A Segunda Vinda de Cristo – Nossa Grande Esperança

A SEGUNDA VINDA DE CRISTO
NOSSA GRANDE ESPERANÇA
mensagem pregada pelos pastores Acyr Júnior e Marcelo Coelho Fernandes
“Escutem! – diz Jesus – Eu venho logo! Felizes os que obedecem às palavras proféticas deste livro! […] Escutem! – diz Jesus – Eu venho logo! Vou trazer comigo as minhas recompensas, para dá-las a cada um de acordo com o que tem feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim.” (Apocalipse 22.7,12-13)
A segunda vinda de Cristo é o assunto mais mencionado em toda a Bíblia. Há cerca de 300 referências sobre a primeira vinda de Cristo na Bíblia. Porém, há mais de 2.400 referências sobre a segunda vinda de Cristo em toda a Bíblia. A segunda vinda de Cristo é a clímax da história, o apogeu, a apoteose, o ponto culminante, a consumação de todas as coisas. A história não caminha sem rumo, nem está à deriva; ela caminha para a consumação, em que a vitória final será de Cristo Jesus e sua igreja.
O mesmo Jesus que nasceu em uma manjedoura, cresceu numa carpintaria, morreu na cruz, ressuscitou gloriosamente, está assentado no Trono à direita do Pai, reina absoluto e soberano sobre todo o universo, voltará em majestade para julgar as nações e reinar com a sua amada igreja. Quando olho para a Palavra de Deus e a comparo com os nossos dias, percebo o quão perto está de se cumprir essa promessa feita por Jesus. Os sinais profetizados por Jesus estão se cumprindo ano após ano e sua vinda está bem mais próxima do que podemos imaginar.
No episódio em que Jesus respondeu aos seus discípulos sobre o tempo do fim, Ele fala sobre os sinais da sua segunda vinda. Quais são estes sinais?
 A EVANGELIZAÇÃO DE TODAS AS NAÇÕES
“E a boa notícia sobre o Reino será anunciada no mundo inteiro como testemunho para toda a humanidade. Então virá o fim.” (Mateus 24.14)
Este é um sinal que mostra a graça de Deus. Jesus morreu para comprar aqueles que procedem de toda tribo, raça, povo, língua e nação. A igreja deve aguardar e apressar o dia da vinda de Cristo. Atualmente, os meios de comunicação têm acelerado o cumprimento dessa profecia. Bíblias têm sido traduzidas para milhares de línguas e dialetos, milhões delas são distribuídas e muitos missionários têm se levantado.
 A TRIBULAÇÃO
“Porque naqueles dias haverá um sofrimento tão grande como nunca houve desde que Deus criou o mundo; e nunca mais acontecerá coisa igual. Porém Deus diminuiu esse tempo de sofrimento. Se não fosse assim, ninguém seria salvo. Mas, por causa do povo que Deus escolheu para salvar, esse tempo será diminuído.” (Mateus 24.21,22)
A segunda vinda de Cristo será precedida de um tempo de profunda angústia e dor. Porém, esse tempo será abreviado por amor aos eleitos. A igreja passará por grande tribulação.
 A APOSTASIA
“Jesus respondeu: tomem cuidado para que ninguém engane vocês. Porque muitos vão aparecer fingindo ser eu e dizendo ‘Eu sou o Messias’, e enganarão muitas pessoas. […] Porque aparecerão falsos profetas e falsos messias, que farão milagres e maravilhas para enganar, se possível, até o povo escolhido de Deus.” (Mateus 24.4-5,24)
A segunda vinda de Cristo será precedida por um abandono da fé verdadeira. Haverá falsos profetas, falsos cristos, falsas doutrinas e falsos milagres, e enganarão até os escolhidos de Deus.
 A DEPRAVAÇÃO MORAL
“A maldade vai se espalhar tanto, que o amor de muitos esfriará.” (Mateus 24.12)
O mundo vai estar sem referência, perdido, confuso, sem balizas morais, sem um norte ético. Haverá a desintegração da família, a falência das instituições, o colapso dos valores morais e espirituais. A depravação moral dos nossos dias pode ser vista pelo índice de divórcios que já passa de 50% em alguns países, pelo aplauso e incentivo ao homossexualismo, pela poderosa indústria da pornografia, pela imoralidade tratada como arte, pelo narcotráfico que está afundando a juventude nas drogas, pela corrupção moral presente nas cortes e nas igrejas.
 O ANTICRISTO
“E Jesus continuou: vocês verão no Lugar Santo ‘o Grande Terror’, de que falou o profeta Daniel.” (Mateus 24.15)
O Grande Terror de que fala Daniel é um tipo do anticristo que virá no tempo do fim. Seu espírito já está operando no mundo. Ele se opõe e se levanta contra tudo o que é de Deus. Ele vai se levantar para perseguir a igreja. Ninguém resistirá ao seu poder e autoridade. Ele vai perseguir, controlar e matar. Muitos crentes serão mortos e selarão seu testemunho com a própria morte.
O anticristo é um homem sem lei, uma espécie de encarnação de Satanás, que vai agir com força e no poder de Satanás. Ele será levantado em um tempo de apostasia. Governará com mão de ferro. Perseguirá os santos de Deus e blasfemará contra Deus. No entanto, no auge do seu poder, Cristo virá em glória e o matará com o sopro da sua boca. Ele será quebrado sem esforço humano. Nessa batalha final, a única arma usada será a espada afiada que sairá da boca do Senhor Jesus.
 AS GUERRAS
“Não tenham medo quando ouvirem o barulho de batalhas ou notícias de guerras. Tudo isso vai acontecer, mas ainda não será o fim. Uma nação vai guerrear contra outra, e um país atacará outro.” (Mateus 24.6,7)
O mundo está encharcado de sangue. Houve mais tempo de guerra do que de paz. O mundo está em pé de guerra. Estamos às portas de mais uma guerra mundial, agora com armas atômicas, nucleares, químicas e biológicas.
 OS TERREMOTOS
“… Em vários lugares haverá […] tremores de terra.” (Mateus 24.7)
O mundo está sendo sacudido por terremotos em vários lugares. Os tufões e maremotos têm sepultado cidades inteiras. Tsunamis e furacões têm arrasado países, levando milhares de pessoas à morte. A natureza está gemendo e entrando em convulsão. Apocalipse 6 fala que as colunas do universo serão todas abaladas. O universo entrará em colapso.
 AS FOMES E EPIDEMIAS
“… Em vários lugares haverá […] falta de alimentos e epidemias…” (Lucas 21.11)
A fome alcança quase 50% da população do mundo. Ela é um subproduto das guerras. Crianças e idosos, com o ventre fuzilado pela dor da fome, disputam com cães e outros animais os restos apodrecidos de comida. E, enquanto isso, as epidemias estão se alastrando e apavorando a humanidade. A cada dia surge uma nova epidemia desafiando a ciência e deixando a humanidade perplexa.
Esta é ou não é a realidade dos nossos dias? Estamos ou não perto da segunda vinda de Jesus Cristo? Então, diante disso, como a igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo?
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo…
1. Com grande EXPECTATIVA
“Irmãos, vocês não precisam que eu lhes escreva a respeito de quando e como essas coisas vão acontecer. Pois vocês sabem muito bem que o Dia do Senhor virá como um ladrão, na calada da noite. Quando as pessoas começarem a dizer ‘tudo está calmo e seguro’, então é que, de repente, a destruição cairá sobre elas. As pessoas não poderão escapar, pois serão como uma mulher que está sentindo as dores de parto.” (1ª Tessalonicenses 5.1-3)
Paulo está dizendo aos crentes daquela igreja que, a despeito das coisas terríveis que acontecerão no tempo do fim, eles deveriam aguardar com grande expectativa a volta de Jesus, pois a segunda vinda de Jesus é a grande esperança para aqueles que creem. A segunda vinda de Cristo será em um tempo desconhecido pela igreja, será repentina, será inesperada, virá em um tempo de aparente paz e segurança no mundo, será inescapável – ninguém poderá escapar – e será um dia de glória e terror ao mesmo tempo. Mas, para os crentes em Cristo Jesus, será o dia de recompensa e de glória. Por isso, a igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo, não com pesar e nem com tristeza pelos acontecimentos, mas com grande expectativa.
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo…
2. Com profunda VIGILÂNCIA
“Mas vocês, meus irmãos, não estão na escuridão, e o Dia do Senhor não deverá pegá-los como um ladrão, que ataca de surpresa. Todos vocês são da luz e do dia. Nós não somos da noite nem da escuridão. Por isso, não vamos ficar dormindo, como os outros, mas vamos estar acordados e em nosso perfeito juízo. Os que dormem de noite e os que bebem, é de noite que ficam bêbados.” (1ª Tessalonicenses 5.4-7)
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo com profunda vigilância, pois ela é resultado de uma transformação espiritual. Os salvos são filhos da luz e filhos do dia e não estão mais nas trevas da ignorância e do pecado. A segunda vinda de Cristo não os apanhará desprevinidos e despreparados. Os salvos amam a segunda vinda, oram pela segunda vinda e apressam a segunda vinda por meio de um serviço consagrado. Mas é importante frisar, e Paulo faz isso nesse texto, que essa vigilância deve ser constante. Paulo fala sobre o perigo de o crente imitar o ímpio em vez de influenciá-lo; o perigo de assimilar o mundo em vez de confrontá-lo. Os filhos da luz não podem dormir como aqueles que vivem nas trevas.
Os filhos da luz devem estar atentos e viver de olhos abertos. Devem viver em obediência sabendo que o dia do juízo se aproxima. Mas, também, os filhos da luz devem ser sóbrios, vivendo preparados para a segunda vinda de Cristo a todo instante. Por isso, devemos ter azeite em nossas lâmpadas todo dia. Devemos vigiar todo dia. Devemos aguardar a vinda do Senhor todo dia. Devemos orar para Ele venha todo o dia. Sobre a vigilância, Jesus chegou a advertiu os seus discípulos:
“E Jesus terminou dizendo: portanto, fiquem vigiando porque vocês não sabem qual será o dia e a hora.” (Mateus 25.13)
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo…
3. Com corajosa MILITÂNCIA
“Mas nós, que somos do dia, devemos estar em nosso perfeito juízo. Nós devemos usar a fé e o amor como couraça e a nossa esperança de salvação como capacete.” (1ª Tessalonicenses 5.8)
Segundo o apóstolo Paulo, os crentes devem aguardar a segunda vinda de Cristo não como meros expectadores, mas como soldados militantes. Viver na expectativa da volta de Jesus não é vestir um lençol branco e assentar-se no alto de um monte. É exatamente isso que Deus condena. Aguardamos a segunda vinda de Cristo não fugindo dos embates do mundo, mas entrando no campo de combate como soldados de Cristo. Devemos lutar para acordar os que estão dormindo, vigiar para que o inimigo não nos envolva com suas astúcias.
Paulo também destaca o fato de que devemos aguardar a segunda vinda de Cristo protegendo nossos corações e mentes em Cristo. Mente e coração devem ser protegidos na medida em que entramos nessa batalha. O que pensamos e o que sentimos devem estar debaixo da proteção divina enquanto aguardamos a segunda vinda de Cristo. Razão e emoção precisam estar protegidas. A fé em Deus e o amor pelo povo de Deus são como uma couraça que cobre o coração.
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo…
4. Com sólida CONFIANÇA
“Deus não nos escolheu para sofrermos o castigo da sua ira, mas para nos dar a salvação por meio do nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós para podermos viver com ele, tanto se estivermos vivos como se estivermos mortos quando ele vier.” (1ª Tessalonicenses 5.9-10)
Os crentes devem aguardar a segunda vinda de Cristo com uma sólida confiança, porque têm certeza da glória, porque estão estribados na redenção realizada por Jesus na cruz do Calvário. A nossa salvação não nos foi dada como resultado dos nossos méritos ou obras, mas por causa da graça de Deus. A salvação é o livramento da ira, é a apropriação dos resultados da obra de Cristo na cruz. Se Jesus não tivesse morrido na cruz, todos nós seríamos destinados para a ira. Alcançamos a salvação mediante a morte de Jesus Cristo. Foi seu sacrifício vicário e substitutivo que nos livrou da ira e nos deu vida eterna. Jesus morreu a nossa morte para vivermos a sua vida.
Paulo também diz que tanto os vivos, quanto os que morrem, estarão em união com Cristo. Estamos unidos com Cristo agora e estaremos unidos com ele no céu. Estaremos com ele para sempre. Nada nem ninguém, neste mundo nem no porvir, poderá nos separar dele. Por isso, os crentes podem aguardar a segunda vinda de Cristo com uma sólida confiança. A confiança de que Deus nos destinou para a salvação, a confiança de que somos salvos através da morte de Jesus Cristo e a confiança de que estaremos com ele no céu.
Conclusão:
A segunda vinda de Cristo deve ser a nossa grande esperança. Ele nos levará para morar no céu, no lugar onde não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, nem violência, nem depravação moral, nem terremotos, nem fome, nem epidemias. Neste lugar, Deus faz novas todas as coisas! As tribulações, a apostasia, a depravação moral, o anticristo, as guerras, os terremotos, a fome e as epidemias são apenas sinais de que este dia glorioso está por vir. Essas coisas devem nos fazer pensar se estamos vivendo apenas para este tempo ou se ansiamos pela vida eterna no céu.
Vibramos por coisas da terra, choramos por coisas da terra, mas não vibramos nem choramos pelas coisas do céu. Infelizmente, a segunda vinda de Cristo não empolga os crentes desse tempo presente. Ficamos ansiosos por aquilo que não nos traz esperança, mas não enchemos o nosso coração de alegria e expectativa pela volta de Jesus. Será que estamos preparados realmente para a segunda vinda de Cristo? Para nós, este dia será um dia de trevas ou de luz, um dia de tristeza ou de alegria, um dia de desespero ou de esperança?
A igreja deve aguardar a segunda vinda de Cristo…
1. Com grande EXPECTATIVA
2. Com profunda VIGILÂNCIA
3. Com corajosa MILITÂNCIA
4. Com sólida CONFIANÇA
O apóstolo João termina o livro de Apocalipse com a seguinte declaração:
“Aquele que dá testemunho de tudo isso [Jesus] diz: certamente venho logo! Amém! Vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22.20)
Aqueles que aguardam a segunda vinda de Cristo com grande expectativa, com profunda vigilância, com corajosa militância e com sólida confiança têm apenas um cântico em seus lábios: MARANATA, ORA VEM SENHOR JESUS!

 

Rolar para o topo