A Vida de uma Igreja Cheia do Poder do Alto (02/04/2015 – quinta)

Série: O PODER DO ALTO – 01/04
A VIDA DE UMA IGREJA CHEIA DO PODER DO ALTO
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Os que criam tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os iam sendo salvos.” (Atos 2.42-47)
A igreja de Jerusalém conjugava doutrina e vida, credo e conduta, palavra e poder, qualidade e quantidade. Hoje vemos igrejas que revelam verdadeiros desequilíbrios.
As igrejas que zelam pela doutrina não celebram com entusiasmo. As igrejas ativas na ação social desprezam a oração. Aquelas que mais crescem em número mercadejam a verdade.
Ao contrário disso, a igreja de Jerusalém era unificada, exaltada e multiplicada. Enfim, a igreja de Jerusalém era uma igreja cheia do poder o Espírito Santo, cheia do poder do alto.
Então, quais são as marcas de uma igreja cheia do poder do alto?
Uma igreja cheia do poder do alto…
1. É FIEL à PALAVRA de Deus
“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos…” (v. 42)
A igreja de Jerusalém, que nasceu como fruto do derramamento do Espírito e da exposição ungida das Escrituras, perseverava na doutrina dos apóstolos. Não há igreja verdadeira sem a doutrina apostólica. Onde as verdades são negadas ou torcidas, pode haver sociedades religiosas, mas não igrejas de Cristo. Onde não há compromisso com a verdade, não há igreja de Cristo. A primeira marca da igreja cheia do poder do alto é a pregação fiel da Palavra de Deus.
Infelizmente, muitas igrejas que em outros tempos ergueram a bandeira da verdade e pregaram com zelo o evangelho trocaram, hoje, seu direito de primogenitura por um prato de lentilhas. Muitas denominações que estiveram na vanguarda da evangelização e da obra missionária estão, hoje, cedendo às pressões de um evangelho fácil, em que leis da praticidade substituíram a fidelidade à verdade. A igreja evangélica brasileira está precisando de passar por uma reforma. O que está crescendo neste país não é o evangelho, mas outro evangelho, o evangelho que busca agradar os homens ao invés de glorificar a Deus.
Se quisermos ser uma igreja cheia do poder do alto, vamos precisar ser fiéis à Palavra de Deus. Se você quiser ser um crente cheio do poder do alto, vai precisar ser fiel à Palavra de Deus.
Uma igreja cheia do poder do alto…
2. É COMPROMETIDA com a ORAÇÃO
“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações.” (v. 42)
A igreja de Jerusalém nasceu num clima de intensa oração. A congregação formada de 120 membros estava unanimemente em oração até que o Espírito de Deus fosse derramado sobre eles. Uma igreja cheia do poder do alto ora com fervor e constância. A igreja de Jerusalém não apenas possuía uma boa teologia da oração, mas efetivamente orava. Ela dependia mais de Deus do que dos próprios recursos.
Em Atos 1.14 – todos unânimes perseveravam em oração;
Em Atos 3.1 – os líderes da igreja vão orar às três horas da tarde;
Em Atos 4.31 – a igreja sob perseguição ora, o lugar treme e o Espírito desce;
Em Atos 6.4 – a liderança entende que a sua maior prioridade é a oração e a Palavra;
Em Atos 9.11 – o primeiro sinal que Deus deu a Ananias sobre a coversão de Paulo é que ele estava orando;
Em Atos 12.5 – Pedro está preso, mas há oração incessante da igreja em seu favor e ele é miraculosamente libertado;
Em Atos 13.1-3 – a igreja de Antioquia ora e Deus abre as portas das missões mundiais;
Em Atos 16.25 – Paulo e Silas oram na prisão e Deus abre as portas da Europa para o evangelho;
Em Atos 20.36 – Paulo ora com os presbíteros da igreja de Éfeso na praia;
Em Atos 28.8-9 – Paulo ora pelos enfermos na ilha de Malta e os cura.
A oração era o oxigênio da igreja de Jerusalém. Quando ela orava, os presos eram soltos, os enfermos eram curados, os endemoninhados eram libertos, as portas da prisão eram abertas, as portas para o evangelho eram escancaradas e a Palavra de Deus prevalecia.
Se quisermos ser uma igreja cheia do poder do alto, vamos precisar ser comprometidos com a oração. Se você quiser ser um crente cheio do poder do alto, vai precisar ser comprometido com a oração.
Uma igreja cheia do poder do alto…
3. Desfruta de um AMBIENTE de AMOR e COMUNHÃO
“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. […] Os que criam tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração.” (v. 42,44-46)
Todos os membros da igreja de Jerusalém estavam juntos e tinham tudo em comum. Havia um profundo amor uns pelos outros e uma intensa comunhão entre seus membros. Eles reuniam-se diariamente no templo, mas também partiam o pão de casa em casa e tomavam suas refeições com singeleza de coração. Essa igreja acolhia com muito amor todos que chegavam e, ao mesmo tempo, era simpática com os de fora. A igreja de Jerusalém era uma comunidade terapêutica. A teologia que seus membros abraçaram mudou seu coração e mudou seus relacionamentos. A igreja é a maior esperança do mundo.
Numa sociedade ferida e quebrada pelo pecado, a igreja de Cristo, cheia do poder do alto, é o lugar de refúgio e restauração para aqueles que se arrependem e creem no Senhor Jesus. Numa sociedade onde o conflito está presente na família, nas instituições públicas, nos relacionamentos internacionais, a igreja de Cristo, cheia do poder do alto, é a única resposta.
Se quisermos ser uma igreja cheia do poder do alto, vamos precisar construir um ambiente onde reina o amor e a comunhão. Se você quiser ser um crente cheio do poder do alto, vai precisar ser um construtor de ambientes onde reina o amor e a comunhão.
Uma igreja cheia do poder do alto…
4. ADORA a Deus com ENTUSIASMO
“Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. […] Louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo.” (v. 43,47)
A igreja de Jerusalém tinha reverência e entusiasmo. Havia temor e também celebração. As coisas de Deus eram tratadas com profundo temor, e ao mesmo tempo louvava-se a Deus com pleno entusiasmo. A igreja tinha uma correta relação vertical e também horizontal. Seus membros tinham intimidade com Deus e comunhão uns com os outros. E qual era o resultado disso? O resultado é que naquela igreja as intervenções sobrenaturais de Deus eram constantes.
Muitas pessoas estão perdendo o temor a Deus dentro das igrejas e, consequentemente, o louvor a Deus está se transformando mais num show dirigido ao gosto das pessoas do que num tributo de exaltação ao Rei da glória. Não podemos confundir desempenho com piedade e nem animação de auditório com culto vivo. Deus estabeleceu princípios que devem reger o culto. Jesus disse que Deus procura adoradores que o adorem em espírito e em verdade. O culto é bíblico ou maldição, ele é sincero, ou, então, não passa de um teatro: bonito aos olhos, mas sem nenhuma conexão com a vida.
Por outro lado, não podemos confundir culto solene com liturgias mortas, pois, como disse um famoso escritor, “não há nada mais solene do que um cadáver num caixão cercado de flores”. Essa cena é muito solene, mas tem cheiro de morte. A verdade é que não há outra opção para uma igreja cheia do poder do alto a não ser adorar a Deus com entusiasmo.
Se quisermos ser uma igreja cheia do poder do alto, vamos precisar adorar a Deus com entusiasmo. Se você quiser ser um crente cheio do poder do alto, vai precisar adorar a Deus com entusiasmo.
Uma igreja cheia do poder do alto…
5. CRESCE de forma NATURAL
“… E o Senhor lhes acrescentava diariamente os iam sendo salvos.” (v. 47)
O crescimento da igreja é natural. A igreja não é uma estrutura morta, mas um organismo vivo. Ela é o corpo de Cristo. Se a igreja não cresce, é porque existem coisas que a estão impedindo de crescer. O crescimento da igreja é resultado do seu relacionamento com Deus e com os irmãos. É Deus quem acrescenta à igreja os que vão sendo salvos.
O crescimento genuíno não é apena numérico. Deus não está interessado apenas em números. Não somos defensores da numerolatria. Jesus não quer admiradores ou apenas uma plateia. Ele quer discípulos. A igreja precisa fazer discípulos.
O crescimento numérico pode ser alcançado pelas técnicas do misticismo, mas o crescimento saudável só Deus pode realizar, mediante a oração da igreja, a semeadura da Palavra e o trabalho zeloso do discipulado dos novos decididos. A Bíblia diz que um planta, outro rega, mas o crescimento vem de Deus. Uma igreja cheia do poder do alto cresce de forma natural, e isso é resultado do seu relacionamento com Deus e com as pessoas.
Conclusão:
A igreja será cheia do poder do alto se cada um de nós tiver o desejo de ser cheio do poder do alto. Então, você deseja ser um crente cheio do poder do alto? Você quer que sua igreja seja cheia do poder do alto?
Uma igreja cheia do poder do alto…
1. É FIEL à PALAVRA de Deus
2. É COMPROMETIDA com a ORAÇÃO
3. Desfruta de um AMBIENTE de AMOR e COMUNHÃO
4. ADORA a Deus com ENTUSIASMO
5. CRESCE de forma NATURAL

 

Rolar para o topo