De Hoje em Diante

DE HOJE EM DIANTE
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
“Então, de agora em diante, vivam o resto da sua vida aqui na terra de acordo com a vontade de Deus e não se deixem dominar pelas paixões humanas. No passado vocês já gastaram bastante tempo fazendo o que os pagãos gostam de fazer. Naquele tempo vocês viviam na imoralidade, nos desejos carnais, nas bebedeiras, nas orgias, na embriaguez e na nojenta adoração de ídolos. E agora os pagãos ficam admirados quando vocês não se juntam com eles nessa vida louca e imoral e por isso os insultam.” (1ª Pedro 4.2-4)
Essa expressão “De hoje em diante” pode nos parecer algo de pessoas apressadas, uma daquelas frases de efeito que, no final, não tem nenhuma pretensão de mudança. Mas, no texto lido, ela revela uma consciência e uma decisão de pessoas que reconhecem suas limitações, vícios e vulnerabilidades, e que desejam ardentemente, a cada dia, se desvincular dos embaraços e dos pecados, porque entendem a quem pertencem e que agora, no ambiente do céu, não estão mais presos aos seus pecados e que tem o Espírito Santo as ajudando a cada dia, livrando-as das marcas antigas de suas identidades.
Todos concordam que o nosso alvo é não cair mais, nem pecar mais, mas todos sabem que estamos em crescimento na santificação e, como o próprio apóstolo João nos ensina, a confissão é a atitude daqueles que não querem mais viver nesse modo de vida.
Em 1ª Coríntios 15.34, Paulo convida-nos a começar de novo a cada dia, abandonando essa vida velha e abraçando a nova vida em Cristo. Por isso, nesta noite, vamos ver três atitudes essenciais para que essa expressão não seja uma desculpa esfarrapada para nossa carne e sim uma atitude diária de nosso crescimento no novo modo de viver em Cristo.
De hoje em diante…
1. BUSCAREI a FACE do Senhor
Naamã disse:
“Já que o senhor não quer aceitar o meu presente, então deixe que eu leve para casa duas mulas carregadas de terra, pois de agora em diante eu não vou oferecer sacrifícios e ofertas que são completamente queimadas a nenhum deus, a não ser a Deus, o Senhor.” (2º Reis 5.17)
Esse texto é o relato do milagre acontecido a um comandante do exército da Síria. Um comandante que foi impactado pelo poder e pela graça do Senhor. A realidade anterior do contato dele com o sobrenatural era de total desconhecimento, sendo ele adorador de outros deuses. Entretanto, ao ser agraciado e abençoado pelo Deus de Israel, abandonou tudo e declarou que daquele momento em diante ele só buscaria a face do Senhor, e ofertaria o que tinha e o que era a Ele.
Precisamos diariamente abandonar os nossos pecados e decidir vivermos uma vida de adoração ao único que é digno de ser adorado. Precisamos, diante da graça e poder do nosso Deus, diante dessa manifestação tão grandiosa, decidir que nossa vida pertence a Ele e que as nossas ofertas serão somente para Ele.
Só quando decidimos adorar a Deus é que temos condição de abandonarmos aquilo que está fora das suas orientações. Só quando decidimos buscá-lo diariamente é que vamos abandonando a ansiedade, a ira, as orgias, a idolatria, a mentira, pois vamos tomando consciência de que essas atitudes colocam em dúvida que cremos realmente em Deus. Vamos abandonando os nossos preconceitos e justificativas diante da presença do Senhor.
Aquele comandante teve que vencer preconceitos, a vergonha para ver a glória de Deus, mas, também, quando viu, não teve outra atitude a não ser se render em adoração ao Senhor. Talvez nos falte a percepção da pessoa de Deus para que decidamos diariamente abandonar os pecados e decidir que, de agora em diante, não seremos mais vencidos pela carne.
Muitos de nós prometemos antes de decidirmos viver na presença de Deus diariamente, por isso fracassamos em nossas promessas de passos para nossa cura, pensamos que decidir parar de pecar é algo que é possível sem a presença diária de Deus em nós. Quando tentamos por nós mesmos, fracassamos, e, em vez de nos renovarmos diariamente na presença de Deus e sairmos de lá convictos que de agora em diante seremos diferentes, saímos cada vez mais desanimados achando que nunca seremos vitoriosos sobre nossos maus hábitos, vícios e pecados.
No devocional “Tudo para Ele” o autor coloca a seguinte questão para refletirmos: “A santificação significa manter-se intensamente focado no ponto de vista de Deus”. E como fazemos isso? Estando diariamente decidindo buscar a sua face, porque a Palavra diz que sem santificação ninguém verá a Deus.
Todos que entrarem em contato com a presença de Deus terão duas posturas: Se prostrar e ser levantado pelo Espírito Santo de Deus ou se retirar por decidir não abandonar seus propósitos que guardavam em seus corações, contrários à visão de que tiveram de Deus.
Aquele comandante teve que, antes de decidir por ser um adorador, passar pelo processo de limpeza. Creio que cada mergulho era um ato de fé, uma mistura de dúvida, medo e vergonha. Mas a cada mergulho, se notava algo diferente até estar totalmente limpo de uma doença que trazia vergonha e isolamento.
Creio que, como Naamã, cada vez que nos aprofundamos na busca pelo Senhor, vamos nos tornando limpos, menos envergonhados, menos isolados, menos dominados pelo medo, menos no controle até que vejamos o Senhor e experimentemos da sua glória e poder. Enfim, seremos impulsionados a declarar que, de hoje em diante, viveremos para buscar a face do Senhor.
De hoje em diante…
2. DEMONSTRAREI o AMOR do Senhor
“Eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros. Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus discípulos.” (João 13.34-35)
Esse capítulo relata as últimas palavras de Jesus aos seus discípulos. Por isso é muito importante nos atentarmos para elas. Sempre deixamos as recomendações mais importantes para o fim com o objetivo de que as pessoas que estão nos ouvindo guardem o que é importante.
Sabemos que na cultura judaica os mandamentos eram muito importantes. Toda religião, família e sociedade eram regidas pela obediência ou não dos mandamentos dado por Moisés aos seus antecessores. Mesmo levando pesadas cargas colocadas pelos líderes religiosos, todos estavam acostumados a conviver com o ensino dos mandamentos e se esmeravam em cumpri-los.
Jesus, sábio como era, aproveitou essa disposição de suposta obediência e deu um novo mandamento para o Reino que estava sendo inaugurado, o Reino que eles tanto esperavam. Fico a imaginar Jesus dizendo que, de hoje em diante, o mandamento que vale é esse, e os discípulos, prontos para anotarem a ordem, ficam sem chão quando Jesus declara que o único mandamento do Reino é amar, mas não com amor dos discípulos, mas como o amor que Jesus havia dado a eles.
Quando envolve amor, não há regras, só disposição de caminhar junto, demonstrando misericórdia, perdão, paciência e uma decisão constante de recomeçar diante das falhas do outros. Talvez na cabeça dos discípulos viesse a ideia de que o antigo mandamento era mais fácil de cumprir. E, quando nos debruçamos nos relatos das experiências de Jesus com as pessoas de sua época, vemos essa dificuldade delas lidarem com o mandamento vivido por Jesus, o mandamento do amor.
O jovem rico era um desses exemplos. Ele era obediente a todos os mandamentos, mas quando Jesus pediu para que se livrasse dos seus bens, ele recuou. Aquele jovem obedecia por causa dele mesmo, para merecer algo de Deus.
Mas Jesus ensinou que, no Reino Dele, pertencemos a Ele simplesmente pelo grande amor de Deus e Ele deseja que retribuamos com o mesmo amor ao próximo, de tal maneia que sejamos conhecidos por sermos seus discípulos, porque o povo havia visto ações de Jesus que nenhum obediente dos mandamentos fazia por eles. Eles foram apresentados à pessoa de Deus que estava escondida diante de tantos religiosos.
Só a demonstração do amor do Senhor nos fará, diariamente, acordar e dizer que, de hoje em diante, trataremos o outro com amor, um amor que não inveja, que não se irrita, que não deseja mal, que é paciente e que espera o melhor do outro.
Hoje, Jesus o convida a amar o outro como Ele nos amou e, de uma vez por todas, a deixar suas tentativas de vida e abraçar a única maneira de viver que o Reino exige: amar como você foi amado. Decida hoje abandonar seu ego e abrace diariamente atitudes que demonstrem amor a todos por onde você passar.
De hoje em diante…
3. FALAREI das OBRAS maravilhosas do Senhor
“Pois não podemos deixar de falar daquilo que temos visto e ouvido.” (Atos 4.20)
Que texto maravilhoso! Uma demonstração da ousadia dos discípulos de Jesus. Eles estavam na cadeia por causa do Evangelho, porque revelaram o Reino, curando, ensinando, batizando e pregando, isto é, obedecendo a todas as ordens do Mestre Jesus. Quando os religiosos fazem a proposta de libertá-los se eles deixassem de falar de Jesus e de seu Reino, essa foi a sua resposta: não podemos deixar de falar daquilo que vimos e ouvimos.
Sabe por que muitos de nós continuamos sempre com as mesmas pendências e os mesmos pecados e as mesmas recaídas? Porque o que temos visto e ouvido não vêm do Senhor, estamos contaminados! Nossa visão e audição estão mais conectadas no canal da terra do que do céus.
A palavra diz que os nossos pensamentos devem estar mais nas coisas de cima do que nas de baixo, e, quando isso acontece, naturalmente, vamos nos alinhando à visão de Deus e de seu ambiente. Vamos dizendo que, de hoje em diante, não faremos mais isso, ou não falaremos mais isso ou não pensaremos mais nisso ou não reagiremos mais assim, porque começamos a contemplar os céus e toda a visão fascinante da terra perde o seu valor e encanto.
Algo inerente do ser humano é a comunicação. Somos um ser que se comunica, que influencia, que inspira uns aos outros. Mas o que comunicamos, passa pelo que temos visto e ouvido. Além de nos contaminarmos, contaminamos o outro e o ambiente também.
A decisão de escolher por uma vida nova, sem se dominar pela tentação da carne, não só no discurso como na prática, passa pela decisão de ver e ouvir a respeito dos assuntos do Reino. Decida hoje investir seu olhar e sua audição nas dimensões espirituais do Reino dos céus.
Conclusão:
Depois dessa mensagem, você pode estar se perguntando: quantas vezes eu fiz essa promessa “De hoje em diante”? Quantas promessas não vingaram? Quantas promessas foram feitas mais de uma vez?
Muitas dessas decisões são feitas por constrangimento diante da Palavra e amor do Pai, outras por apelos de pastores e líderes. Não é importante como você decidiu fazer essa promessa, mas, sim, a sua postura diária para que ela seja verdadeira. O esforço deve começar hoje, e não amanha, é um dia de cada vez, alegrando-se quando conseguir e perseverando quando cair. A questão não está só nos dias de vitórias, mas a nossa persistência no alvo de sermos como Cristo. É não fazermos as obras da carne, do mundo ou do maligno.
Não sabemos quanto tempo temos, por isso é necessário aproveitar cada dia para declararmos a cada dia o abandono da vida velha e nos apossarmos pelo poder do Espírito Santo da vida nova que já está à nossa disposição. Que, de hoje em diante, decidamos buscar a face do Senhor, amar como Ele amou e falar de suas obras maravilhosas custe o que custar. E, se em algum momento nós tropeçarmos, não há motivo para desesperar nem para desistir, ainda haverá tempo de renovar nossas promessas de mais um “De hoje em diante”. Que a graça de Deus, o exemplo de Jesus e o poder do Espírito Santo nos ajudem a cada dia rumo ao crescimento de uma vida diária mais parecida com Jesus.

 

Rolar para o topo