Conselhos de Deus em Tempos de Frustração (08/11/2015 – noite)

CONSELHOS DE DEUS EM TEMPOS DE FRUSTRAÇÃO
mensagem pregada pelo Pr. Marcos Panisset
Texto Bíblico: 1º Samuel 1.1-28
O que Deus tem a nos dizer diante da frustração causada pela privação de uma necessidade ou por um desejo intenso não realizado. O primeiro livro de Samuel começa com uma história linda e muito bem contada. Primeiramente são apresentados os personagens do enredo e, em seguida, narra-se a angústia de Ana. A narrativa cresce em tensão até um desfecho surpreendente com uma linda oração.
A história de Ana se passa no período da história de Israel em que o povo já tinha tomado posse da terra prometida e vivia o governo de juízes. Na verdade, este já é o final deste período dos juízes, pois será Samuel (filho de Ana) que fará a transição para a monarquia em Israel.
Nesta época dos juízes, o contexto político era conturbado, pois a ameaça do domínio filisteu pairava sobre Israel. Estabelecidos na planície marítima a sudoeste da Palestina, eles começaram a invadir as terras israelitas nos dias de Sansão. O povo de Deus carecia de uma liderança centralizada e não conseguia expulsar os invasores.
Eli era o sacerdote de Israel e juiz na cidade de Siló, centro religioso do país. Nesta época, Siló era do tabernáculo. O tabernáculo era um santuário portátil no qual Deus habitou entre os israelitas estando no deserto. Foi usado por muito tempo depois que os israelitas entraram em Canaã. Durante o período dos juízes esteve em Siló (Josué 18.1).
Contudo, embora o tabernáculo indicasse a presença de Deus entre o povo, Israel vivia um tempo de decadência espiritual. Os sacerdotes Hofni e Finéias, filhos de Eli, trataram com irreverência o santuário e roubavam continuamente do povo em suas ofertas (1º Samuel 2.12-17,22-25).
A apostasia em Israel havia alcançado o nível mais baixo nos dias de Eli. Ele fracassou em ensinar seus filhos a reverenciar a Deus, da maneira como Deus havia claramente instruído os filhos de Israel:
“Moisés disse ao povo: — São esses os mandamentos e as leis que o SENHOR, nosso Deus, mandou que eu ensinasse a vocês. Portanto, obedeçam a esses mandamentos na terra em que vão entrar e que vão possuir. Temam o SENHOR, nosso Deus, vocês, os seus filhos e os seus netos, e cumpram sempre todos os mandamentos e leis que eu lhes estou dando e assim vocês viverão muitos anos. Povo de Israel, tenha o cuidado de cumprir a lei de Deus. Então, conforme disse o SENHOR, o Deus dos nossos antepassados, tudo correrá bem para vocês, e vocês se tornarão numerosos naquela terra boa e rica onde vão viver. Escute, povo de Israel! O SENHOR, e somente o SENHOR, é o nosso Deus. Portanto, amem o SENHOR, nosso Deus, com todo o coração, com toda a alma e com todas as forças. Guardem sempre no coração as leis que eu lhes estou dando hoje e não deixem de ensiná-las aos seus filhos. Repitam essas leis em casa e fora de casa, quando se deitarem e quando se levantarem. Amarrem essas leis nos braços e na testa, para não as esquecerem; e as escrevam nos batentes das portas das suas casas e nos seus portões.” (Deuteronômio 6.1-9)
Este período dos juízes demonstra que a presença de Deus (no tabernáculo) pode se tornar algo trivial em nossas vidas e que não gera mais em nós o devido temor e zelo por uma vida santa.
Por conta de sua esterilidade, Ana acumulava tensões em sua vida, o que a levava a viver em frustração. Frustração é o “estado daquele que, pela ausência de um objeto ou por um obstáculo externo ou interno, é privado de satisfação de um desejo ou de uma necessidade” (Dicionário Aurélio).
A impossibilidade de gerar filhos era fato notório na sociedade daquela época. No caso de Ana, portanto, sua frustração decorria de inúmeros conflitos:

  • Conflito pessoal: incapacidade de gerar e dar descendentes a Elcana.
  • Conflito familiar: dividir o marido com uma mulher fértil que a hostilizava.
  • Conflito social: as mulheres obtinham seu próprio valor tendo filhos.
  • Conflito religioso: a esterilidade era considerada uma punição divina.
  • Conflito emocional: nos dias do AT, era considerado uma desgraça o fato de uma mulher casada não ter nenhum filho.
  • Problemas físicos e emocionais: “chorava e não comia” (sintomas de depressão).

Que crises têm levado você à frustração?
Como lidar com a frustração?
1. BUSQUE a presença de Deus.
A viagem de Elcana e sua família foi provavelmente para celebrar uma das festividades judaicas. No entanto, Ana sai da festa e vai ao tabernáculo para um encontro íntimo com Deus. Ela deixa a agitação e o barulho da festa para olhar a agitação e a dor da sua alma. Este movimento muito dolorido permitiu que Ana se colocasse diante de Deus de maneira humilde e dependente. Buscar a presença de Deus a livrou das neuroses e complexos decorrentes da frustração.
Penina também se sentia frustrada por ser a segunda esposa (a lei permitia alguém se casar com mais de uma mulher – Deuteronômio 21.15-17), e não ter a preferência e a atenção da esposa amada. Ela, contudo, reage à frustração com agressividade, oprimindo, abusando e irritando sua rival Ana.
Diante do desejo reprimido, como você tem reagido? Como Penina, oprimindo, abusando quem convive com você; ou como Ana, se humilhando debaixo da potente mão de Deus. Veja a atitude correta recomendada pelo apóstolo Pedro:
“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte.” (1ª Pedro 5.6, RC)
“Portanto, sejam humildes debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo”. (1ª Pedro 5.6, NTLH)
Quando humilhamos a nós mesmos sob a poderosa mão de Deus, aceitamos de boa vontade a sua disciplina em nosso benefício e para sua glória. Com gratidão, reconhecemos sua libertação, que sempre vem a seu tempo e à sua maneira.

  • A presença de Deus proporciona DESCANSO.

Depois que o povo de Israel faz um bezerro de ouro, Moisés ora a Deus pedindo perdão para o seu povo. Deus feriu o povo e disse:
“… enviarei um ajo adiante de ti…” (Êxodo 33.2)
O povo ouviu a notícia começou a prantear. Moisés fala com Deus, intercede e roga a presença dEle dizendo: quem hás de enviar comigo? E Deus responde a Moisés dizendo:
“Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso.” (Êxodo 33.14 RA)

  • A presença de Deus CONFORTA NAS PROVAS.

“Quando você atravessar águas profundas, eu estarei ao seu lado, e você não se afogará. Quando passar pelo meio do fogo, as chamas não o queimarão.” (Isaías 43.2 NTLH)
Como lidar com a frustração?
2. DERRAME-SE na presença de Deus.
Ana se coloca diante de Deus “com amargura de alma”. Ela mesma descreve seus sentimentos ao sacerdote Eli:
“Venho derramando a minha alma perante o Senhor, abrindo meu coração para o Eterno.”
“… eu não estou bêbada. Não bebi nem vinho nem cerveja. Estou desesperada e estava orando, contando a minha aflição ao SENHOR.” (1º Samuel 1.16)
Este derramar é uma ação definitiva e completa, onde nada fica guardado. Ana se esvazia, confiando no caráter amoroso de Deus. As orações mais intensas, são aquelas que nascem do choro, da dor e da crise humana.
“Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” (1ª Pedro 5.7, RA)
“Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois ele cuida de vocês.” (1ª Pedro 5.7, NTLH)
Lançar significa literalmente “jogar fora”. Remete-nos a ideia de “arremessar”.

PARA RECEBER O QUE DEUS TEM PARA NÓS, PRECISAMOS JOGAR SOBRE ELE NOSSA ANSIEDADE.

“Deus quer nos dar tudo, mas não estará em condições de fazê-lo se as nossas mãos estiverem cheias.” (Santo Agostinho)

A razão para que não tenhamos ansiedade é a (PROMESSA?) que Jesus nos dá.
“Por isso eu digo a vocês: não se preocupem com a comida e com a bebida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para se vestir. Afinal, será que a vida não é mais importante do que a comida? E será que o corpo não é mais importante do que as roupas? Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam, não colhem, nem guardam comida em depósitos. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos? E nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso. E por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem as flores do campo: elas não trabalham, nem fazem roupas para si mesmas. Mas eu afirmo a vocês que nem mesmo Salomão, sendo tão rico, usava roupas tão bonitas como essas flores. É Deus quem veste a erva do campo, que hoje dá flor e amanhã desaparece, queimada no forno. Então é claro que ele vestirá também vocês, que têm uma fé tão pequena! Portanto, não fiquem preocupados, perguntando: Onde é que vamos arranjar comida? ou Onde é que vamos arranjar bebida? ou Onde é que vamos arranjar roupas? Pois os pagãos é que estão sempre procurando essas coisas. O Pai de vocês, que está no céu, sabe que vocês precisam de tudo isso. Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas. Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades.” (Mateus 6.25-34)
Duas formas de se derramar: de uma só vez; em conta-gotas. COMO VOCÊ APRESENTA SUA ANSIEDADE DIANTE DE DEUS? DE UMA SÓ VEZ OU EM CONTA-GOTAS PARA ASSEGURAR O CONTROLE?
Como lidar com a frustração?
3. CONSAGRE seu desejo a Deus.
Em sua oração Ana faz um voto de que se Deus lhe permitisse conceber um filho, ela o dedicaria a Deus por toda a sua vida. Ter um filho era seu maior desejo, mas ela consagrou as primícias (os primeiros frutos) de seu ventre ao Senhor. Segundo a lei de Moisés, Ana fez um voto nazireu (Números 6.1-21).
Nazireu é aquele que se separa para obra de Deus, por voto penitencial ou devocional, por tempo determinado. Três eram as obrigações:

  • Abster-se de bebidas alcoólica, porque seu prazer deveria estar no Senhor.
  • Não cortar os cabelos, em sinal de humildade, lealdade, obediência, padecendo opróbrio pelo Senhor.
  • Evitar contato com os mortos, porque o Senhor é santo.

Ana cumpre o voto quando Samuel é desmamado. Ela volta a Siló com uma oferta especial para o cumprimento de um voto, e ela diz ao sacerdote Eli que o menino era resposta de sua oração e ela o trazia “como devolvido ao Senhor”. Este é o verdadeiro significado da consagração: entender que todas as bênçãos vêm de Deus são para servi-lo e glorificá-lo. Oferecer a Deus aquilo que é mais caro faz parte de uma dinâmica de relacionamento de dependência total de Deus e confiança no seu cuidado.

DEUS QUER TOMAR O LUGAR DAQUILO QUE TOMA LUGAR NO SEU CORAÇÃO.

“Grandes missões requerem grandes sacrifícios.” (Champlin)

O que tem frustrado você?
• Falta de tempo?
• Falta de dinheiro?
• Desemprego?
VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A DEDICAR ISTO QUE VOCÊ AINDA NÃO RECEBEU AO SENHOR?
Como lidar com a frustração?
4. APRENDA a esperar e confiar em Deus.
O ânimo de Ana foi restaurado na presença do Senhor:
“… e o seu semblante já não era triste.” (v.18)
Ela aprendeu a esperar e confiar no Senhor. Quando sua oração foi respondida, ela cumpriu seu voto:
“Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a minha petição que eu lhe tinha pedido.” (v.27)
Deus tinha um chamado e um propósito especial para Samuel. Ele foi um instrumento providencial na restauração espiritual de Israel e na transição do governo dos juízes para a monarquia. Pela sua fidelidade, Ana foi abençoada com mais três filhos e duas filhas (1º Samuel 2.20-21). Tendo em vista esta grande transformação em sua vida – da frustração à bênção, Ana compôs um cântico de triunfo e gratidão, profetizando o reino de Cristo e os caminhos da providência divina.
“Então Ana orou assim: O SENHOR Deus encheu o meu coração de alegria; por causa do que ele fez, eu ando de cabeça erguida. Estou rindo dos meus inimigos e me sinto feliz, pois Deus me ajudou. Ninguém é santo como o SENHOR; não existe outro deus além dele, e não há nenhum protetor como o nosso Deus. Não fiquem contando vantagens e não digam mais palavras orgulhosas. Pois o SENHOR é Deus que conhece e julga tudo o que as pessoas fazem. Os arcos dos soldados fortes estão quebrados, mas os soldados fracos se tornam fortes. Os que antes estavam fartos agora se empregam para ganhar comida, mas os que tinham fome agora estão satisfeitos. A mulher que não podia ter filhos deu à luz sete filhos, mas a que possuía muitos filhos ficou sem nenhum. O SENHOR Deus é quem tira a vida e quem a dá. É ele quem manda a pessoa para o mundo dos mortos e a faz voltar de lá. Ele faz com que alguns fiquem pobres e outros, ricos; rebaixa uns e eleva outros. Deus levanta os pobres do pó e tira da miséria os necessitados. Ele faz com que os pobres sejam companheiros dos príncipes e os põe em lugares de honra. Os alicerces da terra são de Deus, o SENHOR; ele construiu o mundo sobre eles. Ele protege a vida dos que são fiéis a ele, mas deixa que os maus desapareçam na escuridão, pois ninguém vence pela sua própria força. Os inimigos de Deus, o SENHOR, serão destruídos; ele trovejará do céu contra eles. O SENHOR julgará o mundo inteiro; ele dará poder ao seu rei e dará a vitória a esse rei que ele escolheu.” (1º Samuel 2.1-10)
Como posso também celebrar vitória sobre minhas frustrações?
Pontuei no texto algumas atitudes de Ana:

  • Choro – v.7
  • Levantou-se – v.9
  • Orou ao Senhor – v.10
  • Fez um voto – v.11
  • Derramou a alma perante o Senhor – v.15
  • Cumpriu o voto – v.28
  • Adorou ao Senhor – v.28

Coração turbado é a coisa mais comum do mundo. Todas as pessoas de todas as classes sociais, de todas as idades e credos religiosos sabem o que é um coração turbado. Nenhuma segurança ou sistema de alarme pode deixar do lado de fora, esse avassalador assaltante da alma. As causas que deixam o nosso coração turbado vêm de dentro e também de fora. Emanam da nossa mente e também do nosso corpo. Vêm daquilo que amamos e também do que tememos.
Jesus estava se despedindo dos seus discípulos. Aquela era a quinta-feira do Getsêmani; a quinta-feira do suor de sangue; a quinta-feira da traição de Judas; a quinta-feira da negação de Pedro; a quinta-feira da prisão de Jesus.
“Jesus disse: Não fiquem aflitos. Creiam em Deus e creiam também em mim. Na casa do meu Pai há muitos quartos, e eu vou preparar um lugar para vocês. Se não fosse assim, eu já lhes teria dito. E, depois que eu for e preparar um lugar para vocês, voltarei e os levarei comigo para que onde eu estiver vocês estejam também.” (João 14.1-3)
A FÉ EM CRISTO, O REMÉDIO PARA A DOENÇA DO CORAÇÃO TURBADO. As crises vêm. Os problemas aparecem. As tempestades nos ameaçam. Os ventos contrários conspiram contra nós, mas CONTINUEM CONFIANDO EM MIM, disse Jesus! Em Marcos 4.31-35 Jesus perguntou aos discípulos: Por que sois assim tímidos, por que não tendes fé? (Promessa, presença, paz, poder).
Conclusão:
Como lidar com a frustração?
1. BUSQUE a presença de Deus.
2. DERRAME-SE na presença de Deus.
3. CONSAGRE seu desejo a Deus.
4. APRENDA a esperar e confiar em Deus.
 

Rolar para o topo