Espera em Deus

ESPERA EM DEUS
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Por que você iria se queixar, ó Jacó, ou chorar, Israel dizendo: ‘o Eterno se esqueceu de mim. Ele não se importa com o que acontece comigo!’? Vocês não percebem nada? Não prestam atenção? O Eterno não vem e vai. Ele permanece. Ele é o criador de tudo o que vocês conseguem ver ou imaginar. Ele não entra em estafa, não faz intervalo para recuperar o fôlego. Ele conhece tudo, nos mínimos detalhes. Ele fortalece os que estão cansados, renova as forças do que desistiram. Pois até os jovens se cansam e desistem, os jovens na flor da idade tropeçam e caem. Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças. Abre as asas e voam alto como águias, correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos.” (Isaías 40.27-31)
Quando Isaías profetizou e escreveu aos judeus exilados na Babilônia, aquele povo já estava no cativeiro por algumas décadas. Muitos deles já se encontravam na beira do desespero, não aguentavam mais aquele vai e vem de sonhos e de esperanças. Aqueles prisioneiros sem esperança precisavam de Deus.
Nós também precisamos de Deus. Todos nós precisamos ver a vida para além dos arames farpados dessa existência. A despeito das lutas que enfrentamos na vida, somos convidados a ver, crer e esperar em Deus.
No texto que lemos, descobrimos que, esperar em Deus, requer de nós algumas atitudes importantes sem as quais não conseguiremos enxergar os benefícios existentes para além das tempestades da vida.
A espera em Deus requer…
1. Que se vença o risco da DÚVIDA
“Por que você iria se queixar, ó Jacó, ou chorar, Israel dizendo: ‘o Eterno se esqueceu de mim. Ele não se importa com o que acontece comigo!’? (v.27)
Assim como no caso dos Israelitas, a espera nos tenta a querer duvidar de Deus e a descrer em seus planos e promessas. Os judeus exilados, que viviam numa espécie de prisão domiciliar em massa na Babilônia, estavam se sentindo abandonados por Deus. É verdade que ninguém tem uma fé inabalável. Por vezes, ela vacila, especialmente quando nós atravessamos momentos de profunda tribulação. Israel, porém, tinha extrapolado os limites da normalidade. Por isso, o profeta exorta a nação, desafiando a irracionalidade da sua incredulidade.
Parece que a dúvida dos judeus flutuava entre uma fé enfraquecida pelas dificuldades e um coração endurecido pelo orgulho. Então, o que Deus fez? Ele andou a segunda milha com eles, mostrando o quanto ele é sábio, incomparável e superior. Os exilados deveriam ter a certeza de que os olhos do Senhor estavam amorosamente sobre eles. Não fazia sentido todo aquele desespero. Deus os faz recordar que eles eram o povo da sua aliança de graça, que ainda havia um espaço especial em seu coração para eles. Deus os chamou de Jacó e depois de Israel.
Assim como Jacó lutou e prevaleceu, aquele povo no exílio também prevaleceria se continuasse lutando para manter a fé e a esperança no Senhor. Deus tinha uma aliança com eles. O Senhor os amava. Nada nem ninguém poderiam separá-los do amor daquela aliança eterna com o Deus de Jacó. Quando as crises nos sobreveem, quando os problemas no atacam, quando as dificuldades se acampam em nossas vidas e parecem nunca mais ir embora, a tentação é duvidarmos da bondade, do amor e da sabedoria de Deus. O resultado é o nosso desespero.
É exatamente nessa hora, porém, que Deus nos dá a chance de avaliar e ver se tudo pelo que esperamos está apenas aqui, nesta vida, dentro dos arames farpados deste mundo estirado e moribundo no maligno. Quem espera apenas nesta vida jamais deixará de viver como miserável. Tudo pelo que passamos como filhos de Deus tem como propósito purificar-nos e preparar-nos para ver Deus face a face. Deus nos ama e tem uma aliança conosco. Como disse o apóstolo Paulo:
“Estou convencido de que nada – vivo ou morto, angelical ou demoníaco, atual ou futuro, alto ou baixo, pensável ou impensável –, absolutamente nada pode se intrometer entre nós e o amor de Deus, quando vemos o modo com que Jesus, nosso Senhor, nos acolheu.” (Romanos 8.38-39)
Quando tudo de pior se abater sobre você e insistir em não partir e deixar você em paz, vença o risco de duvidar de Deus. Não coloque em xeque sua grandeza, poder, santidade, sabedoria e amor. Não duvide de sua aliança. Ele não desiste de você!
A espera em Deus requer…
2. Que se cultive o hábito de OLHAR para Ele
“Vocês não percebem nada? Não prestam atenção? O Eterno não vem e vai. Ele permanece. Ele é o criador de tudo o que vocês conseguem ver ou imaginar. Ele não entra em estafa, não faz intervalo para recuperar o fôlego. Ele conhece tudo, nos mínimos detalhes. Ele fortalece os que estão cansados, renova as forças do que desistiram.” (v.28-29)
Para se recobrar e manter a esperança, nós devemos para de olhar para as circunstâncias e cultivar o hábito de olhar para Deus. Não é focando nos problemas que nós encontraremos força para levantar. Também não é apontando o nosso amor ou a nossa estima para os recursos dessa vida ou aquilo que julgamos ter em nós mesmos que acharemos motivação para prosseguir.
Nada nem ninguém será capaz de nos levantar, fazer seguir e perseverar. Afinal, recursos acabam, pessoas nos decepcionam e, mesmo que nada disso aconteça, nada nem ninguém tem o tamanho exato para preencher o que de fato o nosso coração precisa. Portanto, a prática a se cultivar é voltar o olhar para a adequação divina. Nos versos que lemos, Isaías destaca quatro atributos de Deus: eternidade, criador, força e sabedoria. É para esse Deus que nós devemos olhar na hora que tivermos que esperar. Mas, o que esses atributos têm a ver com as nossas dificuldades?
 Esse Deus não morre e nunca chegará a hora em que ele parará de agir. Além do mais, ele conhece tudo do começo ao fim. Ele é eterno.
 Esse Deus não fica sem recursos para ajudar no que e quando for preciso. Sua fonte de tudo é para sempre inesgotável. Ele é criador.
 Esse Deus não é fraco ou incapaz diante das dificuldades em que nos encontramos (ele não se cansa nem fica exausto) e também não lhe falta inteligência para saber o que ele está fazendo e quando e em que medida ele precisa agira. Ele é força e sabedoria.
Ao olharmos para esse Deus pela fé, seremos fortalecidos e revigorados em sua maravilhosa graça. Ao destacar os atributos de Deus, o profeta Isaías nos ensina como cultivar o hábito de olhar para Deus:
 OUVIR a palavra – “você não ouviu?”
 COMPREENDER através de meditação e de oração – “não entendeu?”
 PRATICAR a fé nas promessas de Deus – “Deus dá forças aos cansados e vigor aos fracos”
No dia de ventos contrários, no tempo de intensas tempestades, na hora da tribulação, não olhe para as circunstâncias ao seu redor, mas espere em Deus, cultivando o hábito de sempre olhar para Ele.
A espera em Deus requer…
3. Que se desenvolva o ESPÍRITO DE FÉ
O profeta prossegue sua exortação desafiando os judeus a desenvolverem o espírito de fé no ato de esperar em Deus. É esse espírito que nos impulsiona a seguir amando a Deus a despeito dos problemas e das lutas. Isaías, então, nos ensina sobre o que acontece quando desenvolvemos o espírito de fé que nos faz esperar em Deus.
 Esperar em Deus é RENOVAR as forças
“Pois até os jovens se cansam e desistem, os jovens na flor da idade tropeçam e caem. Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças.” (v.30-31)
Ao revelar que Deus é quem renova nossas forças, Isaías desmascara as nossas principais fontes de energia e de motivação para prosseguir com a vida. O profeta diz que a nossa própria força nunca dará conta do recado, ela precisa ser trocada. O crente vive a sua vida pela fé no Filho de Deus, empoderado pelo Espírito Santo. Essa é a força de que nós precisamos. Ela jamais esgota. Portanto, espere no Senhor e troque a sua força. Viva pela fé em Jesus e em suas promessas, e experimente o seu poder.
Isaías também desmascara é a nossa juventude ou capacidade humana. No hebraico bíblico, “jovens” significa “aqueles que estão no auge da juventude, no melhor momento da vida”; e “rapazes” significa “aqueles escolhidos a dedo pelo vigor físico”. Percebeu o que o profeta está dizendo?
O que nos dá força para prosseguir não é o auge nem o vigor da juventude, não vêm, em última instância, do tempo favorável ou da saúde perfeita. Força e condições para chegar longe vêm do Senhor, que renova as nossas forças, que troca as nossas forças, que coloca em nós o seu Espírito de força e de poder. Esperar em Deus é renovar as forças. Portanto, não invista só no corpo, na autoestima ou apenas na sua capacidade intelectual. Desenvolva o espírito de fé em Deus e invista tudo nele. Paulo, escrevendo a Timóteo, disse o seguinte:
“O exercício físico tem algum valor, mas exercitar-se na devoção é muito melhor, pois promete benefícios não apenas nesta vida, mas também na vida futura.” (1ª Timóteo 4.8)
 Esperar em Deus é ganhar PERSPECTIVA DIVINA dos fatos
“… Abre as asas e voam alto como águias…” (v.31)
As águias possuem olhos muito potentes, podendo, das alturas, enxergar suas presas e as tempestades a quilômetros de distância. Pairar no ar como águias enquanto esperamos no Senhor poderá nos dar uma perspectiva melhor dos fatos e da situação que estamos vivendo. Lembre-se: quem enxerga longe, chega mais longe.
 Esperar em Deus é criar RESISTÊNCIA e FORTALECER a alma
“… Correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos.” (v.31)
Na vida, não há outra opção: temos que correr e caminhar. Na vida, temos que enfrentar situações adversas e precisamos correr, temos que prosseguir com a rotina e precisamos caminhar. Agora, quem não aprende a esperar em Deus, ao correr, irá se cansar, perderá a força inata ou inerente de se ser humano; ao caminhar, irá desfalecer, exaurir por causa da dureza da vida. Sozinho, sem esperar em Deus, quem corre perde o que tem em termos de força, e quem anda esgota o que tem em termos de ânimo. Isaías é muito realista! Agora, esperar no Senhor é criar resistência e fortalecer a alma para enfrentar os obstáculos e os reveses que nos aguardam pela frente, além de renovar o ânimo para enfrentar a rotina. Portanto, espere em Deus e crie resistência e força para a alma. Dessa forma, correremos e caminharemos, chegaremos longe, mas não nos cansaremos nem ficaremos exaustos.
Conclusão:
Como está a sua esperança? Ela determinará o nível de sua força para voar, correr e caminhar. No quê e pelo quê você espera? Seus olhos enxergam apenas até os limites dos arames farpados dessa vida? Em que marcha você está neste momento da sua vida?
Eu sei que alguns precisam voar, precisam de novos ares, dos ares da graça de Deus; eles precisam de uma perspectiva divina para o que estão vivendo neste momento. Precisam de sabedoria do alto. Não é verdade? Eu sei que alguns de vocês precisam correr para dar conta de tanta coisa: trabalho, casa, saúde, filhos… Carecem de força para remir o tempo, correr atrás do tempo perdido, correr para prevalecer.
Mas eu sei que todos precisam caminhar e perseverar; querem apenas caminhando com fidelidade a Deus; caminhando para cumprir a missão que Deus lhe deu; caminhando para atravessar o vale da sombra da morte, para atravessar o vale de dores, de enfermidade, de dificuldade financeira, de luta contra o pecado. Todos precisam de força para perseverar até o final e receber a coroa da vida.
Em que marcha você está? Está voando e não pode cair? Está correndo e não pode cansar? Está caminhando e não pode ficar exausto? Ou será que você precisa voar e não consegue, precisa correr mas já se cansou, precisa andar mas já ficou exausto? Seja como for, espere em Deus:
“Mas os que esperam no Eterno renovam suas forças. Abre as asas e voam alto como águias, correm e não se cansam, andam e não ficam exaustos.” (Isaías 40.27-31)

 

Rolar para o topo