Desista de Controlar (08/02/2015 – noite)

SÉRIE: DESISTA PARA SER FELIZ – 11/12
DESISTA DE CONTROLAR
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e Ele tudo fará.” (Salmo 37.5)
Gostaria de começar essa mensagem listando uma série de características de uma pessoa que gosta de controlar. Se você se identificar com algumas dessas características, é bom possível que se encontre no rol das pessoas controladoras. Vamos a elas?
Possessividade. Controladores tendem a dominar as relações com seus cônjuges, filhos, amigos e até colegas de trabalho e clientes. Eles podem demonstrar possessividade através da comunicação frequente e cobrança de satisfações, ficando nervosos quando uma pessoa não atende ligações ou e-mails rapidamente, com ciúmes quando as pessoas passam tempo com outras e criticando as coisas com frequência.
Manipulação pela comunicação. Algumas personalidades controladoras usam da comunicação manipulativa, como o elogio ou a fofoca, para direcionar uma situação ou relacionamento da forma que melhor lhes convier.
Superproteção. Esse sinal é manifestado através de ligações constantes, exigindo detalhes sobre o paradeiro de familiares e amigos a todo o momento e criticando severamente a decisão das outras pessoas quando elas discordam.
Mau humor. Mau humor é um sinal fundamental de uma pessoa controladora, precisamente porque aquelas com personalidades temperamentais tendem a ser percebidas remoendo mágoas e injustiças que aconteceram com elas pessoalmente, tentando remediar a dor interna e melhorar a sua situação controlando os outros.
Temperamento Explosivo. Acessos de raiva frequentes são sinais de um tipo de personalidade controladora. Explosões de temperamento muitas vezes acontecem quando você discorda deles ou não faz exatamente o que eles desejam. Em suas mentes, você está desafiando a autoridade deles, discorda de suas opiniões ou não satisfaz os desejos que têm.
Irritabilidade a perguntas. Perguntas podem irritar uma pessoa controladora, porque elas preferem estar no controle do questionamento.
Dificuldade em elogiar. Frequentemente pessoas com problemas de controle não são muito boas em dar elogios sinceros. Elas não querem que você se sinta bem consigo mesmo, pois pode tirar o controle e a atenção delas.
Ar de superioridade. Pessoas controladoras costumam humilhar ou criticar os outros como um meio de parecerem superiores e no controle.
Poucas amizades. Controladores muitas vezes não têm tantos amigos próximos. Eles tendem a ter ciúmes de pessoas populares e bem sucedidas, e criticam aqueles que são muito queridos pelos outros. A falta de amigos pode ser um sinal adicional da incapacidade de tolerar os outros e da necessidade de controlar as relações com firmeza.
Então, você é ou não uma pessoa que gosta de controlar? Alguns desses sinais apresentados fazem parte do seu estilo de vida? Você conseguiu entender que possui um espírito controlador?
Um exemplo bíblico de espírito controlador é o da rainha Jezabel, mulher do rei Acabe. Mulher controladora, rebelde e manipuladora que destruiu os profetas do Senhor no tempo de Elias. Jezabel é o exemplo de alguém que não consegue ter amizade nem comunhão com ninguém que ela não possa manipular e dominar no seu relacionamento. Esse espírito procura conquistar a confiança das pessoas para poder influenciá-las.
Será que não somos assim também? Será que não gostamos de dominar, manipular e controlar as pessoas, coisas e situações que estão à nossa volta? Uma coisa é certa: Deus nos trouxe aqui para tratar a nossa vida e nos ajudar a vencer essa vontade louca de controlar todas as pessoas e todas as coisas. Hoje é dia em que precisamos desistir de controlar!
A Bíblia tem resposta para todas as coisas, inclusive para a cura do espírito controlador. Como é possível vencer o desejo de controlar? Como é possível desistir de ser um controlador?
Para desistir de controlar…
1. ADMITA que você tem esse PROBLEMA
O primeiro passo para se ver livre do espírito controlador é admitir que se tem esse problema. Sem esse primeiro passo, não haverá chance de alcançar a cura para esse mal.
Quando olhamos para a Bíblia, encontramos vários homens de Deus que reconheceram seus problemas, seus erros, seus pecados e tiveram suas vidas totalmente transformadas. Alguns tinham problemas com mentiras, outros com pecados na área sexual, outros eram manipuladores, outros eram enganadores; porém, os que deram o primeiro passo para a cura, reconhecendo que tinham um problema, tiveram suas vidas restauradas.
O grande rei Davi foi alguém que admitiu que tinha um problema na área sexual e foi capaz de confessar o seu pecado a Deus, dando, assim o primeiro passo para sua restauração:
“Pois eu conheço bem os meus erros, e o meu pecado está sempre diante de mim. (…) De fato, tenho sido mau desde que nasci; tenho sido pecador desde o dia em que fui concebido. (…) Ó Deus, cria em mim um coração puro e dá-me uma vontade nova e firme.” (Salmo 51.3,5,10)
Assim como Davi, o apóstolo Paulo também foi alguém que admitiu que tinha um problema de orgulho e de controle. Escrevendo sua segunda carta aos Coríntios, ele disse o seguinte:
“E para que estas excepcionais revelações não me exaltassem, Deus deu-me um espinho na carne, um mensageiro de Satanás para me atormentar, a fim de que não caia no orgulho. Por três vezes implorei ao Senhor que me livrasse. De cada vez ele me disse: a minha graça te basta. É na fraqueza que o meu poder melhor se revela. E, assim, sinto-me feliz nas fraquezas, para que o poder de Cristo possa trabalhar através de mim.” (2ª Coríntios 12.7-9, O Livro)
Enquanto você não for capaz de admitir que tem um problema, e hoje estamos tratando do espírito controlador, o poder de Cristo não poderá trabalhar em você e através de você. Quando admitimos que temos um problema, assumimos que não temos condições de vencê-lo sozinho e de que precisamos de alguém que possa nos ajudar neste processo. Admita seu problema e o poder de Cristo vai começar a trabalhar em você!
Para desistir de controlar…
2. DECIDA fazer as MUDANÇAS NECESSÁRIAS
Outro passo importante para se ver livre desse espírito controlador é decidir fazer as mudanças que precisam ser feitas! Às vezes, somos até capazes de admitir o nosso problema, mas não desejamos fazer as mudanças necessárias. É impossível que algo transformador aconteça na vida daquele que não decide, corajosamente, fazer mudanças. Ele será apenas um mero expectador das grandes coisas que Deus fará na vida daqueles que decidiram ser diferentes e fizeram as mudanças necessárias.
Paulo, escrevendo aos crentes de Éfeso e falando sobre o procedimento dos filhos da luz, mostra claramente que no processo de restauração, precisamos fazer as mudanças necessárias:
“Essa nova vida traz mudanças: chega de mentiras, chega de fingimento. Falem a verdade. No Corpo de Cristo, estamos, antes de tudo, conectados uns com os outros. Se você mente para alguém, está mentindo para você mesmo. É normal ficar com raiva. É claro que todos sentem raiva. Mas não alimentem vingança no coração. Não deixem que a raiva domine muito tempo. Resolvam o problema antes de dormir. Não deem mole para o Diabo! Não deixem que ele prejudique a vida de vocês. Vocês costumavam roubar para levar vantagem? Não façam mais isso. Arrumem um emprego decente, até mesmo para poder ajudar os que não têm condições de trabalhar. Tenham cuidado com a maneira de falar. Nunca saia da boca de vocês nenhuma besteira ou baixaria. Alem apenas o que é útil e que ajude os outros! Cada palavra de vocês deve ser um presente. (…) Nada de conversa profana, difamadora e nociva. Sejam gentis e sensíveis ao próximo. Perdoem-se uns aos outros assim como Deus em Cristo os perdoou – perdão total e incondicional.” (Efésios 4.25-29,31-32, AM)
Com relação ao espírito controlador, preste atenção nas mudanças que você vai precisar fazer para que haja cura em sua vida:

  • Se você é possessivo, vai precisar ser mais altruísta;
  • Se você é superprotetor, vai precisar ser mais controlado;
  • Se você é mal humorado, vai precisar sorrir mais;
  • Se você tem temperamento explosivo, irritabilidade a perguntas, vai precisar ser mais paciente;
  • Se você tem um ar de superioridade, vai precisar ser mais humilde;
  • Se você tem poucas amizades, vai precisar ser mais social e simpático.

A pergunta é: será que você está disposto a fazer todas essas mudanças? Será que você deseja abandonar mesmo esse espírito controlador? Se você decidir fazer as mudanças necessárias, uma coisa é certa: não será fácil, mas, também, não será impossível! Decida hoje fazer as mudanças necessárias e Deus trará cura para seu espírito controlador.
Para desistir de controlar…
3. SUBMETA sua vida ao CONTROLE de Deus
Eis aqui mais um passo para que sejamos capazes de desistir do espírito controlador que nos domina: submeter a nossa vida ao controle de Deus. É certo que se mantivermos o controle da nossa vida em nossas próprias mãos, o resultado esperado será cansaço, amargura, dores e frustrações. Jesus, no sermão da montanha, desafia os seus ouvintes a submeterem suas vidas ao controle de Deus e faz promessas para aqueles que aceitarem esse desafio:
“Se vocês se decidirem por Deus, vivendo para cultuá-lo, não ficarão aflitos com a comida que terão de por na mesa ou se o guarda-roupa está fora de moda. Há muito mais coisas na vida que a comida que vai para o estômago! Há muito mais coisas para se ver que as roupas que vocês usam! (…) Quero convencê-los a relaxar, a não se preocuparem tanto em adquirir. Em vez disso, prefiram dar, correspondendo, assim, ao cuidado de Deus. Quem não conhece a Deus e não sabe como ele trabalha é que se prende a essas coisas, mas vocês conhecem a Deus e sabem como ele trabalha. Orientem sua vida de acordo com a realidade, a iniciativa e a provisão de Deus. Não se preocupem com as perdas, e descobrirão que todas as suas necessidades serão satisfeitas.” (Mateus 6.25,31-33, AM)
Entregar o controle da vida nas mãos de Deus é sinal de humildade, é marca daquele que reconheceu que não tem condições de governar a sua própria vida. Pedro fala sobre isso em sua primeira carta:
“Portanto, sejam humildes debaixo da poderosa mão de Deus para que ele os honre no tempo certo. Entreguem todas as suas preocupações a Deus, por ele cuida de vocês.” (1ª Pedro 5.6-7)
Davi compreendeu essa verdade: o controle da sua vida precisava estar nas mãos do Todo-Poderoso, nas mãos daquele que tem condições de ser o único controlador de tudo e de todos.
“Confie em Deus, o Senhor, e faça o bem e assim more com toda a segurança na Terra Prometida. Que a sua felicidade esteja no Senhor! Ele lhe dará o que o seu coração deseja. Ponha a sua vida nas mãos do Senhor, confie nele, e ele o ajudará. Ele fará com que a sua honestidade seja como a luz e com que a justiça da sua causa brilhe como o sol do meio-dia.” (Salmo 37.3-6)
É um desejo natural querer estar no controle de sua vida, contudo, não é um alvo possível. Assumir que você pode controlar todas as pessoas e situações que surgem em sua vida é uma expectativa irrealista, e isso o levará à frustração e à exaustão.
Deus tem um plano abençoado para todas as pessoas, o que inclui uma vida bastante superior a tudo que o mundo possa oferecer, mas atingir isso envolve negar-se a si mesmo. Deus, incansavelmente, combate a carne, nossa natureza humana, e seu alvo é libertar-nos do controle da carne. O processo de abrir mão e desistir do controle pode ser doloroso, mas o resultado final vale a pena. Assim, pare de querer assumir o controle e deixe Deus ser Deus em sua vida.
Conclusão:
Talvez você tenha chegado aqui completamente exausto, cansado, triste e frustrado por causa do espírito controlador que existe em você. A boa notícia é que hoje você pode desistir de controlar todas as coisas e todas as pessoas. Deus tem uma vida nova pra você, onde o seu único esforço será lançar sobre ele todas as suas preocupações, deixando que ele cuide e controle cada detalhe do seu viver. Desista de controlar!
Para desistir de controlar…
1. ADMITA que você tem esse PROBLEMA
2. DECIDA fazer as MUDANÇAS NECESSÁRIAS
3. SUBMETA sua vida ao CONTROLE de Deus

 

Rolar para o topo