Dias de Ventos Contrários

DIAS DE VENTOS CONTRÁRIOS

mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes

“… o barco já estava a considerável distância da terra, fustigado pelas ondas, porque o vento soprava contra ele.” (Mateus 14.24)

O v.24 diz que eles eram açoitados pelas ondas porque o vento era contrário. O que podemos aprender com esse episódio enfrentado pelos discípulos? O que aprender com os dias de ventos contrários?

Dias de ventos contrários…

1. Não impedem que Jesus venha até nós.

“Alta madrugada, Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar.” (Mateus 14.25)

Dias de ventos contrários…

2. Não impedem que sejamos corajosos e lutemos contra o medo.

“Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: É um fantasma! E gritaram de medo. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Coragem! Sou eu. Não tenham medo!” (Mateus 14.26,27)

Dias de ventos contrários…

3. Não impedem que aceitemos desafios de fé.

“Senhor, disse Pedro, se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas. Venha, respondeu ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre a água e foi na direção de Jesus.” (Mateus 14.28-29)

Dias de ventos contrários…

4. Não impedem que tiremos os olhos de Jesus.

Pedro andava sobre as águas. Que coisa sobrenatural! Porém, num determinado momento, ele se distraiu pela força dos ventos: “Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar…” (Mateus 14.30).

Dias de ventos contrários…

5. Não impedem que Jesus nos socorra.

“Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: Homem de pequena fé, porque você duvidou?” (Mateus 14.31)

Dias de ventos contrários…

6. Não impedem que Jesus cesse a tempestade.

“Quando entraram no barco, o vento cessou.” (Mateus 14.32)

Conclusão:

Dias de ventos contrários…
1. Não impedem que Jesus venha até nós.
2. Não impedem que sejamos corajosos e lutemos contra o medo.
3. Não impedem que aceitemos desafios de fé.
4. Não impedem que tiremos os olhos de Jesus.
5. Não impedem que Jesus nos socorra.
6. Não impedem que Jesus cesse a tempestade.

Rolar para o topo