Oração em Tempos de Crise (23/11/2014 – manhã)

ORAÇÃO EM TEMPOS DE CRISE
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas videiras; ainda que o produto da oliveira falhe, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado do estábulo e não haja gado nos currais; mesmo assim, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força! Ele fará os meus pés como os da corça e me fará andar sobre os meus lugares altos…” (Habacuque 3.17-19)
Habacuque é o profeta que canta dentro da noite. Seu livro começa num vale profundo e termina nas alturas. O profeta vai do desespero à esperança, do temor à fé, da angústia à exultação. O capítulo 3 é uma oração e um cântico de louvor em tempos de crise. Porém, o povo que conhece a Deus, é um povo forte. O conhecimento de Deus e das suas obras é o maior antídoto contra o desespero.
Quando voltamos os nossos olhos para as Escrituras, descobrimos que as rédeas da história estão não estão nas mãos das grandes e poderosas nações, mas nas mãos daquele que está assentado sobre um alto e sublime trono.
A oração de habacuque nos ensina que quando tudo está perdido, Deus ainda não está perdido; quando chegamos no final dos nossos recursos, os recursos de Deus ainda estão disponíveis e quando a crise nos encurrala, precisamos olhar para o alto. Quando Habacuque subiu à torre de vigia, ele ouviu Deus e falou com Deus. A Palavra de Deus lhe trouxe consolo e direção, e a oração lhe encheu a alma de esperança e alegria. Diante da tragédia, se olharmos para baixo, ficaremos desolados, ficaremos estarrecidos. Contudo, se olharmos para o alto, encontraremos vitória.
A oração de Habacuque foi concluída com a mais absoluta afirmação de fé. Ele confiava na soberania do Senhor, a ponto de aceitar quaisquer circunstâncias como sendo dentro da boa e perfeita vontade de Deus para ele. A fé não é um salto no escuro, mas é uma caminhada segura sob a luz. Se o homem tem perguntas, Deus tem as respostas. A certeza de ontem dá tranquilidade para o hoje e projeta esperança para o amanhã. Se Habacuque tivesse dependido de seus sentimentos, jamais teria escrito essa confissão de fé.
Ao olhar para o futuro, ele viu a nação rumando para destruição. Ao olhar para dentro de si, viu-se tremendo de medo. Ao olhar ao seu redor, viu todo sistema prestes a se desintegrar. Contudo, quando, pela fé, ele olhou para o alto, viu Deus, e todos os seus medos foram embora. Andar pela fé significa concentrar-se na grandeza e na glória de Deus. A oração feita por Habacuque em tempos de crise nos dá uma lição de como podemos transformar o desespero em um cântico de vitória.
Então, o que a oração em tempos de crise pode produzir na vida de alguém que desistiu de olhar para baixo e começou a olhar para o alto em busca do Deus vivo?
A oração em tempos de crise produz…
1. Uma CONFIANÇA cada vez mais INABALÁVEL
“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas videiras; ainda que o produto da oliveira falhe, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado do estábulo e não haja gado nos currais; mesmo assim, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3.17-18)
O povo de Judá dependia da agricultura para sobreviver. Os recursos financeiros vinham das lavouras e dos rebanhos. A maior parte do sustento do profeta provinha de figos, uvas, azeitonas e outros produtos da lavoura, bom como a criação de ovelhas, cabras e gado. Embora essas fontes possam de alguma maneira esgotar-se, o profeta vê que, em última instância, sua própria existência não depende delas, mas da fonte delas – Deus.
A confiança do profeta não estava na provisão, mas no provedor. Os recursos da terra podem falhar, mas os recursos de Deus nunca falharão. A oração em tempos de crise deve produzir em nossa vida uma confiança ainda mais inabalável naquele que tem todo poder no céu e na terra. Como Jó, Habacuque estava pronto a perder tudo, menos a sua fé no Senhor. Jó, depois perder os filhos e seus bens, foi capaz de fazer a seguinte oração:
“Nu saí do ventre da minha mãe, nu retornarei ao seio da terra. O Eterno dá, o Eterno tira. O nome de Deus seja louvado para sempre.” (Jó 1.21, MSG)
A oração em tempos de crise produz…
2. Uma ALEGRIA contagiante a despeito das CIRCUNSTÂNCIAS
“Mesmo assim, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3.18)
A alegria do profeta não é determinada pela presença de coisas boas nem pela ausência de coisas trágicas. Sua alegria está centrada na pessoa de Deus. Sua alegria não está na prosperidade nem na ausência do sofrimento. Sua alegria está em Deus. Sua alegria é contagiante a despeito das circunstâncias adversas.
Através dos séculos, muitos homens de Deus, em períodos de perseguição e sofrimento, acharam conforto e profunda alegria espiritual nas últimas palavras desta oração de Habacuque.
Para contraditório encontrar motivos para sorrir em tempos de crise. Porém, isso só será possível quando Deus for toda a satisfação da sua vida. Enquanto sua família, seus bens, seu trabalho, sua igreja for toda a satisfação da sua vida, será impossível encontrar alegria em tempos de crise, pois o foco da sua vida estará naquilo que você tem e não na fonte que lhe deu tudo isso. Quando o apóstolo Paulo compreendeu e experimentou essa verdade, ele pôde escrever um dos textos mais desafiadores para aqueles que enfrentam tempos de crise:
“Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fatura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece.” (Filipenses 4.12-13)
A oração em tempos de crise produz…
3. Uma SEGURANÇA totalmente SUFICIENTE
“O Senhor Deus é a minha força! Ele fará os meus pés como os da corça e me fará andar sobre os meus lugares altos…” (Habacuque 3.19)
A alegria do profeta não é um sentimento romântico e infundado. Ele tem razões de sobra para alegrar-se. O fundamento da sua alegria está em Deus.
Habacuque, que começa deprimido e em dúvida quanto à retidão e à justiça de Deus, termina com alegre confiança na provisão e no poder sustentador de Deus. Isso é segurança totalmente suficiente. Deus é a sua fortaleza. É o seu alto refúgio. É a sua torre de livramento. Nenhum perigo pode nos alcançar quando estamos refugiados em Deus. Ninguém pode nos arrancar dos braços de Jesus.
O Senhor não somente tirou o profeta do vale da angústia, mas, também, o fez andar em lugares altos. A corça é símbolo da força, da firmeza dos passos, da beleza e da alegria de viver. Habacuque fez uma viagem do temor à fé, do pranto ao cântico de louvor, do questionamento amargo à humilde adoração.
Há uma segurança totalmente suficiente em Deus! A oração em tempos de crise produz esse sentimento de segurança, de sustentáculo, de estabilidade e de firmeza. Entenda que Deus nos criou para as alturas. Se ele nos permite passar pelos vales, é para que possamos esperar nele e subir aos lugares altos com asas como águias. Isaías escreve assim:
“Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças. Abrem as asas e voam alto como águias, correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos.” (Isaías 40.31, MSG)
Conclusão:
O que você tem feito em tempos de crise? Quando as lutas sufocam o seu viver, o que você faz? Quando o sofrimento é grande demais, qual tem sido a sua atitude?
Habacuque nos ensina que, em tempos de crise, o melhor é orar. O melhor não é buscar a auto-ajuda, mas buscar a ajuda que vem do alto. Precisamos estar atentos àquilo que Deus deseja nos ensinar em tempos de crise! Nestes 21 dias de oração, Deus deseja nos ensinar coisas que não aprenderíamos se não estivéssemos em tempos de crise.
A oração em tempos de crise produz…
1. Uma CONFIANÇA cada vez mais INABALÁVEL
2. Uma ALEGRIA contagiante a despeito das CIRCUNSTÂNCIAS
3. Uma SEGURANÇA totalmente SUFICIENTE

Rolar para o topo