Em Tempo de Crise (13/09/2015 – manhã)

EM TEMPO DE CRISE
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
Uma crise é uma mudança brusca ou uma alteração importante no desenvolvimento de qualquer evento/acontecimento. Essas alterações podem ser físicas ou simbólicas. Crise também é uma situação complicada ou de escassez. Uma pessoa ou uma instituição pode atravessar diversas crises. Em qualquer caso a crise é um tempo de decisão onde se escolhe entre reconstruir-se ou decair. Crises trazem momentos de dificuldade, mas representam também momentos únicos para virar o jogo. As crises são difíceis de predizer, mas ocorrem com frequência. Estratégia e execução são primordiais para o sucesso nos tempos de crise.
Desde que Adão e Eva optaram em querer algo que já tinham, por curiosidade e se deixaram levar pela proposta enganosa de Satanás, as crises fazem parte do cotidiano da humanidade.
A primeira crise foi o homem ter que encarar Deus depois de ter desobedecido. Depois em toda narrativa bíblica ou história da humanidade, percebemos homens, mulheres, crianças, idosos, em algum momento de sua existência tendo que lidar com as crises. Mesmo depois da vinda de Jesus e do seu sacrifício na cruz, as crises continuam a acontecer.
Nós, que vivemos no século XXI, enfrentamos crises globais, crises no setor ambiental, institucional, familiar, relacional, financeiro; enfim, o que não nos falta é crise. Se no âmbito individual estamos passando por um tempo de bonança, somos afetados pela sociedade que passa por diversas crises.
Hoje Deus nos convida a ouvir sua voz através de sua Palavra que é viva e eficaz e verdadeira para que sejamos pessoas que, em tempos de crises, sinalizemos saída e bálsamo para aqueles que estão sendo derrotados num cenário de tantas crises e poucas possibilidades de melhora. O texto base que usaremos para hoje é Filipenses 4:4-10.
Em tempo de crise…
1. Alegre-se no Senhor
A carta escrita para a Igreja de Filipos é a que Paulo fala mais sobre alegria e convida a todos que estão em Cristo a também viverem uma vida alegre. O verbo alegrar-se está no presente imperativo. È uma ordem para ser vivida no dia de hoje, não quando as circunstâncias forem favoráveis, é uma ordem para se viver em tempos de crises. E Paulo tem autoridade para isso, porque essa carta foi escrita num tempo que estava na cadeia por causa de Cristo.
Paulo, não era um teólogo ou pregador procurando frases de efeitos para seus adeptos, ele era um prisioneiro por Cristo, que tinha todos os motivos para estar entristecido e em crise, mas decide se alegrar e viver alegre, não pelas circunstâncias e sim por quem ele se tornou em Cristo.
O cristão é um indivíduo que sempre tem motivos para se alegrar. Todos nós estamos acostumados com alegrias palpáveis, que tem uma razão de ser objetiva. É o casamento que aconteceu, é a formatura que está chegando, é uma promoção no trabalho, um presente ganho de alguém especial, um elogio e inúmeras razões que nos torna alegres por seu acontecimento. Mas Paulo nos convida, em tempo de escassez, de decepção, de frustração, de cadeias, de deserto, a nos alegrar no Senhor.
O segredo dessa ordem de Paulo não está nas circunstâncias e sim em quem devemos nos alegrar. A nossa alegria é no Senhor, e sendo por causa Dele, não tem circunstância capaz de tirar nossa alegria.  Como diz o texto de Neemias – “Alegria do Senhor é a nossa força”, e a alegria do Senhor é ver seu povo voltando para Ele, reconhecendo que se rebelou, abandonando seus maus caminhos e desejoso de viver para Ele.
E, por isso somos alegres, porque a vinda de Jesus, sua morte e ressurreição de uma vez por todas nos levaram para Deus e podemos em todos os instantes, lugares e circunstâncias estar com Ele. Há motivo maior do que este? Se estamos enfrentando dias difíceis, de crise, é tempo de se alegrar, porque o nosso Senhor venceu todas as nossas crises, fruto de nossa desobediência, na cruz, e nos devolveu a alegria da salvação. Podemos ter o Senhor conosco. A alegria é uma das características de pessoas regeneradas, pessoas que foram impactadas pelo amor de Deus, através da cruz e se renderam a Ele.
Calvino diz que Uma verdadeira vida religiosa é uma vida de constante alegria. Se nossa experiência cristã não nos leva a alegria, fazemos bem perguntar se ela é genuína. Essa ordem de Paulo, só é possível ser vivida pelos cristãos, sem uma rendição a Cristo, é impossível ser alegres todos os dias. Uma poesia cristã reflete bem isso:
“Vinde, vós que conheceis ao Senhor e fazeis conhecidas as vossas alegrias. Recusam-se a cantar os que nunca conheceram o nosso Deus, mas os filhos do Pai celestial devem publicar aos brados as suas alegrias.”
Em tempo de crise, mostre ao mundo a sua alegria, para que ele também a deseje. Alegre-se, mais uma vez digo, alegre-se no Senhor.
Em tempo de crise…
2. Transborde amor
No texto de Filipenses que lemos, no versículo 5, Paulo nos chama atenção de além da alegria que deve ser nossa marca, as pessoas precisam olhar para nós e ver nossa amabilidade. Em muitas versões fala de moderação, que no original significa, consideração, compreensão, compaixão. Somos salvos por Jesus e isso nos traz alegria e essa salvação precisa ser percebida através do jeito certo de ser gente, criada à imagem e semelhança de Deus. Vivemos dias de violências, de corrupção, de escassez, de falta, de perdas. É hora do mundo olhar para nós e identificar que somos pessoas amáveis e que temos o que repartir e tudo isso vem de Deus.
No livro do Pr. Ariovaldo Ramos “Pare de sofrer” diz o seguinte: “Seja conhecido por ser moderado em tudo o que faz, come e bebe. Seja conhecido por sua tranquilidade, principalmente no trato com o próximo, seja conhecido pelo carinho e segurança com que cuida da sua família”.
Como você é conhecido? Paulo nos convida a sermos conhecidos como o povo da amabilidade. Em tempos de Cristo distribua amor, por onde passar, arranque a indiferença, o individualismo e o egoísmo, e transborde o amor de Deus recebido aos seus semelhantes.
Em tempo de crise…
3. Desfrute da presença do Senhor
O texto de Filipenses nos mostra que a cada percepção de quem somos no Senhor, vai produzindo em nós, seus filhos pela graça, uma ação diferenciada. Somos alegres porque voltamos para o Pai e que nos faz ser amáveis com o semelhante e isto acontece porque temos Deus perto de nós.
Quando somos crianças e passamos por momentos de medo, nos aconchegamos no colo de nossos pais ou de alguém que confiamos. No caso dos cristãos em tempos de crises, não há nada melhor que nos aconchegarmos no Senhor e saber que Ele estará conosco e tudo ficará bem. Porque Deus está perto, posso enfrentar morte, perdas variadas, crises financeiras, mudanças de governos, perseguições, todas as circunstâncias adversas. Deus é conosco.
A Bíblia está cheia de afirmações de Deus dizendo ao seu povo: não temas, eu estou com vocês. Deus nos chama para ser seus filhos e seu povo, não para não mais vivermos situações adversas, mas para vencê-las em nome Dele. Ele venceu a morte, o que mais não vencerá? O tempo de falta de dor, de perdas e dores, não é agora é na eternidade. Agora é tempo de enfrentar cada situação de crise, perto do Senhor e não escondidos e atemorizados como o povo de Israel se viu diante do gigante Golias.
Precisamos agir como Davi que tinha consciência de sua pequenez, mas sabia que quem estava com Ele era o Deus todo poderoso criador dos céus e da terra. Por isso, em tempo de crise, corra para o colo do Pai e Ele dará a você forças para vencer o dia mal.
Em tempo de crise…
4. Clame
A Ansiedade é o mal do século XXI. Sofremos por algo que não aconteceu e por aquilo que desejamos que aconteça. E, em tempos de crises que as más notícias parecem ser verdadeiras, Paulo nos convida a não crer nisso, não negar os problemas, mas clamar a Deus já agradecendo por nos ouvir e experimentar a paz que excede a todo entendimento humano.
A Bíblia diz que devemos ter coragem de lançar a ansiedade fora, pelo simples motivo de que Deus está cuidando de nós. Se clamássemos na mesma proporção que abrimos nossa boca para reclamar, para compartilhar nossos problemas, já havíamos sidos curados há muito tempo.
Em tempo de crise, não é hora de procurar culpados, não é hora de vitimar, não é hora de se indignar, não é hora de murmurar, mas a Palavra de Deus diz para clamar. Diga tudo para Deus e Ele o ouvirá e Ele o acalmará. Olhemos para as historias bíblicas: toda vez que o povo clamou, Deus ouviu, mas, enquanto murmurou, só pioraram suas crises.
Quanto tempo você tem passado com seus pensamentos ansiosos, quanto tempo você tem desperdiçado seus convívios com os outros reclamando e influenciando o outro a também desanimar e murmurar?
Hoje Deus nos convida a trocar a ansiedade que nos corrói, que nos adoece, por clamar a Ele, e Ele nos sarará e nos fará de murmuradores a intercessores. Está em crise? Clame e se torne um intercessor de outros que ainda estão sendo sucumbidos pela ansiedade.
Em tempo de crise…
5. Pense como filho de Deus
Em tempo de crise, pense com a mente de Cristo que você tem, não pense com a mente de um economista, de um incrédulo, de um pessimista, mas como alguém que tem a mente de Cristo. Como filhos de Deus que somos, temos acesso ao Pai, somos seus cooperadores, temos a sua paz, temos o seu cuidado, temos a sua presença, temos consciência de sua graça, somos receptores de suas bênçãos para suprirmos necessidades uns dos outros. Por isso Paulo, no versículo 8, nos convida a treinar essa mente de Cristo que temos, nos diz em quem devemos pensar. Leiamos o texto:
“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” (Filipenses 4.8)
Diz um ditado que não podemos impedir que pássaros voem sobre nossas cabeças, mas podemos impedir que façam ninhos. Não podemos que pensamentos ruins rondem nossa mente, mas podemos impedir que façam moradas.
Ouvi de um Pastor algo bem interessante: a Bíblia não é um manual de regras e sim um gabarito. Você e eu é que precisamos submeter nossos pensamentos à Palavra e, a partir dela, percebermos onde estamos errando e aprendermos a lição. Pense como filho de Deus a partir do gabarito de Deus, que é a sua Palavra. Em tempo de crise, pense na Palavra de Deus e não nas humanas.
Conclusão:
Paulo nos convida, no versículo 10, a por em prática tudo que aprendemos, recebemos e ouvimos a partir do que ele compartilhou da parte de Deus e desfrutaremos de Deus em meio às nossas lutas reais do dia a dia. Decida, em tempos de crise, ser alegre, transbordar amor, desfrutar da presença do Pai, clamar e pensar como filho do Rei.
Que venham as crises como oportunidades de mostrarmos ao mundo o Deus que nos ajuda em tempos difíceis e que muitos desejam esse Deus por causa de nossas posturas estando Nele. Deus nos abençoe.

 

Rolar para o topo