A Manifestação do Poder do Alto (16/04/2015 – quinta)

Série: O PODER DO ALTO – 02/04
A MANIFESTAÇÃO DO PODER DO ALTO
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Pedro e João subiam ao templo na hora da oração, a nona. E aconteceu que um homem, aleijado de nascença, estava sendo carregado para a porta do templo chamada Formosa. Todos os dias o punham ali para pedir esmolas aos que entravam. Quando viu Pedro e João, que iam entrando no templo, pediu-lhes uma esmola. Fixando nele o olhar, Pedro, acompanhado de João, disse: olha para nós. E ele ficou olhando atentamente para eles, esperando receber alguma coisa. Então Pedro lhe disse: não tenho prata nem ouro. Mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! E, pegando-o pela mão direita, levantou-o. Imediatamente os pés e tornozelos do homem se firmaram. E ele, dando um salto, colocou-se em pé. Então começou a andar e entrou com eles no templo, andando, saltando e louvando a Deus. E todo o povo o viu andando e louvando a Deus; e reconheceu-o como o mesmo que se sentava, pedindo esmolas à porta Formosa do templo; assim, diante desse acontecimento, todos ficaram cheios de espanto e assombro.” (Atos 3.1-10)
Lucas faz uma transição da vida exemplar da igreja apostólica para o exemplo de Pedro e João, colunas da igreja. A igreja orava porque seus líderes eram homens de oração. A igreja experimentava as maravilhas divinas porque os apóstolos conheciam o poder do alto. A igreja abalou o mundo porque estava cheia do poder do alto.
Um famoso escritor afirmou que a igreja hoje está procurando melhores métodos, enquanto Deus está procurando melhores homens. Deus não unge métodos; Deus unge homens e mulheres cheios do poder do Espírito Santo, o poder do alto. Mas o que isso tem a ver com o relato a respeito da vida de Pedro e João, conforme os versos que lemos?
Pedro e João eram apóstolos cheios do poder do alto. E não somente isso, muitas maravilhas eram feitas através dos apóstolos de acordo com o capítulo dois de Atos. Pedro e João tinham uma vida que permitia que o Espírito Santo de Deus, o poder do alto, pudesse se manifestar entre aqueles que estavam ao seu redor.
Eles nos ensinam como é possível ser um canal da manifestação do poder do alto na vida de outras pessoas. Vejamos as lições preciosas podemos aprender com estes homens de Deus!
A manifestação do poder do alto acontece…
1. Quando há compromisso com a ORAÇÃO
“Pedro e João subiam ao templo na hora da oração, a nona.” (Atos 3.1)
A oração era a prioridade na vida dos apóstolos. Eles oraram para receber a promessa do Pai (Atos 1.14). Diante da ameaça do Sinédrio, oraram e pediram mais intrepidez para pregar, e o mundo foi abalado (Atos 4.31). Infelizmente, hoje é o mundo que abala a igreja! Como alguém que abriga o Espírito Santo, o poder do alto, qual tem sido a sua prioridade na vida?
Palavras sem oração são palavras mortas. Uma igreja que ora abre as portas para a intervenção milagrosa de Deus. Perguntaram a Charles Spurgeon qual era o segredo do sucesso do seu ministério. Ele respondeu o seguinte:

“Eu trabalho de joelhos. Meu lugar santo de oração vale mais do que toda a minha biblioteca.”

John Kbnox, no século XVI, mudou a realidade religiosa da Escócia. Ele era um homem que agonizava em oração. Seu clamor contínuo era o seguinte: “Dá-me a Escócia para Cristo, senão eu morro.”.
Ao longo da história, os que triunfaram nas pelejas e viram as manifestações grandiosas de Deus foram aqueles que oraram. Foi assim com os reis Josafá e Ezequias no reino de Judá. Foi assim com Neemias, Jesus e os apóstolos.
Uma igreja que ora, cresce e se fortalece quando seus líderes são homens de oração. Se você quiser ser um canal da manifestação do poder do alto vai precisar comprometer sua vida com a oração.
A manifestação do poder do alto acontece…
2. Quando a vida é respaldada pelo EXEMPLO
“E aconteceu que um homem, aleijado de nascença, estava sendo carregado para a porta do templo chamada Formosa. Todos os dias o punham ali para pedir esmolas aos que entravam. Quando viu Pedro e João, que iam entrando no templo, pediu-lhes uma esmola. Fixando nele o olhar, Pedro, acompanhado de João, disse: olha para nós. E ele ficou olhando atentamente para eles, esperando receber alguma coisa.” (Atos 3.2-5)
Era estratégico colocar um mendigo na porta do templo. As pessoas que entram para adorar a Deus normalmente estão mais sensíveis à necessidade do próximo. Não é possível amar a Deus, a quem não vemos, se não amamos o próximo, a quem vemos.
Eram três horas da tarde, prestes a começar uma reunião de oração no templo. Pedro e João estavam passando, quando o paralítico lhes pediu uma esmola. Juntamente com João, Pedro fitou o paralítico e disse o seguinte: “olhe para nós”. Para nós, isso fere a nossa teologia, porque costumamos dizer: “não olhe para nós, olhe para Jesus”.
A verdade é que Pedro e João aprenderem aos pés de Jesus. A Palavra de Deus diz que nós somos cartas de Cristo (2Co 3.2). O apóstolo Paulo, escrevendo aos crentes de Corinto, disse:
“Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (1 Coríntios 11.1)
Será que podemos dizer ao mundo o mesmo que Pedro e João disseram ao paralítico: olhe para nós? Será que os pais podem dizer aos filhos: olhem para nós? Será que os patrões podem dizer aos empregados: olhem para nós? Infelizmente, hoje há um grande abismo entre o que falamos e o que fazemos, entre o discurso e a vida, entre a doutrina e a prática. Nossa vida não combina com a nossa mensagem. Alguém disse que o subcristianismo é pior do que o anticristianismo. Certa feita Mahatma Gandhi disse a alguns crentes na Índia: “No vosso Cristo eu creio, só não creio no vosso cristianismo.”.
Se você quiser ser um canal da manifestação do poder do alto sua vida vai precisar ser respaldada pelo exemplo. Sua vida vai precisar combinar com a sua mensagem.
A manifestação do poder do alto acontece…
3. Quando temos uma vida cheia de COMPAIXÃO
“Então Pedro lhe disse: não tenho prata nem ouro. Mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! E, pegando-o pela mão direita, levantou-o. Imediatamente os pés e tornozelos do homem se firmaram.” (Atos 3.6-7)
Pedro e João demonstravam compaixão, e não apenas religiosidade. Interromperam o exercício espiritual da oração das três horas da tarde para se envolverem com o paralítico à porta do templo. Eles não agiram como o sacerdote e o levita da parábola do bom samaritano. Alguns indivíduos fecham os olhos para os necessitados porque dão mais valor ao ritual do que às pessoas. São zelosas de suas tradições religiosas, mas indiferentes ao próximo.
Pedro e João fitam os olhos no paralítico. Muitos acham melhor doar uma mísera esmola e virar o rosto. Pedro e João olharam e encararam o mendigo de frente. Eles o trataram como gente! Pedro falou diretamente com ele, colocou-se à disposição para ajudar, para ser referencial e modelo. Pedro compartilhou com o mendigo tudo o que possuía. Pedro tinha consciência de que havia recebido o poder do Espírito Santo – o poder do alto – e a autoridade do nome de Jesus. O poder não é usado para benefício próprio, mas para abençoar pessoas. Poder sem compaixão e apenas autopromoção. Se você quiser ser um canal da manifestação do poder do alto vai precisar ter uma vida piedosa, cheia de compaixão.
A manifestação do poder do alto acontece…
4. Quando cremos nos MILAGRES do Senhor
“Imediatamente os pés e tornozelos do homem se firmaram. E ele, dando um salto, colocou-se em pé. Então começou a andar e entrou com eles no templo, andando, saltando e louvando a Deus. E todo o povo o viu andando e louvando a Deus; e reconheceu-o como o mesmo que se sentava, pedindo esmolas à porta Formosa do templo; assim, diante desse acontecimento, todos ficaram cheios de espanto e assombro.” (Atos 3.7-10)
A milagrosa cura do coxo foi um fato público, verificável e incontestável. O homem curado nasceu de coxo e tinha mais de quarenta anos. Todos os dias ele era colocado à porta do templo. Portanto, era conhecido de todos. Sua cura foi um testemunho incontestável do poder de Jesus e uma prova de sua ressurreição dentre os mortos. Podemos observar três verdades aqui:

  • A cura foi EM NOME DE JESUS – o poder da cura está no nome de Jesus e não em Pedro. Pedro não aceita a glória para si, mas credita inteiramente ao nome de Jesus (Atos 3.12).
  • A cura foi realizada mediante a FÉ – (Atos 3.16) – a é não é a causa do milagre, mas seu instrumento. Claramente foi a fé dos apóstolos o instrumento da cura do paralítico, pois ele estava totalmente passivo nesse processo.
  • A cura foi instrumentalizada por PEDRO – (Atos 3.6) – Pedro foi o instrumento usado por Deus para, em nome de Jesus, levantar o paralítico.

Este foi o primeiro milagre apostólico depois do Pentecostes. Abriu as portas para o testemunho do evangelho. Após a segunda pregação de Pedro, o número de convertidos subiu de três mil para quase cinco mil pessoas (Atos 4.4).
O maior milagre é que Deus pode operar na vida de alguém é a salvação. Mas será que cremos de verdade nesse milagre? Será que cremos que Deus é capaz de transformar uma vida por completo? Se você quiser ser um canal da manifestação do poder do alto na vida de outras pessoas, vai precisar crer nos milagres que Deus operou, está operando e ainda vai operar!
Conclusão:
A grande pergunta nesta noite é: por que eu desejo ser um canal da manifestação do poder do alto na vida de outras pessoas? Qual é a motivação do meu coração para que o poder do alto se manifeste? A manifestação do poder do alto acontece quando o desejo da minha vida é ser como Jesus, quando a prioridade da minha vida é Jesus, quando a glória e a honra são dadas a Jesus!
A manifestação do poder do alto acontece…
1. Quando há compromisso com a ORAÇÃO
2. Quando a vida é respaldada pelo EXEMPLO
3. Quando temos uma vida cheia de COMPAIXÃO
4. Quando cremos nos MILAGRES do Senhor

 

Rolar para o topo