Famílias Amigas de Deus Deixam um Legado

FAMÍLIAS AMIGAS DE DEUS | 03/08
FAMÍLIAS AMIGAS DE DEUS DEIXAM UM LEGADO
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“A nora de Eli, a mulher de Fineias, estava grávida e já quase na época de ter a criança. Quando ela soube que a arca de Deus havia sido tomada e que o seu sogro e o seu marido tinham morrido, começou a ter dores de parto e deu à luz. Ela estava morrendo, mas as mulheres que a ajudavam disseram: tenha coragem! Você ganhou um filho. Ela não se interessou e não respondeu. Mas deu ao menino o nome de Icabô, explicando: a glória saiu de Israel. Disse isso, falando da tomada da arca de Deus e da morte do seu sogro e do seu marido. Ela disse: a glória saiu de Israel, pois a arca de Deus foi tomada pelos nossos inimigos.” (1º Samuel 4.19-22)

“As decisões que tomamos no presente influenciam diretamente no comportamento das próximas gerações.”

Hoje, o desafio não é aprender com as virtudes de um homem de Deus, mas com o seus erros. Não deixe que aconteça com você e sua família o mesmo que aconteceu com a família de Eli. Escreva uma nova história para sua vida e para a vida de sua família hoje.
Então, o que podemos aprender a partir da experiência do sacerdote Eli e sua família? Quais são os erros que nós não podemos cometer se quisermos construir uma família amiga de Deus que deixa um legado de grande valor?
Famílias amigas de Deus que deixam um legado…
1. São marcadas pelo QUEBRANTAMENTO
“Ana continuou orando ao Senhor durante tanto tempo, que Eli começou a prestar atenção nela e notou que os seus lábios se mexiam, porém não saía nenhum som. Ana estava orando em silêncio, mas Eli pensou que ela estava bêbada e disse: até quando você vai ficar embriagada? Veja se para de beber.” (1º Samuel 1.12-14)
De acordo com os versos que lemos, qual era o espírito que dominava a vida do sacerdote Eli? O espírito crítico e preconceituoso. Eli olhou para Ana e pensou que ela estivesse embriagada porque orava em silêncio e apenas os seus lábios se mexiam. Ao invés de ser marcado pelo quebrantamento Eli estava dominado pela dureza do seu coração.
Famílias amigas de Deus que deixam um legado…
2. Zelam pela VERDADE
“Os filhos de Eli não prestavam e não se importavam com Deus, o Senhor.” (1º Samuel 2.12)
Havia um comportamento frequente em Eli e, consequentemente, em sua família: a mentira. Eli sabia que dentro de casa tudo estava muito ruim, mas, mesmo assim, tentava passar a imagem de que seu sacerdócio estava vivendo os seus melhores dias.

“Filhos que não veem seus pais errarem, assumirem e corrigirem seus erros aprenderão cedo a arte de esconderem os seus pecados.”

“É melhor enfrentar a dor da transparência do que a dor da tragédia dos pecados escondidos.”

“A amizade com Deus requer a verdade sobre quem somos!”

Famílias amigas de Deus que deixam um legado…
3. Assumem suas RESPONSABILIDADES
“Assim os filhos de Eli tratavam com muito desprezo as ofertas trazidas a Deus, o Senhor. E para o Senhor o pecado desses moços era muito grave.” (1º Samuel 2.17)
“Eli já estava muito velho. Ele ouvia falar de tudo o que os seus filhos faziam aos israelitas e também que eles estavam tendo relações com as mulheres que trabalhavam na entrada da Tenda Sagrada. Então Eli disse: Por que é que vocês estão fazendo essas coisas? Todos me falam do mal que vocês estão praticando. Parem com isso, meus filhos! Eu estou ouvindo o povo do Senhor Deus dizer coisas terríveis a respeito de vocês! Se uma pessoa peca contra outra, o Senhor pode defendê-la. Mas quem pode defender aquele que peca contra Deus? Mas eles não ouviram o pai, pois o Senhor havia resolvido matá-los.”
(1º Samuel 2.22-25)
Eli sabia que seus filhos eram maus, mas fez muito pouco para corrigi-los ou impedi-los, mesmo quando a integridade do santuário de Deus fora ameaçada. Como sacerdote, Eli deveria ter respondido mediante a correção dos seus filhos. Como pai, Eli deveria ter confrontado a situação, ter assumido sua posição de sacerdote do lar. Eli foi omisso. Não assumiu as suas responsabilidades.

“A omissão de nossas responsabilidades anula a autoridade espiritual dada por Deus.”

“A omissão gera maldição!”

Famílias amigas de Deus que deixam um legado…
4. Cultivam um lugar de VIDA
“Um homem da tribo de Benjamim correu desde o campo de batalha até Siló e chegou lá no mesmo dia. Para mostrar a sua tristeza, ele havia rasgado as suas roupas e posto terra na cabeça. Eli estava sentado numa cadeira, perto da estrada, esperando. Ele estava muito preocupado com a arca da aliança. Quando o homem deu a notícia, toda a gente da cidade ficou apavorada e começou a chorar alto. Eli ouviu os gritos e perguntou: Que barulho é esse? Então o homem correu para contar as notícias a Eli. Eli estava com noventa e oito anos e completamente cego. O homem disse: Eu fugi da batalha e hoje mesmo vim correndo de lá até aqui. Perguntou Eli: O que aconteceu, meu filho? Respondeu o mensageiro: O povo de Israel fugiu dos filisteus! Foi uma terrível derrota para nós. Além de tudo, os seus filhos Hofni e Fineias foram mortos, e os filisteus tomaram a arca da aliança. Quando ouviu falar na arca, Eli caiu da cadeira para trás, perto do portão da cidade. Ele estava muito velho e gordo. Por isso, quando caiu, quebrou o pescoço e morreu.” (1º Samuel 4.12-18)
Se teve um coisa que Eli não fez foi cultivar, no seio de sua família, um lugar de vida. O sacerdote Eli plantou, cultivou e semeou morte. Eli morreu de verdade, mas é importante destacar que ali também morreu uma geração de sacerdotes.

“Os sonhos nunca morrem para uma família amiga de Deus.”

“Sonhos são ressuscitados e a vida volta a brotar quando o perdão é liberado.”

Conclusão:
Se você deseja construir uma família que seja amiga de Deus e que deixe um legado de grande valor, seja você um amigo de Deus de verdade, que não negocia os princípios e valores estabelecidos por Deus e pela sua Palavra.
 Seja marcado pelo QUEBRANTAMENTO
 Zele pela VERDADE acima de tudo
 Assuma as suas RESPONSABILIDADES
 Cultive um lugar de VIDA

 
 

Rolar para o topo