Entrando em Campo Vivendo em Família para Glória de Deus (29/06/2014 – manhã)

Entrando em campo…
VIVENDO EM FAMÍLIA PARA GLÓRIA DE DEUS

mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior

“Mas chamou ao menino Icabô, dizendo: foi-se a glória de Israel…” (1º Samuel 4:21)

  • Ainda existe glória de Deus na sua família?
  • Sua família já experimentou, algum dia, da glória de Deus?
  • Por que a glória de Deus foi embora da sua família?

Infelizmente, a realidade da maioria das famílias de nossas igrejas é a realidade de “Icabôs”, ou seja, a glória de Deus já se foi há muito tempo.

  • Trocamos a glória de Deus por uma religiosidade que mais adoece do que cura.
  • Trocamos a glória de Deus por um legalismo que mais aprisiona do que liberta.
  • Trocamos a glória de Deus por uma tradição que mais nos faz chorar do que sorrir.
  • Trocamos a glória de Deus por uma mentalidade de escravo que produz morte e não vida.

O fato de sermos membros de uma igreja, entregarmos nossos dízimos e ofertas regularmente, participarmos de todas as suas atividades, cantarmos e orarmos juntos, não quer dizer que a glória de Deus se faz presente em nossas famílias. Se estamos achando que os cumprimentos dos nossos rituais religiosos vão fazer de nossa família um ambiente onde a glória de Deus habita, estamos muito enganados.
Só é possível construir uma família para glória de Deus, quando permitimos que a nossa própria vida seja construída para sua glória. Antes de pensar se sua família existe para glória de Deus ou não, pense se sua vida tem sido para glória de Deus ou não. A responsabilidade é individual, embora seus efeitos desemboquem na coletividade.
Olhando para a vida da família de Eli, podemos identificar uma série de obstáculos que nos impedem de construir uma família para glória de Deus.
1º Obstáculo: O espírito PRECONCEITUOSO

“Enquanto ela [Ana] orava ao Senhor, Eli observava os seus lábios. Como Ana orava em silêncio, seus lábios se moviam, mas não se ouvia sua voz; por isso, Eli pensou que ela estivesse embrigada. E lhe disse: até quando ficarás embriagada? Deixa de beber vinho.” (1º Samuel 1:12-14)

Eli olha para Ana enquanto orava, e porque orava em silêncio apenas movimentando seus lábios, pensou que Ana estivesse bêbada e ainda a exortou por isso.
Nosso espírito preconceituoso nos coloca acima da soberania de Deus, fazendo-nos donos da verdade. É esse espírito que nos faz murmurar ao invés de glorificar. O espírito preconceituoso nos leva a criticar e falar mal de outras pessoas, igrejas e pastores. E nossos filhos observam tudo isso. Com certeza, os filhos de Eli observaram a ação do seu espírito preconceituoso contra Ana.
Há muitos pastores e igrejas que são o prato do dia do domingo de muitas famílias. Ali, naquela mesa, os filhos vão aprendendo sobre como colocar a glória de Deus para fora de suas casas.
O problema principal do espírito preconceituoso é que ele nos deixa orgulhosos demais, como julgadores das pessoas que estão ao nosso redor. Lembre-se que Deus resiste ao orgulhoso, mas dá graça aos humildes. Lembre-se que Deus não despreza um coração contrito, arrependido e quebrantado.

  •  Quem tem sido alvo do seu espírito preconceituoso?
  • A quantas pessoas você tem ferido com esse espírito?
  • Quantas famílias já foram destruídas pela ação desse espírito em sua vida?

2º Obstáculo: A máscara da HIPOCRISIA

“Os filhos de Eli eram ímpios; não se importavam com o Senhor. (…) Eli já estava muito velho. Ele ficou sabendo de tudo quanto seus filhos faziam a todo Israel, de como se deitavam com as mulheres que ministravam à porta da tenda da revelação.” (1º Samuel 2:12,22)

 Eli sabia que tudo estava muito ruim dentro de casa, mesmo assim, tentava passar uma imagem de que seu sacerdócio passava pela melhor fase da vida e tudo estava muito bem. E não é assim conosco também? A coisa mais comum que existe na igreja é a máscara da hipocrisia, onde famílias que estão vivendo o pior da vida conseguem passar uma imagem de que estão vivendo o melhor da vida.
Filhos que não veem seus pais errarem, assumirem e corrigirem seus erros aprenderão cedo a arte de esconderem suas falhas e seus pecados.
Como está a realidade da sua família? Pare de carregar essa máscara de hipocrisia. Deixe que ela caia de sua face. Mostre de verdade quem você é. Tire a farda e mostre a sua lepra. Assuma seus erros! 
O que mais acontece em nossas igrejas é gente doente pregando, gente doente discipulando, gente doente ministrando, gente doente cantando, mas a aparência é de gente que está completamente sadia. A glória de Deus só se manifesta na vida daquele que sabe quem realmente ele é, e quem Deus é em sua vida. Quando há máscaras de hipocrisia, “Icabô”, a glória de Deus vai embora.
3º Obstáculo: A OMISSÃO das responsabilidades

“O pecado desses jovens era muito grave à vista do Senhor, pois eles desprezavam a oferta do Senhor. (…) Então lhes disse: por que fazeis isso? Tenho ouvido de todo este povo sobre o vosso mau procedimento. Não, meus filhos, os comentários que ouço se espalhando entre o povo do Senhor não são bons. Se um homem pecar contra o outro, Deus o julgará; mas se pecar contra o Senhor, quem intercederá por ele? Mas eles não ouviram a voz do pai, pois o Senhor queria matá-los.” (1º Samuel 2:17,23-25)

Eli sabia que seus filhos eram maus, mas fez muito pouco para corrigi-los ou impedi-los, mesmo quando a integridade do santuário de Deus fora ameaçada. Como sacerdote, Eli deveria ter respondido mediante a correção dos seus filhos. Como pai, Eli deveria ter confrontado a situação, ter assumido sua posição de sacerdote do lar. Por causa da sua omissão, Eli permitiu que seus filhos arruinassem suas próprias vidas e as de muitos outros, a ponto de Deus decretar uma profecia de morte contra sua família.
Pais e mães precisam restaurar sua posição de autoridade dentro dos seus lares. Filhos precisam restaurar sua posição de obediência e submissão aos seus pais. A omissão de nossas responsabilidades, seja como pai, seja como mãe, ou seja como filho, sempre vai permitir que vidas sejam arruinadas, e não abençoadas. A omissão de nossas responsabilidades anula a autoridade espiritual dada por Deus para vivermos como família que desfruta da sua glória.
4º Obstáculo: A MORTE de um sonho

“Então aquele que trazia as notícias respondeu: Israel fugiu dos filisteus, e houve grande matança entre o povo; além disso, teus dois filhos, Hofni e Fineias, também foram mortos, e a arca de Deus foi levada. Quando ele mencionou a arca de Deus, Eli caiu da cadeira para trás, perto da porta e quebrou o pescoço e morreu, porque era velho e pesado.” (1º Samuel 4:17-18)

Eli morreu de verdade, mas gostaria de registrar que ali morreu uma geração de sacerdotes. Com certeza, Eli gostaria de ver perpetuada essa geração na vida dos seus filhos. Porém, junto com ele e seus filhos, esse sonho também morreu.
Os sonhos que morrem também são um obstáculo para que a glória de Deus habite em nossa família. Sonhos mortos se tornam feridas vivas! Quais são as feridas vivas que estão impedindo que a glória de Deus habite em você e, consequentemente, na sua família? Quais são os sonhos que morreram pelo meio do caminho que tem tornado sua vida cada vez mais amarga, infeliz e sem esperança?
O Deus que eu conheço é o Deus que ressuscita os sonhos e projetos de nossa vida. Porém, estamos dispostos a deixar que Ele cure as nossas feridas, os nossos traumas, as nossas dores? Não permita que nenhum “Icabô” nasça na sua vida e na vida de sua família nesta manhã.
Conclusão:
Quero concluir minha mensagem nesta manhã, dizendo que você pode escolher continuar vivendo sem a glória de Deus ou pode deixar Deus transformar a sua história de uma vez por todas. Jesus é o nosso maior exemplo, pois Ele viveu, em todo tempo, para glória de Deus. E ele nos deixou as ferramentas necessárias para que isso possa acontecer conosco também. E Ele disse o seguinte aos seus discípulos:

“… Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me.” (Lucas 9:23)

“Se alguém vier a mim, e amar pai e mãe, mulher e filhos, irmãos e irmãs, e até a própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo. Quem não leva a sua cruz e não me segue, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:26-27)

Só se pode viver para glória de Deus se for discípulo. Só pode ser discípulo de verdade, quem está disposto a esvaziar-se de si mesmo para receber toda vida de Jesus.
A vida de Jesus é resumida em uma só palavra: AMOR. Jesus era motivado pelo amor! E nem sempre, ou quase nunca, a motivação do nosso coração é o amor a Deus e às pessoas. Quem ama cuida, serve, discipula, anda junto e perdoa. Se você não está cuidando de ninguém, servindo a ningém, discipulando ninguém, andando junto de ninguém e perdoando a ninguém, a glória de Deus já foi embora há muito tempo de sua vida.
Hoje é o dia de pais e mães pedirem perdão aos seus filhos, filhos pedirem perdão aos seus pais, irmãos pedirem perdão entre si. O perdão é a porta aberta para o derramar da glória de Deus.
Talvez você esteja aqui hoje, mas foi machucado pelo seu cônjuge, foi traído, foi envergonhado. PERDOE e viva para glória de Deus. Talvez alguém tenha ferido você. Perdoe e viva para glória de Deus. Hoje é o dia de você deixar o seu espírito preconceituoso, é dia de deixar a máscara da hipocrisia cair, é dia de assumir suas responsabilidades e é dia de curar as feridas e voltar a sonhar.
Se você viver uma vida para glória de Deus, sua família, apesar de todas as imperfeições, também vai viver para glória de Deus. Sua família vai desfrutar de um ambiente propício para a manifestação da glória de Deus.
 

Rolar para o topo