Semeadores do Reino

SEMEADORES DO REINO
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
“Quando o SENHOR Deus nos trouxe de volta para Jerusalém, parecia que estávamos sonhando. Como rimos e cantamos de alegria! Então as outras nações disseram: O SENHOR fez grandes coisas por eles! De fato, o SENHOR fez grandes coisas por nós, e por isso estamos alegres. Ó SENHOR, faze com que prosperemos de novo, assim como a chuva enche de novo o leito seco dos rios. Que aqueles que semeiam chorando façam a colheita com alegria! Aqueles que saíram chorando, levando a semente para semear, voltarão cantando, cheios de alegria, trazendo nos braços os feixes da colheita.” (Salmo 126)
Esse Salmo relata um contexto que o povo de Israel passou na volta do cativeiro babilônico depois de 70 anos. É um salmo que relata a alegria de estarem voltando para casa após dias difíceis, dias de humilhação, dias de cativeiro, dias de lágrimas e, agora, estão voltando e renovados porque as grandes obras que Deus fez no passado, Ele está fazendo de novo e que todo aquele tempo de sofrimento, está sendo transformado em colheitas sobrenaturais. A misericórdia de Deus fez com que as dores, as frustrações, as consequências da desobediência, pudessem, no final, trazer o povo de volta, não só para seu ambiente familiar, mas de volta à presença de Deus e de suas grandes obras.
Hoje, também vivemos dias difíceis. O ambiente em que vivemos está cheio de más notícias: guerras, destruição, fome, brigas, dores, choro, lágrimas. Porém, nessa manhã, Deus nos convida a continuar a semear em um ambiente hostil, mas semear as sementes do Reino. As sementes do Reino são as boas-novas, que trazem alegria, paz, amor, fidelidade, milagres. Os semeadores são aqueles que se comprometem em semear mesmo em terra desértica. Para o povo de Israel semear em terra seca era algo que eles conviviam nos seu habitat, mas isso não os impedia de semear e sim de procurarem um meio de produzir alimento e sustento para seu povo.
Semear é lançar, distribuir semente sobre. O semeador do Reino lança sobre o mundo e distribui sobre os ambientes que frequenta a semente do Reino. Por isso, nessa manhã, vamos ressaltar três características essências de um semeador do Reino.
Semeadores do Reino…
1. Pagam um ALTO PREÇO para semear
“Que aqueles que semeiam chorando, façam a colheita com alegria! Aqueles que saíram chorando, levando a semente para semear, voltarão cantando, cheios de alegria, trazendo nos braços os feixes da colheita.” (Salmo 126.5-6)
Sabemos que o mundo representa uma terra seca, uma terra sedenta, uma terra dura, e semear nesse tipo de solo é desafiador.
Israel é um país de pequenas dimensões territoriais, possui somente 22.145 km2 (um pouco mais que a metade do estado do Rio de Janeiro, um dos menores estados do Brasil):

  • A sua topografia é acidentada, o que dificulta a agricultura;
  • Seus recursos hídricos são reduzidos, resumindo-se quase que exclusivamente ao Rio Jordão, o que dificulta a agricultura;
  • Seu clima é árido, muito quente durante o dia e muito frio durante a noite, o que dificulta a agricultura;
  • 85% do seu território é desértico;
  • A chuva ocorre somente de novembro a abril, sendo muito volumosa no norte e pouco relevante no sul do país.

Nós, cristãos, somos 32% da população mundial, somos um grupo menor para semear e, por isso, nosso processo de semeadura vai ser produzido com lágrimas enquanto vivemos espalhando a boa semente dos céus. Como semear sem chorar, se o que cremos está ao contrário do que a maioria semeia? Semeamos na família a fidelidade, a autoridade dos pais, limites, somos contra o divórcio, o aborto, o sexo ilícito, o homossexualismo. Semeamos nos relacionamentos perdão, amar quem não nos ama, compartilhar sem olhar merecimentos. Semeamos justiça, verdade, integridade. Semeamos sementes que produzem frutos que incomodam a maioria.
O governo da terra está apodrecido com o maligno e ele faz de tudo para que a semente do Reino dos céus não frutifique. Então, ele ataca os semeadores para que, diante de tantas injustiças, de tantas aflições e ameaças, se paralisem, desistam e se cansem, se distraiam e não lancem a semente.
Só que hoje Deus quer nos lembrar que os semeadores do Reino semeiam chorando, mas continuam, que as lágrimas derramadas não serão em vão, mas serão o adubo para colheita. Nossas lágrimas, que choramos quando semeamos na vida de alguém ou de ambientes que estamos que ainda resiste à semente, trarão boa colheita no final.
Semeadores do Reino sabem que fazem parte do processo da semeadura a dor, o choro. Eles sabem que a terra não é propicia, mas também sabem que a semente que receberam não veio de qualquer pessoa, veio daquele que produziu a semente. O semeador do Reino olha para Jesus, e aguenta firme. Jesus chorou lágrimas de sangue, mas essas lágrimas nos trouxeram vida, nos tiraram de um lamaçal e firmaram os nossos pés para semear para que outros também sejam alcançados pela semeadura do amor do Pai. A missão do semeador é semear a semente, não importam as consequências pessoais ou adequação dela com o solo. Que o Espírito Santo nos ajude a sermos SEMEADORES DE VIDA EM TERRA SECA.
Semeadores do Reino…
2. Trabalham PACIENTEMENTE pelos FRUTOS
“O profeta Elias era um ser humano como nós. Ele orou com fervor para que não chovesse, e durante três anos e meio não choveu sobre a terra. Depois orou outra vez, e então choveu, e a terra deu a sua colheita.“ (Tiago 5.17-18)
Já sabemos que a semeadura é longa e difícil, por isso precisamos abandonar o imediatismo e a nossa visão de insignificância e perseverarmos e esperarmos pacientemente pelo alcance da promessa da colheita. Quando Deus nos convida a semear, Ele nos mostra o trabalho final e somos impactados e inspirados a semear, mas esquecemos do processo árduo e que precisaremos colocar o foco naquele que nos deu a semente para continuarmos.
O texto de Tiago nos lembra sobre Elias, que foi um semeador em uma terra onde muitos abandonaram a Deus. Mas a Bíblia diz que ele era como nós, com uma disposição em perseverar em crer que no final de tudo quem seria honrado e glorificado era o dono da semente. Ele estava em uma terra seca, destruída por falta de chuva, mas foi um instrumento de semear, de orar e de ver chuvas de bênçãos dos céus caindo sobre seu ambiente.
Precisamos perseverar, semear e ser pacientes, porque, no tempo certo, haverá colheita, haverá frutos. Paramos, muitas vezes, porque olhamos para nós e para o desafio, e esquecemos que quem dá o crescimento é Deus, o impossível é com Ele, a abundância da colheita vem Dele.
Grandes homens de Deus, antes eram pessoas comuns e passavam despercebidas pela sociedade, mas naquele ambiente de anonimato eles semeavam, eles continuavam fiéis aos mandamentos do Senhor, eles continuavam obedecendo e, de repente, viram as ações de Deus sobre aqueles ambientes em que eles teimavam semear o que recebiam de Deus. Noé, Isaque, Davi, Daniel, Jeremias, os apóstolos, Abraão e muitos outros. Todos apostaram nessa semente e até hoje somos beneficiados pela paciência deles em meios às dificuldade de continuar a crer, de continuar a semear.
Jesus semeou, recebeu a cruz, mas colheu no tempo oportuno a ressurreição e o nome sobre todos os nomes. Se não desfalecemos, colheremos frutos eternos. Muitos estão semeando as sementes dos céus mas com a visão carnal, com vistas em receber bênçãos temporais. Para esses a Palavra diz que são os mais miseráveis porque esperam por Ele só para essa terra. Muitos desistem porque semeiam as sementes dos céus mas os pensamentos estão ainda como o do mundo caído. Deus não tem compromisso com nossas expectativas de colheitas, Ele tem compromisso com a semente que Ele compartilhou e que no tempo oportuno vai dar frutos que revelam a sua Pessoa.
Semeadores do Reino perseveram, mesmo quando não veem brotos anunciando boa colheita. Perseveram porque conhecem quem deu as sementes. Ele é confiável, tudo aquilo que Ele nos manda semear, voltará com o propósito realizado. Não se canse, não se apresse, não fique no imediatismo, vença a ansiedade, vença a incredulidade, vença as críticas, vença as adversidades, venças as provações, vença os obstáculos. Tenha paciência, pois tudo acontece no tempo do Senhor, é Ele que sabe a hora que vai florescer. Deus é eterno e as sementes que Ele nos dá também florescerão por toda a eternidade.
Por isso, semeie, regue, cuide, adube, mas espere pacientemente. Um dia você será surpreendido pela colheita, que vai ser além do que você imaginou ou pensou, porque Deus não faz aquém, Ele faz além. Quem perseverar quem semear com paciência, alcançará a alegria da colheita. Enquanto esperamos pela colheita reguemos a semente, chorando, orando e profetizando.
Semeadores do Reino…
3. Creem na ABUNDÂNCIA da COLHEITA
“Eu penso que o que sofremos durante a nossa vida não pode ser comparado, de modo nenhum, com a glória que nos será revelada no futuro.” (Romanos 8.18)
Deus quer que paremos de olhar para o presente e coloquemos nossos olhos e mentes para o futuro. Semeadores do Reino sabem e creem que a colheita abundante chegará. Ele se alegra com as temporais, mas nunca vive entristecido pela demora ou a falta delas, eles se alegram nas promessas do Senhor. O que Deus tem preparado para aqueles que semeiam, nem olhos viram e nem ouvidos ouviram. Na colheita final, toda lágrima, toda dor, toda zombaria, todo escárnio, toda potestade, toda adversidade, diversas provas, desaparecerão quando Deus nos chamar de volta para o ambiente eterno.
Receberemos nossas recompensas, voltaremos não como fomos, chorosos, cansados, feridos. Voltaremos para o Pai com nossas mãos cheias, porque a semente nasceu, floresceu e frutificou. Nos nossos lábios teremos louvores constantes, porque veremos que valeu a pena cada lágrima derramada sobre as terras secas. Veremos uma terra frutífera, que traz saciedade, que produz no semeador uma alegria sem par.
O texto que lemos do Salmo 126 relata que a alegria do passado havia retornado. As grandes obras do senhor voltaram. Pareciam que nunca mais se alegrariam com as obras do Senhor, mas toda aquela dura semeadura trouxe uma colheita inigualável. Queridos, estamos no processo de semear e Deus nos convida a olhar, não o que temos visto como resultado da nossa semeadura, mas para o resultado futuro disso tudo. Deus nos dá flash da colheita futura. Sabe como? Quando você vê pessoas restauradas, pessoas que eram como terras secas, começando a florescer, filhos rebeldes em obedientes, casamentos destruídos sendo testemunhos do poder transformador, pessoas caídas agora de cabeças erguidas.
Mas Deus nos fala nessa manhã que essas coisas são só um flash, porque nada vai se comparar com o que vocês verão no futuro quando Jesus voltar. Ele está preparando um grande banquete mundial, onde todos os semeadores sentarão e ficarão maravilhados com o resultado da semeadura e desfrutarão de suas semeaduras por toda a eternidade.
Conclusão:
Semeadores do Reino são filhos do Rei, recebem as melhores sementes para serem jogadas nas piores terras, porque no Reino de Deus, o que é semeado é fruto do amor, e o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera. Tudo vai passar: as dores, as frustrações e as lágrimas. Mas, no final, o que nos susterá será o que foi semeado dos céus e regado pelo amor.
A semeadura está difícil? Com certeza está. Está doendo? Com certeza está. Está ferindo? Com certeza está. Lágrimas são constantes? Certamente são. Mas vale a pena, porque a esperança da colheita não nos decepcionará. Toda semente dos céus tem promessa de Deus de frutificar. Não olhe para o resultado de hoje, coloque o seu olhar para eternidade. A colheita trará frutos de paz, justiça, verdade, misericórdia e alegria. Deus planta você em cada ambiente para semear suas sementes. Chore, mas persevere e creia que a colheita vai valer a pena.
Isaque experimentou uma colheita exponencial em um ambiente árido e seco, mas prosperou porque quem estava com Ele era o Deus vivo. Produzir cem por um em uma terra com todas as condições desfavoráveis é viver no sobrenatural na presença do Pai. Somos de uma geração que temos consciência de como as semeaduras acontecem naturalmente, sabemos a maioria das consequências de atitudes que tomamos, ou do ambiente que vivemos, mas o saber disso nos faz desanimar.
Olhamos para nossas famílias, igrejas, comunidades, ambientes de trabalho e sabemos que o que estamos vendo não produzirão bons frutos, mas, nessa manhã, se Deus o colocou lá, se Deu lhe deu sementes dos céus, então, continue a semear. Um dia você vai ser surpreendido, mesmo que seja na eternidade.
Sementes dos céus só são dadas àquele que vive no secreto com o Pai e nos ambientes onde Ele tem liberdade de agir. Você quer ser um semeador do Reino? Então precisa receber sementes do Pai e preservar caminhando com outros semeadores na comunidade da fé. A colheita acontecerá, a alegria acontecerá, mas só os semeadores do Reino as desfrutarão. Que Deus possa produzir através de nossa ação contínua de semear a cem por um por onde passarmos. Que o Reino dos céus seja plantado na terra, até que o céu e a terra seja um só lugar. Eu termino essa reflexão com uma poesia escrita por um anônimo, mas que pode ser a nossa oração diária pelo caminho da vida:
“Senhor, que eu possa semear flores no meu caminho, mas quando me faltarem as forças ou eu esquecer a fé, me pegue no colo, me conduza, não permita que eu me perca. Entregue-me novas sementes para que eu continue a florir por onde eu passar.”

Rolar para o topo