Somos Todos Missionários

SOMOS TODOS MISSIONÁRIOS
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.” (Mateus 28.19,20)
Toda vez que somos impactados pelo testemunho de irmãos que foram chamados por Deus à missão de ir a outros para testemunhar do seu amor, temos a tendência de olhá-los como alguém diferenciado que está em missões. Com certeza eles estão em uma missão específica no Reino, que tem decisões, preços e compromissos diferenciados dos nossos, mas não significa que eles são missionários e nós não.
A palavra “missionário” significa aquele que recebeu ou assumiu a incumbência de realizar determinada tarefa ou promover a sua concretização. Então, de acordo com o texto lido, somos todos missionários. Missões é obra de Deus confiada à Igreja, que envia seus membros ao mundo para a proclamação e prática da Palavra, e instalação e expansão do seu Reino na Terra.
Deus nos tem dado perseverança, convicção, determinação, espírito de oração e amor aos povos de todo o mundo, entendendo que alcançar todas as nações é uma tarefa dada por Ele, que cumprir esse chamado é tarefa de todo cristão e que a esfera de ação da Igreja é o mundo (Livro: DNA e Propósito).
Como disse o missionário Marcos Grava, Deus teve um único filho e fez dele um missionário. E eu completaria: para que todos os seres humanos fossem adotados como seus filhos e se tornassem missionários do seu Reino. Nesta manhã, Deus relembra a você sua condição de filho e o desperta para sua função de filho missionário. Se é filho, logo é missionário.
Porque somos todos missionários…
1. Devemos estar focados na MISSÃO
“Suporte comigo os sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou… Esta palavra é digna de confiança: Se morremos com ele, com ele também viveremos; se perseveramos, com ele também reinaremos. Se o negamos, ele também nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.” (2ª Timóteo 2.3-4,11-13)
A missão vem de Deus e a missão Dele é se revelar-se aos homens. Por isso Deus enviou Jesus para se revelar-se de maneira completa ao homem e transformá-los em filhos, assim como Jesus o é. Sendo filhos temos um papel, uma função e um lugar para que a missão de Deus, que é se revelar-se, seja compreendida através da pessoa de Jesus.
Fomos feitos filhos de Deus, não para sermos melhores do que outros, para que tudo se vá bem com a nossa vida, para que as enfermidades não nos cheguem, para que as crises não nos peguem. Deus nos fez seus filhos param se revelar através de nossa nova identidade.
Meus irmãos missionários, está na hora de pararmos de viver para nós, em nome de Jesus, e viver para Deus através do nosso viver diário. Precisamos entender que tudo o que somos e fazemos tem haver com o Reino, tem haver com o fato de revelarmos a pessoa de Deus. Seu nome dado por seus pais teve algum significado ou expectativas sobre sua vida, mas Deus, ao chamá-lo, lembra a você de que seu nome tem haver com a missão Dele e não com a sua.
Hoje, o mundo lhe quer vocacionado para viver para seus interesses malignos, que com sua mensagem mentirosa, dita o seu valor, o seu poder, o seu individualismo. Mas Deus, ao nos chamar para sua Missão, nos chama através da vocação para realizarmos e gerarmos ações do Reino. Com isso, tudo que somos e fazemos deve gerar para o Reino.
Muitas vezes desejamos não ser esquecidos ou montamos nossos pequenos ou grandes impérios, onde o nosso nome seja visto, mas, se você focar em Deus e em sua missão, suas ações serão eternas, como o próprio dono da missão.
Vocação é o nome pelo qual Deus nos chama. Seu nome revela às pessoas quem é Deus e elas o chamam por aquilo que enxergam de Deus em você. Quando você chega à sua casa, trabalho, grupo de amigos, com que nomes você é revelado, com nomes que revelam Deus ou o diabo?
Os nomes que revelam Deus é quando as pessoas o chamam de solidário, de amor, de esperança, de paciência, de alegria, enfim, todos os nomes que revelam o fruto do Espírito Santo em nós. Temos nos distraídos na missão de Deus, querendo terceirizar nossa vocação de missionários, crendo que só está na missão aquele que foi chamado para uma tarefa específica.
No mês de missões, Deus quer nos lembrar de que quando nos fez filhos, mudou nossa identidade e nossa maneira de viver. Ficamos por muito tempo querendo saber o que Deus queria que fizéssemos, e Ele só quer que demonstremos onde estamos à sua Pessoa. Você é um missionário em sua casa, seu trabalho, com seus amigos, seu grupo social, isto é, em todas as facetas de sua existência, você está em missão.
O que nos distrai? Queremos os nomes do mundo – orgulho, conforto, sucesso, ascensão profissional, capacidade de adquirir bens, os negócios dessa vida, as mentiras desse mundo, o medo de sofrer e morrer para que Cristo viva em nós, de tal maneira que usemos o nome de Jesus para alcançarmos nomes que nada tem haver com a Sua identidade e nem com a nossa.
Para Deus não importa se estamos pastores, mães, engenheiros, médicos, professores. Para Ele importa nós entendermos a nossa identidade. Todos esses papéis, funções e lugares servirão para que possamos cumprir a missão de Deus no mundo.
Ester estava no palácio e quando precisou cumprir sua vocação, quis se omitir, esquecendo que Deus a colocou naquele tempo e lugar para cumprir a Sua missão. Deus o colocou onde você está, não para fazê-lo importante, mas para você revelar a Pessoa Dele naquele lugar estratégico que hoje você está. Pense: você é um missionário focado na missão ou distraído pelo pecado e negócios desse mundo, já pertencentes ao maligno?
Porque somos todos missionários…
2. Devemos levar ESPERANÇA por onde passamos
“A eles quis Deus dar a conhecer entre os gentios a gloriosa riqueza deste mistério, que é Cristo em vocês, a esperança da glória.” (Colossenses 1.27)
Quanta esperança falta em nosso mundo. Quantas pessoas desiludidas com a vida, com seus sonhos, com suas ideologias, com seus familiares, com suas profissões. Quanta gente sem vida, porque lhes falta esperança. A palavra esperança significa esperar por algo. Mas a nossa esperança, que como missionários devemos levar, não é só a espera por algo, é a espera certa que de maneira nenhuma nos faltará o que Deus nos prometeu. E o que Deus nos prometeu desde o início da humanidade? Ele nos prometeu a devolução de nossa existência, voltando a ser a imagem e a semelhança dele, experimentando, de novo, a comunhão com Ele.
A esperança não e uma ideia, um projeto. A esperança que levamos é uma pessoa – Jesus – que deixou a glória de Deus para revelar-se ao homem, para que, novamente, essa glória de Deus pudesse viver em cada um que cresse. Já entendemos que nossa vida é revelar Deus através de nossos papéis e, nesses papéis, precisamos afetar as pessoas, mostrando a elas que há esperança, porque Cristo vive em nós e também pode viver nelas. Ter Cristo vivendo em nos é o sinal que o que nos separava de Deus foi vencido, voltamos a refletir a glória de Deus como obra-prima da sua criação. Ter Cristo vivendo em nós é anunciar que a vida voltou ao seu propósito.
Agora uma pergunta deve nos incomodar: somos de Cristo e vivemos nele; então, o que estamos levando de esperança por onde passamos? Nosso discurso tem Jesus, mas, na verdade, será que nossas atitudes têm dado esperança pelo fato de Deus viver em nós?
Como missionários, muitas vezes, levamos muitas coisas: estratégias, denominações, pastores, Igrejas. Nossas bocas e nossas atitudes levam desilusão, maledicência, desesperança, levamos obras da carne em vez de obras do Espírito. Quanto mais nos relacionarmos com Deus, mais levaremos esperança de mudanças, não de governos, situações sociais, mudanças morais, mas de mudança de identidade de escravos para filhos. O que você tem levado na caminha da vida? Deus conta conosco para contarmos o segredo que nos faz viver: a esperança de Cristo viver em nós.
Porque somos todos missionários…
3. Devemos agir por AMOR
“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá. O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade… Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” (1ª Coríntios 13.1-8,13)
Podemos estar envolvidos em muitos projetos de amor e, mesmo assim, não agirmos por amor. Esse poema escrito pelo apóstolo Paulo, serve como gabarito para que avaliemos se agimos por amor ou não. Esse texto, além de ser gabarito, revela a essência de Deus, porque a Palavra de Deus não diz que Deus age em amor, mas diz que Ele é o próprio amor.
Quando vivemos em Deus, agimos em amor. Jesus relata que, no juízo final, os benditos serão aqueles que agiram em amor. A Bíblia nos diz que as boas obras são frutos daqueles que receberam o grande amor de Deus e agora os repartem sinalizando o resultado da reconciliação com Cristo fez em suas vidas.
A questão não é o que fazemos, mas por quê e como fazemos. Há muitos fazendo boas obras, mas tem haver com o pagamento próprio de sua salvação, tem haver com seus interesses próprios e construções de seus nomes. Mas aquele que faz naturalmente, faz porque é filho e age porque deseja que outros também sejam filhos de Deus. Fazer em nome de Jesus, não significa agir em amor. Ao longo da história vimos tantos em nome de Deus e Jesus causarem as maiores dores da humanidade. Em nome de Deus, o povo de Israel crucificou Jesus, a quem tanto esperavam.
O tempo distorce quem Deus é e seus planos, por isso Jesus veio, para que sempre quando nos desviarmos e nos perguntarmos se estamos na missão agindo no amor, não respondamos baseados nos nossos “achismos”, nas nossas leituras, nos nossos referenciais, mas voltemos para as Escrituras e observemos as ações de amor de Jesus.
Jesus nos ensina a agir em amor através da compaixão, da inclusão, da reconciliação, do recomeçar, do perdoar, do abençoar, do multiplicar, do curar, do se relacionar, do falar a verdade, do aliviar, enfim, agir como o Pai de amor é. Como missionário do Reino você tem agido nesse amor de Deus revelado em Jesus?
Conclusão:
Gostaria de terminar essa reflexão com um poema do Pr Edson Barbosa que, quando ouvi, fui às lágrimas, porque resumi a decisão daqueles que aceitam a sua identidade com o filho e as decisões de viver a vida Nele:
“Alguns ajuntam dinheiro no caminho da vida, outros ajuntam flores e descansam da labuta da vida, mas eu, eu ajuntarei vidas humanas, dentre os espinhos do pecado, eu procurarei um rosto cansado, um rostinho sardento, uma boquinha banguela, eu procurarei os pobres de todas as pobrezas, aqueles a quem foi imposta uma vida pequena, despida de dignidade, eu procurarei os tristes, eu procurarei os sós, eu procurarei os desabraçados, eu procurarei os solitárias, eu procurarei aqueles que não conhecem ouvidos, porque dinheiro não entrara naquela terra da eternidade e as flores ajuntadas morrerão à beira do caminho, mas eles, eles todos, sorridentes quando eu atravessar o mar, e ao por do sol da justiça os portais se abrirem em par em par, na casa do pai, eles eu tenho certeza que levarei comigo”.
Que hoje você missionário, foque na missão, leve esperança e aja em amor.
Porque somos todos missionários…
1. Devemos estar focados na MISSÃO
2. Devemos levar ESPERANÇA por onde passamos
3. Devemos agir por AMOR

 

Rolar para o topo