É Possível Economizar e Fugir das Dívidas (20/07/2014 – manhã)

CAMINHOS PARA A LIBERDADE FINANCEIRA – 2/3
É POSSÍVEL ECONOMIZAR E FUGIR DAS DÍVIDAS
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
Se você tem dívidas, Deus quer que você saia delas, porque as dívidas são uma prisão. As dívidas determinam sua auto-estima, quantas horas por noite você vai dormir, os lugares que você poderá frequentar, quanto dinheiro irá gastar, o que pode ou não sonhar em comprar. Deus quer que você saia das dívidas porque elas ocupam o senhorio em sua vida e determinam tudo a seu respeito. Elas são um deus rival. Estão roubando a atenção que deveriam ser de Deus em sua vida. Deus nos chamou para liberdade:
“Porém vocês, irmãos, foram chamados para serem livres…” (Gálatas 5:13)
Muita pessoas tem uma dúvida sobre crise financeira porque elas não tem um conceito do que é crise financeira. Deixe-me, então, dar uma definição:
“Se você está gastando mais do que ganhando ou está devendo a alguém e fazendo novas dívidas, isso já é uma crise financeira.”
Você não precisa esperar mais nada para começar a se programar e reajustar seu orçamento. Nossa tendência natural quando vemos uma dívida no início é pensar: “Ah, isso é normal, mês que vem a gente resolve”. Dívidas não se resolvem sozinhas, não desaparecem, só pioram.
Quem é a pessoa que fica mais feliz quando vê alguém afundado em dívidas? O Diabo. E o principal motivo é o seguinte: todo aquele que tem dívida deixa de ser fiel nos dízimos e nas ofertas, deixa de investir no Reino de Deus. Ele luta para que você tenha outras prioridades para sua vida e para suas finanças. Ele quer colocar em sua mente que gastar e adquirir bens atribui valor às pessoas, que Deus não deseja que você seja próspero financeiramente e outras mentiras mais.
Na disposição da cultura dos nossos dias, você deve investir seu dinheiro primeiramente no seu estilo de vida. Depois, pague suas dívidas. Depois economize, e, se sobrar, contribua. Na disposição de honrar a Deus, primeiro eu contribuo porque entendo que meu sustento vem de Deus. Depois eu provisiono porque sei que preciso de equilíbrio financeiro. E, em último lugar, vem o meu estilo de vida (casa, carro, conforto, etc…).
Se você está endividado, eu gostaria de sugerir para você um estilo de vida que possua uma disposição transitória. O que é isto? É um estilo de vida temporário até que suas dívidas sejam pagas. É tomar medidas drásticas para reduzir o seu estilo de vida ao máximo por um tempo determinado para sanar suas dívidas. Para isso, é necessário que observemos algumas orientações bíblicas para todos aqueles que possuem dívidas.
1ª Orientação – PAGUE suas dívidas
“Os maus pedem emprestado e não pagam.” (Salmo 37:21)
A primeira orientação bíblica para aqueles que estão com dívidas é esta: PAGUEM SUAS DÍVIDAS. Se nós sabemos perfeitamente como contrair dívidas, Deus nos dá a mesma capacidade para pagá-las. Aquele que não paga suas dívidas é comparado aos maus que pedem emprestado e não pagam. Meu irmão, não fique postergando o pagamento das suas dívidas, pois a tendência é de que elas fiquem ainda maiores do que já estão. Corra e resolva o problema enquanto é tempo.
2ª Orientação – EVITE endividar-se
“O que toma emprestado é servo do que empresta.” (Provérbios 22:7)
Lembre-se do que foi dito no começo desta mensagem. Fomos criados por Deus para liberdade. Aquele que sempre tem dívidas, está sempre preso. Certa vez ouvi de uma pessoa: “preciso fazer muitas dívidas para que eu tenha motivação para trabalhar”. Isso é uma mentira de Satanás. Cada nova dívida, um novo senhor na sua vida.
Alguém que está cheio de dívidas já deixou de ter Jesus Cristo como Senhor da sua vida há muito tempo e nem se dá conta disso. Ele faz apenas o que a dívida o diz para fazer! Ele fica triste quando vê os irmãos dedicando seus dízimos e ofertas. As dívidas não o deixam participar do privilégio de entregar um pouco do muito que Deus faz cair sobre sua vida.
Quer agradar ao coração de Deus e ajustar financeira sua vida? Procure não endividar-se. Procure não contrair dívidas que possam se tornar os senhores da sua vida. A Bíblia também fala do perigo espiritual que está por trás das dívidas que contraímos:
“Vós não sabeis o que sucederá amanhã.” (Tiago 4:14)
I. As dívidas tiram de Deus a OPORTUNIDADE de lhe ensinar
“Não se preocupem por não terem bastante comida ou roupa para vestir, porque a vida é muito mais que apenas comida ou roupas… mas o vosso Pai celeste conhece a necessidade de todos. Ele sempre dará aquilo que vocês necessitam dia a dia.” (Lucas 12:22,30-31)
Deus nos ensina que não precisamos nos preocupar com coisa alguma: nem com comida, nem com bebida e nem com roupa. Se o buscarmos em primeiro lugar, isso nunca nos faltará. Porém, as dívidas nos tiram o privilégio da oportunidade de sermos ensinados pelo Senhor a respeito da sua provisão e do seu cuidado para conosco. Deus deixa de ser a primeira busca do nosso dia. Saímos desesperados tentando encontrar soluções para as dívidas que contraímos e não conseguimos perceber que Deus nos permitiu acordar e viver mais um dia para sua glória.
Perdemos o privilégio de dizer como o salmista: “este é o dia que o Senhor nos fez; alegremo-nos e regozijemo-nos nele”, porque estamos preocupados demais com as nossas dívidas. Deus está tentando encontrar um espaço em nossas vidas para nos ensinar que ele quer sustentar, dirigir e cuidar de cada detalhe do nosso viver. É bem possível que suas dívidas estejam tirando a oportunidade de Deus ensiná-lo a respeito da sua soberania, seu amor e seu cuidado por você.
II. As dívidas promovem INVEJA e GANÂNCIA
“Cuidado! Não andem sempre querendo o que vocês não tem. Porque o valor da vida que alguém tem não depende dos bens que possui.” (Lucas12:15)
Às vezes nos vemos atolados em dívidas por causa de inveja e de ganância. Queremos ter as coisas pra provar e mostrar para os outros! Muitas das nossas dívidas são frutos de inveja e ganância. Alguém comprou um carro novo, a gente compra também. Alguém comprou uma casa nova, a gente compra também. Alguém reformou a cozinha, a gente reforma também.
A mulher do vizinho comprou um vestido caríssimo, última moda! A sua mulher não vai dar sossego a você enquanto não comprar um vestido mais caro do que o da vizinha. E o mais interessante é que quanto mais eu contraio dívidas, mais eu aumento o meu repertório de inveja e de ganância. E a Bíblia condena os invejosos e os gananciosos.
Reflita sobre suas dívidas: até que ponto eles são frutos de inveja e ganância? Até que ponto suas dívidas estão despertando inveja e ganância na vida de outras pessoas? E a pergunta final deste tópico é a seguinte: como Deus pode abençoar alguém que foi promovido pela inveja e pela ganância e que continua promovendo inveja e ganância com as suas dívidas?
Conclusão:
É possível economizar e fugir das dívidas. Porém, precisamos tomar uma decisão a respeito dessa possibilidade. Quero concluir minha mensagem mostrando três princípios bíblicos que nos ajudarão a fugir das dívidas.
1º Princípio – Tenha cuidado com os ÍDOLOS
“Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador.” (Romanos 1:25)
Tudo o que colocamos como prioridade em nossa vida que não seja o Senhor Jesus Cristo torna-se um ídolo. O dinheiro pode estar se tornando o seu ídolo. Como resultado: dívidas e mais dívidas.
2º Princípio – Evite a COBIÇA
“Não me dês nem a pobreza nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário.” (Provérbios 30:8)
Proteja sua mente e seu coração. Não inveje o que é dos outros e cause inveja nos outros. Quando você evita a cobiça, você escolhe a possibilidade de economizar e fugir das dívidas.
3º Princípio – Seja completamente CONTENTE
“Sei viver com quase nada ou tendo. Já aprendi o segredo para viver contente em qualquer circunstância, quer com o estômago satisfeito, quer na fome, na fartura ou na necessidade.” (Filipenses 4:12)
Precisamos aprender a viver felizes com aquilo que Deus faz chegar às nossas vidas. Prosperidade não é grande quantidade de coisas. Prosperidade é viver completamente contente com aquilo que Deus nos dá. Humildade e gratidão fazem parte deste princípio.
 

Rolar para o topo