SEMANA DA CIDADE – Mudando a Realidade

SEMANA DA CIDADE – 01|05
MUDANDO UMA REALIDADE
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“Certo dia Pedro e João estavam subindo ao templo na hora da oração, às três horas da tarde. Estava sendo levado para a porta do templo chamada Formosa um aleijado de nascença, que ali era colocado todos os dias para pedir esmolas aos que entravam no templo. Vendo que Pedro e João iam entrar no pátio do templo, pediu-lhes esmola. Pedro e João olharam bem para ele e, então, Pedro disse: ‘Olhe para nós!’ O homem olhou para eles com atenção, esperando receber deles alguma coisa. Disse Pedro: ‘Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande’. Segurando-o pela mão direita, ajudou-o a levantar-se, e imediatamente os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes. E de um salto pôs-se de pé e começou a andar. Depois entrou com eles no pátio do templo, andando, saltando e louvando a Deus. Quando todo o povo o viu andando e louvando a Deus, reconheceu que era ele o mesmo homem que costumava mendigar sentado à porta do templo chamada Formosa. Todos ficaram perplexos e muito admirados com o que lhe tinha acontecido.” (Atos 3.1-10)
Neste texto encontramos um homem sem esperança. Um coxo de nascença e mendigo, junto à porta Formosa. A única esperança que aquele homem tinha no coração era a de receber mais uma esmola. Diante da realidade da sua vida e das limitações das condições de tratamento daquela época, não havia mais esperança para aquele homem. No entanto, a sua necessidade ia além de uma simples esmola. Ele precisava de alguém que pudesse mudar a realidade da sua vida. Ele precisava de alguém que lhe desse atenção e cuidado; alguém que ouvisse a sua dor.
À semelhança desse homem, encontramos pela nossa cidade muitas pessoas vivendo dessa forma. Pessoas que estão aguardando a manifestação dos filhos de Deus. Pessoas que estão esperando encontrar na igreja a resposta para seus dilemas, dores e fracassos. Bill Hybels acertou quando disse:

A Igreja local é a esperança do mundo!

No entanto, para que a igreja de Jesus seja a esperança para esse povo, nós, como servos de Deus, precisamos nos posicionar com atitudes diferentes e diferenciadas. Que atitudes são essas?
Para mudar uma realidade…
1. Precisamos de UNIDADE na oração
“Certo dia Pedro e João estavam subindo ao templo na hora da oração, às três horas da tarde…” (v.1)
A realidade daquele homem da porta formosa só mudou porque dois representantes da igreja de Jesus estavam subindo juntos para um tempo de oração. A realidade dessa cidade, só vai mudar, quando o povo de Deus se unir para orar. Precisamos orar, pela segurança pública, pelas igrejas e famílias, pelo governo e política, pela educação e saúde, pela economia e negócios. Precisamos orar pelas nossas crianças, jovens e adolescentes, adultos e idosos. Precisamos nos unir para orar pelos nossos bairros. A igreja de Jesus será sim a esperança para esta cidade se nós, como povo de Deus, nos unirmos para orar, levando a sério o nosso compromisso diário com o Pai.
Para mudar uma realidade…
2. Precisamos OLHAR para as pessoas ao nosso REDOR
“… fixando nele o olhar…” (v.4)
Deus está empenhado em sua missão, em seu propósito de resgatar o ser humano do pecado. Entretanto, se pensarmos na missão de Deus, creio ser necessário também pensarmos na missão do Diabo. Se a missão de Deus é resgatar o ser humano do pecado para si, a missão do inimigo é destruir o ser humano, feito à imagem e semelhança de Deus. A Bíblia diz:
“O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.” (João 10.10)
Para que esse propósito maligno se concretize, o inimigo trabalha de muitas maneiras, mas a sua principal estratégia é a distração. Quantas coisas o inimigo tem usado para distrair o povo de Deus. No entanto, precisamos, à semelhança de Pedro e João, fitar os nossos olhos naqueles que precisam de ajuda. Quando nos distraímos, deixamos de olhar para o lado, deixamos de olhar para o ser humano. Passamos a olhar para nós mesmos e passamos a viver em função dos nossos interesses pessoais. Precisamos fitar o ser humano. Precisamos olhar ao nosso redor. Precisamos tirar os olhos de nós e colocá-los na cidade se quisermos mudar esse cenário caótico.

Uma igreja que não olha para cidade terá pouca influência sobre ela.

Porém, se olharmos com compaixão para cidade, conseguiremos enxergar o seu coração, as suas necessidades, as suas angústias e seremos, assim, a resposta que a cidade precisa.
Para mudar uma realidade…
3. Precisamos REFLETIR a pessoa de Cristo
“… olha para nós”… (v.4)
Em outras palavras, Pedro e João estavam dizendo: “olhe para Jesus que está em nós; olhe para a nossa conduta de vida; para o nosso testemunho; para a nossa fé.”. Infelizmente, estamos sempre pedindo às pessoas que não olhem para nós. No entanto, como é que as pessoas conseguirão ver Jesus, se não for por meio de nós, por meio das nossas decisões, do nosso testemunho, dos nossos relacionamentos, do nosso comportamento, do nosso compromisso com Ele, dos nossos valores?

A imagem de Jesus é revelada à cidade a partir de nós.

Infelizmente, em muitas situações, a imagem de Jesus que as pessoas conseguem ver em nós, é uma imagem distorcida, longe daquilo que Ele é de fato. Por isso, precisamos urgentemente voltar a ser o que Jesus disse que deveríamos ser. E o que é que deveríamos ser?
“Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.”  (Mateus 5.13-16)
Para mudar uma realidade…
4. Precisamos COMPARTILHAR não o que as pessoas QUEREM, mas o que elas PRECISAM
“Disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou…” (v.6)
As pessoas querem – prata e ouro. No entanto, o que elas precisam é de Jesus. A maior necessidade das pessoas não é a necessidade de ouro ou de prata. O que as pessoas mais precisam é de Jesus. É desse tesouro que as pessoas precisam. Esse é o maior tesouro que precisamos compartilhar. Precisamos compartilhar palavras de esperança. Pedro disse aquele homem:
“… em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (v.6)
Pedro foi usado por Deus para dar àquele homem uma palavra de esperança. Da mesma forma, o Senhor quer usar essa igreja para compartilharmos uma palavra de esperança para as pessoas dessa cidade.
Para mudar uma realidade…
5. Precisamos ter ATITUDE
“E, tomando-o pela mão direita, o levantou…” (v.7a)
Thomas Walker: “O poder era de Cristo, mas a mão que levantou o homem era de Pedro”.
O poder que vai levantar as pessoas dessa cidade é o de Cristo, mas as mãos serão da igreja. Quem são as pessoas que você vai pegar pela mão para conduzi-las a Cristo?
Conclusão:
Qual foi o resultado na vida daquele homem?
“E entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus” (v.8)
Se assim fizermos, as pessoas vão entrar conosco no templo para louvar e adorar a Deus. Deus quer usar a mim e a você para dar esperança a esta cidade. Ele pode contar com a gente? Então…
 Vamos nos unir em oração
 Vamos olhar para as pessoas ao nosso redor
 Vamos refletir a pessoa de Cristo
 Vamos compartilhar não o que as pessoas querem, mais o que elas precisam
 Vamos tomar uma atitude

 

Rolar para o topo