40 Dias Comunidade – Juntos Construindo Relacionamentos Saudáveis (16/08/2015 – manhã)

Campanha de 40 dias de Comunidade | (3/6)
CONSTRUINDO RELACIONAMENTOS SAUDÁVEIS
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“O que temos é um corpo com muitas partes, cada uma do tamanho apropriado e em seu devido lugar. Nenhuma parte é importante por si mesma. Vocês podem imaginar o olho dizendo para a mão: ‘Fora! Não preciso de você’? Ou a mão dizendo dizendo para o pé: ‘Você está dispensado! Não preciso mais de você’? De fato, na prática acontece o contrário: muitas vezes o que é menos proeminente, é mais fundamental e também mais necessário. Por exemplo, vocês podem viver sem um olho, mas não sem o estômago. Quando seu corpo sofre, não faz nenhuma diferença se é um membro externo ou interno, maior ou menor. Todas as partes sofrem junto. Pois cada parte tem a devida dignidade e importância. No entanto, vocês têm mais preocupação com as partes menos proeminentes. Se vocês tivessem de escolher, não iriam preferir uma boa digestão a um cabelo bonito? O modo pelo qual Deus formou o corpo humano é um modelo que nos ajuda a entender nossa vida comunitária na igreja. Cada parte depende da outra: as partes que mencionamos e as que não mencionamos; as partes que vemos e as que não vemos. Se uma parte se fere, todas as outras partes estão envolvidas. Se uma parte vai bem, todas as outras desfrutam esse bem-estar. Vocês são o corpo de Cristo.” (1ª Coríntios 12.20-27 AM)
Fomos escolhidos por Deus para, como igreja, ter comunhão; e, para que haja comunhão, faz-se necessário a construção de relacionamentos saudáveis. E para que sejamos capazes de construir relacionamentos saudáveis precisamos entender o princípio que aprendemos na primeira mensagem desta série: admitir que necessitamos uns dos outros. Relutamos em admitir nossas necessidades uns para com os outros por causa da nossa cultura que exalta o individualismo e, também, porque somos orgulhosos. Deus odeia a solidão. Sendo assim, precisamos de uma família espiritual, e é por isso que ele criou a igreja. E a verdade é que eu e você precisamos estar em comunhão com uma igreja para sobrevivermos espiritualmente.
Como partes de um corpo vivo, é impossível para o cristão manter a vida sem os outros. Porque fomos chamados por Deus para ter comunhão juntos, veremos como é possível construir relacionamentos saudáveis a partir do que a Bíblia nos ensina.
Construímos relacionamentos saudáveis…
1. COMPROMETENDO-NOS uns com os outros
“… esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua.” (Romanos 14.19)
Numa comunidade cristã saudável, todos se comprometem a amar uns aos outros, trabalhar juntos e manter-se unidos. Isso ultrapassa a superficialidade, pois abandona a abordagem “cada um por si” e alcança boa convivência com os outros. Deus nos criou para esse tipo de compromisso; ele está comprometido conosco e espera que nos comprometamos com ele e uns com os outros. Comprometer-se significa amar, não importa o que aconteça; estar presente, engajado na vida dos outros; e auxiliar usando os dons espirituais, visando o bem comum.
Construímos relacionamentos saudáveis…
2. RESPEITANDO uns aos outros
“Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprio.” (Romanos 12.10b)
Respeito começa com uma perspectiva bíblica. Significa olharmos uns para os outros sob o ponto de vista de Deus.
Respeitar denota constantemente nos lembrarmos de que, em breve, compartilharemos o céu com aqueles que agora estão em nossa igreja e com os quais temos dificuldade de respeitar. Respeitamos uns aos outros quando procuramos ser:

  • Cuidadosos e não somente sinceros – ter tato é pensar antes de falar, sabendo que o modo de dizer algo influenciará na recepção da mensagem. Como cristãos maduros, devemos sempre falar a verdade, mas dizê-la em amor.
  • Compreensíveis e não exigentes – respeitamos os outros quando os tratamos do modo como desejamos ser tratados. Temos de ter consideração com os sentimentos dos outros e com as pressões que enfrentam.
  • Gentis e não julgadores – mesmo quando discordamos, devemos ser corteses e respeitosos e nos concentrar primeiramente em nosso comportamento.
  • Educados e não rudes – quando somos tratados rudemente, não precisamos responder no mesmo tom. Como discípulos de Cristo, aprendemos a responder com bondade.

Construímos relacionamentos saudáveis…
3. APOIANDO uns aos outros
“Quanto ao mais, tenham todos o mesmo modo de pensar, sejam compassivos, amem-se fraternalmente, sejam misericordiosos e humildes.” (1ª Pedro 3.8)
Deus nos capacita a amar uns aos outros e tirar o medo de nosso meio. O medo em nossa comunidade cessa quando amamos e sustentamos uns aos outros de tal forma que cada membro se sente seguro dentro do grupo. Deus quer que juntos choremos e celebremos, cuidando de cada um igualmente, seja confortando, seja confrontando, aquecendo, advertindo, tratando com carinho e desafiando uns aos outros numa atmosfera de apoio e segurança. O Senhor deseja que nos sustentemos com misericórdia e humildade. À medida que buscamos maneiras pelas quais podemos suportar uns aos outros, poderá ser útil lembrar que a palavra “suportar” literalmente significa “emprestar força a”. A quem você emprestará força hoje e como você fará isso?
Construímos relacionamentos saudáveis…
4. ACERTANDO-NOS uns com os outros
“Irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo suplico a todos vocês que concordem uns com os outros no que falam, para que não haja divisões entre vocês; antes, que todos estejam unidos num só pensamento e num só parecer.” (1ª Coríntios 1.10)
Parem de querer ter sempre a palavra final. Em vez disso, tenham como objetivo amar os que discordam de vocês. Lutem pelo amor e não pela vitória. Jesus disse que o amor sempre vencerá. Quando você se descobrir discutindo com outro cristão, deixe a misericórdia guiar suas respostas, permita que Deus determine qual é a verdade, busque a presença de Deus, apoie-se na mente de Cristo, procure a verdadeira fonte do conflito, largue as armas humanas, aprenda a usar as armas espirituais e perdoe sempre.
Numa orquestra, o alvo de cada músico não é tocar mais alto que os outros, nem terminar a peça primeiro. O objetivo é que haja uma harmonia perfeita. Você não precisa concordar com tudo, mas pode ajudar a sua igreja a produzir uma harmonia espiritual perfeita!
Construímos relacionamentos saudáveis…
5. Sendo PACIENTES uns com os outros
“… sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor.” (Efésios 4.2)
Quanto mais compreendemos, mais pacientes nos tornamos. Quando enxergamos a dor que está por trás da raiva, ou a razão por trás de um determinado comportamento, conseguimos ser mais tolerantes com as faltas uns dos outros. A capacidade de ser compreensivo é sinal de paciência. Ao enfrentarmos um desafio à nossa paciência, devemos nos lembrar de que Deus nunca nos pedirá para sermos mais pacientes do que conseguiríamos. Ao conectarmos nossa paciência à de Cristo, conseguimos ceder mais espaço aos outros; concordamos melhor com a sabedoria que diz que o amor é paciente, e que a impaciência não é amor.
Trabalhem para desenvolver paciência o tempo todo. Ser paciente tem o seu preço; temos de abrir mão de nossos compromissos e direitos a fim de receber os outros de braços abertos. Da próxima vez que sua paciência atingir o limite, lembre-se quão paciente e compreensivo Cristo tem sido com você.
Construímos relacionamentos saudáveis…
6. Sendo HONESTOS uns com os outros
“Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo.” (Efésios 4.25)
A honestidade fortalece a comunhão, aprofunda nossos relacionamentos, permitindo que sejamos transparentes uns com os outros. Ela mantém nossa comunidade aberta e autêntica, dando-nos liberdade para falar a verdade em amor na medida em que colocamos em prática a vida íntegra. A honestidade conserva-nos sensíveis à orientação do Espírito Santo e ajuda-nos a lutar com enganos que poderiam corromper nossa vida em Cristo.
Por outro lado, a desonestidade pode poluir nossa vida comunitária e dificultar o desenvolvimento da confiança profunda entre nós. Como novas criaturas em Cristo, fomos tirados de nosso velho eu, e por isso não devemos mais mentir uns aos outros. Temos de demonstrar em público a mesma honestidade que temos quando sozinhos e ter compromisso com a única verdade.
Conclusão:
Construir relacionamentos saudáveis não é fácil. Porém, essa tarefa pode ser facilitada quando compreendemos que a igreja não existe para atender as minhas necessidades pessoais e nem as minhas prioridades. A igreja é uma comunidade recíproca. Juntos somos melhores!
Construímos relacionamentos saudáveis…
1. COMPROMETENDO-NOS uns com os outros
2. RESPEITANDO uns aos outros
3. APOIANDO uns aos outros
4. ACERTANDO-NOS uns com os outros
5. Sendo PACIENTES uns com os outros
6. Sendo HONESTOS uns com os outros

 

Rolar para o topo