O Caminho de um Vencendor

O CAMINHO DE UM VENCEDOR
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“… E ele [Golias] começou a vir na direção de Davi que, deixando as fileiras israelitas atrás de si, saiu correndo na direção do filisteu. Davi pegou uma pedra do alforje, lançou-a com o estilingue e atingiu o filisteu na testa. A pedra ficou cravada em sua fronte, e o gigante caiu com o rosto em terra.” (1º Samuel 17.48-49)
“Matar um leão por dia” é uma frase bastante comum na boca do brasileiro. São muitas as batalhas que ele enfrenta no dia-a-dia: problemas em casa, com os filhos, no trabalho, dívidas, enfermidades, perdas, etc. E, como não adianta pensar em todos os problemas ao mesmo tempos porque não se vai conseguir resolvê-los de imediato nem no atacado, então a pessoa se põe a fazer uma coisa de cada vez, ou seja, “matar um leão por dia”. Ele faz tudo o que é possível para resolver cada problema a cada dia. Além dessas gigantescas batalhas, que desafiam e trazem humilhação, existem, também, as enormes batalhas do pecado que dilaceram a alma e o coração de todos nós na medida em que matamos um leão por dia. A Bíblia diz:
“Por que não escolhem o caminho do Espírito? Só por ele poderão fugir dos impulsos inconstantes de uma dominada pela Lei. Todos conhecem o tipo de vida de uma pessoa que quer fazer o que bem entende: sexo barato e frequente, mas sem nenhum amor; vida emocional e mental detonada; busca frenética por felicidade, sem satisfação; deuses que não passam de peças decorativas; religião de espetáculo; solidão paranoica; competição selvagem; consumismo insaciável; temperamento descontrolado; incapacidade de amar e de ser amado; lares e vidas divididos; coração egoísta e insatisfação constante; costume de desprezar o próximo, vendo todos como rivais; vícios incontroláveis; tristes paródias de vida em comunidade… Essa não é a primeira vez que venho advertir vocês: se usarem a liberdade desse modo, não herdarão o Reino de Deus.” (Gálatas 5.17-21)
A vida é assim: lá fora, na correria, há batalhas poderosas para serem vencidas, matamos um leão por dia. Aqui dentro, no coração, há batalhas enormes para serem vencidas – a mortificação das obras da carne. A vida de quem quer viver piedosamente é uma intensa batalha contra gigantes de fora e de dentro. O objetivo desses gigantes é impedir o cumprimento do propósito de Deus para nossas vidas. Eles roubam a nossa alegria no Senhor e nos aprisionam com dúvidas e sofrimentos desesperadores. Então, como é que nós podemos vencer esses gigantes para que possamos prosseguir em liberdade, vitoriosos e alegres no serviço do Senhor?
A história que serve de inspiração para trilharmos o caminho do vencedor é a de Davi e Golias. Não vou me deter em todo o contexto, até porque já conhecemos o desenrolar de toda a história, mas quero fazer menção de duas coisas muito importantes: o caráter do gigante e o caminho do vencedor.
Golias é a representação das batalhas que enfrentamos todos os dias interna e externamente. Mas, como é o caráter desses gigantes que tentam impedir que realizemos os propósitos de Deus para nossas vidas? Olhando para o capítulo 17 o primeiro livro de Samuel, podemos identificar os principais traços do caráter desses gigantes.
 Os gigantes IMPRESSIONAM com força e arsenal de guerra
“De repente, surgiu das fileiras dos filisteus um gigante de quase três metros de altura chamado Golias, de Gate. Tinha na cabeça um capacete de bronze e usava uma armadura que pesava quase sessenta quilos! Usava também caneleiras e bronze e carregava uma espada de bronze. Sua lança parecia uma viga. Só a ponta da lança pesava sete quilos e duzentos gramas. Seu escudeiro ia à frente dele.” (1º Samuel 17.4-7)
Problemas internos e externos nunca chegam pequenos, são sempre poderosos e bem acompanhados.
 Os gigantes INTIMIDAM com insultos e pela reputação
“Golias, de sua posição, desafiava os israelitas: por que incomodar todo o exército? Não sou eu um filisteu, e vocês, súditos de Saul? Escolham o seu melhor guerreiro e tragam-no a mim. Se ele tiver sorte e me matar, os filisteus serão seus escravos. Mas, se eu tiver sorte e matá-lo, vocês serão nossos escravos e passarão a nos servir. Estou desafiando as tropas de Israel. Tragam-me um homem que possa duelar comigo. Quando Saul e as suas tropas ouviram o desafio do filisteu, ficaram aterrorizados e perderam a esperança. […] Os israelitas, com medo do gigante, se dispersaram por todos os lados. No meio das tropas, o comentário era este: você já viu alguma coisa assim? Esse homem provoca Israel abertamente. Quem conseguir matá-lo está feito! O rei dará uma generosa recompensa, oferecerá sua filha por mulher e isentará toda a sua família de impostos.” (1ª Samuel 17.8-11;24-25)
Os gigantes que nos atacam, interna e externamente, agem para nos intimidar com seus insultos e reputação cruel. Sua imagem não sai da nossa cabeça; seus insultos não se calam em nossos corações; eles nos intimidam e nos paralisam.
 Os gigantes PERSISTEM e INSISTEM sem cansar
“Toda manhã e toda tarde, durante quarenta dias, Golias se posicionava e desafiava os israelitas.” (1º Samuel 17.16)
Os ataques dos gigantes, internos e externos, assim como Golias, são insistentes (toda manhã e toda tarde) e persistentes (durante quarenta dias). A insistência e a persistência dos gigantes que nos atacam levam muitos ao desespero. É o medo que não vai embora, a angústia que não some, a tristeza que não sai do coração, a tentação que não dá trégua, a perda que não é substituída, a situação que não melhora. É o consolo que não chega, a mudança que não ocorre, a espera que não chega ao fim, a solidão que não é preenchida, o erro que não é reparado, a enfermidade que não sara, o desafio que não é vencido, o hábito pecaminoso que não é derrotado. Entra dia e sai dia e as coisas nunca parecem melhorar; aliás, elas parecem piorar.
 Os gigantes INSULTAM os guerreiros de Deus
“O filisteu, que andava de lá para cá, atrás do seu escudeiro, viu Davi se aproximando. Ele olhou para baixo, e, zombando disse: vejam só, um jovem ruivo e arrumadinho. Golias ridicularizou Davi: acaso sou um cachorro para você vir me enxotar com um pedaço de pau? E amaldiçoava Davi, invocando os seus deuses. O filisteu esbravejou: venha! Vou atropelar você e deixar seu corpo para os corvos. Será um prato cheio para os animais do campo.” (1º Samuel 17.41-44)
Além de insuflar medo no coração dos soldados de Israel, Golias despreza a capacidade de Davi, desdenha de suas armas e descreve o que almeja fazer com ele. Os gigantes, internos e externos, sempre desprezam a nossa capacidade, desdenham de nossas armas e pintam horrores no nosso coração. Seu objetivo é nos matar através do desespero.
 Os gigantes INVESTEM para nos destruir
“… E ele [Golias] começou a vir na direção de Davi…” (1º Samuel 17.48)
Golias chega ao seu limite e decide partir para acabar com Davi. Aquilo que antes era apenas ataques verbais e visuais, estava, agora, prestes a se tornar realidade. Golias partiu na direção de Davi. Os gigantes da vida, internos e externos, investem pesado para nos destruir.
Conclusão:
Se já conhecemos o perfil do caráter dos gigantes que nos assolam, precisamos aprender o caminho para vencê-los. Ou nós aprenderemos a matar os gigantes ou eles nos matarão.
O caminho de um vencedor requer…
1. A formação nos BASTIDORES das batalhas
“Nesse meio-tempo, Davi chegou ao campo de batalha. Ele era filho de Jessé, o efrateu de Belém de Judá. Jessé, pai de oito filhos, já estava muito idoso para luar no exército de Saul, mas os três filhos mais velhos de Jessé foram com Saul para a guerra. Os nomes dos filhos que se alistaram no exército eram Eliabe, o primogênito, Abinadabe e o terceiro, Samá. Davi era o caçula. Enquanto os três irmãos mais velhos estavam no campo de batalha, Davi ficou dividido entre ajudar Saul e cuidar das ovelhas do seu pai em Belém. Toda manhã e toda tarde, durante quarenta dias, Golias se posicionava e desafiava os israelitas. Certo dia, Jessé disse a Davi: pegue este saco de trigo tostado e dez pães e leve a seus irmãos que estão no acampamento. Leve estes dez queijos para o capitão da divisão. Veja como estão passando seus irmãos e volte para me dizer como estão Saul, seus irmãos e todos os israelitas na batalha contra os filisteus, no Vale de Elá. Davi se levantou de madrugada, deixou alguém encarregado de cuidar das ovelhas e foi levar a comida, de acordo com as instruções de Jessé. Ele chegou no acampamento numa hora em que o exército estava se preparando para a batalha com gritos de guerra. Israel e os filisteus estavam posicionados um de frente para o outro, preparados para o combate. Davi deixou os suprimentos aos cuidados do guarda, correu para a linha de combate e saudou seus irmãos.” (1º Samuel 17.12-22)
Davi serviu com obediência, dedicação e responsabilidade nas pequenas coisas. Ele foi formado nos bastidores das batalhas. Servindo nas pequenas coisas, Davi foi acumulando experiências com Deus. Um vencedor nunca é formado na linha de frente da batalha, mas nos bastidores. Ele começa a servir com obediência, dedicação e responsabilidade, vai adquirindo experiências com Deus, até que esteja pronto para entrar e vencer as batalhas contra os gigantes internos e externos da vida.
O caminho de um vencedor requer…
2. Fixar os seus olhos na RECOMPENSA
“Os israelitas, com medo do gigante, se dispersaram por todos os lados. No meio das tropas, o comentário era este: você já viu alguma coisa assim? Esse homem provoca Israel abertamente. Quem conseguir matá-lo está feito! O rei dará uma generosa recompensa, oferecerá sua filha por mulher e isentará toda a sua família de impostos. Davi, conversando com o homem que estava a seu lado, perguntou: qual será a recompensa para quem matar o filisteu e livrar Israel dessa desonra? Afinal, quem esse incircunciso filisteu pensa que é para insultar o exército do Deus vivo? Repetiram a ele o que todos comentavam sobre o que o rei daria a quem matasse o filisteu.” (1º Samuel 17.24-27)
Davi não olhou para as dificuldades nem para as impossibilidades. Ele fixou os seus olhos na recompensa. Por isso, foi capaz de encontrar coragem o suficiente para encarar e matar o gigante. Homens e mulheres que derrubam seus gigantes fixam seus olhos na recompensa, olham para as alegrias da vitória sobre as lutas e os problemas da vida. Foi assim também com Jesus:
“Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.” (Hebreus 12.2)
O caminho de um vencedor requer…
3. Não dar ouvidos às vozes da INCREDULIDADE
Quais foram as vozes que tentaram fazer com que Davi se sentisse incapaz de derrotar o gigante Golias, tornando incrédulo o seu coração?
 Vozes que MACHUCAM
“Eliabe, seu irmão mais velho, ouviu Davi conversando com os soldados e perdeu a paciência: o que você está fazendo aqui? Por que não está cuidando daquelas ovelhas magricelas? Eu sei qual é a sua intenção. Você veio para assistir à batalha de camarote. Davi respondeu: qual o problema? Só fiz uma pergunta.” (1º Samuel 17.28-29)
Quantas vezes, em meio às batalhas que você está enfrentando, você ouve vozes das pessoas mais próximas a você que abrem feridas ainda maiores no seu coração! Foi assim com Davi, que ouviu uma voz que machuca da boca do seu próprio irmão.
 Vozes que MENOSPREZAM
“Alguém contou a Saul o que Davi estava conversando, e o rei mandou chamá-lo. Davi disse: Senhor, não perca a esperança. Estou pronto para enfrentar esse filisteu. Saul respondeu a Davi: você não tem condições de lutar contra esse filisteu: é muito jovem e inexperiente. O filisteu tem mais tempo nas guerras que você de vida.” (1º Samuel 17.31-33)
O rei Saul menosprezou Davi achando que ele não tinha capacidade para vencer Golias. Da mesma forma, no meio das lutas que você enfrenta, são muitas as vozes daqueles que não acreditam em você e na sua vitória, menosprezando a sua capacidade de vencer.
 Vozes que metem MEDO
“O filisteu, que andava de lá para cá, atrás do seu escudeiro, viu Davi se aproximando. Ele olhou para baixo, e, zombando disse: vejam só, um jovem ruivo e arrumadinho. Golias ridicularizou Davi: acaso sou um cachorro para você vir me enxotar com um pedaço de pau? E amaldiçoava Davi, invocando os seus deuses. O filisteu esbravejou: venha! Vou atropelar você e deixar seu corpo para os corvos. Será um prato cheio para os animais do campo.” (1º Samuel 17.41-44)
Golias liberou uma palavra para tentar meter medo em Davi. Não é assim que aconteceu com você também. Nos momentos mais difíceis da vida, sempre existe uma pessoa para liberar uma palavra que tenta meter medo no coração daqueles que querem vencer.
Você não precisa temer as vozes que tentam machucá-lo, menosprezá-lo e amedrontá-lo, pois os vencedores são aqueles que ouvem uma única voz – a voz de Deus – e seguem com fé. Foi assim que aconteceu com Davi:
“Davi retrucou: […] O Eterno que me livrou das garras do leão e das garras do urso também me livrará das mãos desse filisteu.” (1º Samuel 17.37)
O caminho de um vencedor requer…
4. Perseverar com ARMAS ESPIRITUAIS
“O rei equipou Davi com uma armadura. Pôs na cabeça dele seu capacete de bronze e prendeu sua espada à cintura. Davi tentou andar, mas nem conseguia se mexer. Davi disse a Saul: mal consigo me movimentar com toda essa parafernália. Não estou acostumado a isto. Em seguida, tirou tudo aquilo. Davi pegou o seu cajado de pastor, escolheu cinco pedras lisas de um riacho, guardou-as no seu alforje de pastor e, com seu estilingue, se aproximou de Golias.” (1º Samuel 17.38-40)
Davi não estava acostumado com aquele aparato todo de Saul, ele estava acostumado com pedras e fundas, ele estava acostumado a se ajoelhar para apanhar suas pedras, ele estava acostumado a girar, mirar e atirar com a sua funda. Davia sabia que as armas das nossas batalhas são as armas que Deus nos dá. Dias maus batem à porta. Gigantes sempre aparecem lá fora e aqui dentro do coração. Como você os derrubará? Percorra o caminho do vencedor.
O caminho de um vencedor requer…
1. A formação nos BASTIDORES das batalhas
2. Fixar os seus olhos na RECOMPENSA
3. Não dar ouvidos às vozes da INCREDULIDADE
4. Perseverar com ARMAS ESPIRITUAIS
O apóstolo Paulo, escrevendo aos crentes da igreja de Éfeso, deixou uma receita preciosa para aqueles que percorrem o caminho do vencedor diante das batalhas internas e externas da vida:
“Para encerrar, lembro que Deus é forte e quer que vocês sejam fortes. Tomem tudo o que Senhor providenciou para vocês – armas eficazes, feitas com o melhor material. Vocês terão de usá-las para sobreviver às emboscadas do Diabo. Não se trata de um jogo com amigos no fim de semana, um diversão esquecida em poucas horas. É um estado de guerra permanente, uma luta de vida ou morte contra o Diabo e seus anjos. Estejam preparados. Vocês lutam contra algo muito maior que vocês. Aceitem toda a ajuda que puderem, toda arma que Deus providenciou, para que nos fim da batalha vocês ainda estejam de pé.” (Efésios 6-10-13)

 

Rolar para o topo