antes.

Feliz 2015! O ano da Restituição

Rolar para o topo