Foi por Amor

Série de Mensagens – UM AMOR MAIOR
Foi Por Amor | 04/05
mensagem pregada pelo Pr. Vicente Bomfim
“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR? Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza havia que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.” (Isaías 53.1-7)
O texto desta noite é um texto clássico da palavra de Deus. Um texto onde o profeta Isaías narra como seria a morte daquele homem nascido de mulher, mas, antes, criador de todas as coisas. Um homem vindo de Deus chamado de Jesus, o Cristo, que morreria por nós em uma morte humilhante e terrível. Por que morrer desta forma? Por que tanto sofrimento? Por que tanta dor?
Vamos olhar para o passado, na narrativa bíblica da grande criação. Deus criou o homem sua à sua imagem e semelhança (Gn 1.26-27). Mas o homem não se conteve e resolveu desobedecer a ordem de Deus. Ele pecou ao comer do fruto da árvore que estava no meio do jardim, a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 3.1-7).
O homem que fora criado no firme propósito de adorar a Deus, agora se torna inimigo de Deus por causa da sua desobediência, da sua transgressão e do seu pecado. O homem que fora criado para viver no Jardim do Éden, com toda a sua beleza, agora foi expulso por causa do pecado. Isso aconteceu porque o homem comeu do fruto da árvore e passou a viver no pecado eternamente.
Deus, o criador, estava agora tendo que banir o homem do jardim que fez para se relacionar com ele. Com isso, o homem agora seria o total responsável por suas ações, até que este relacionamento pudesse ser reatado através da promessa feita pelo próprio Deus em Gênesis 3.14. O próprio Deus anuncia a vinda de um homem descendente da mulher, sem pecado, para tirar o pecado do mundo.
Posso imaginar, hipoteticamente, o grande alvoroço no céu! Então houve uma reunião entre a Trindade e todos os seres angelicais. E a grande pergunta era: Quem irá por eles? Quem morrerá por eles? Quem se sacrificará por eles? Todo o Velho Testamento foi constituído e apresentado por causa desta promessa. Toda uma geração aguardava aquele que haveria de vir.
Então houve um grande silêncio no céu! E uma voz, como a de um trovão, ressoa entre eles e diz: eu irei por eles! Entregar-me-ei às mais profundas humilhações diante dos homens para arrancar de uma vez por todas o pecado do mundo e da humanidade. E um dos seres viventes perguntou: por que o Senhor fará isso? E Ele lhe respondeu: por amor! Por amor! E é exatamente sobre isso que quero conversar com vocês nesta noite. Este texto nos ensina algumas lições do amor de Jesus por nós. O que Jesus fez por amor?
Por Amor…
1. Ele se ENTREGOU por nós.
“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (v.4-5)
Ao olharmos para estes versos podemos perceber a grandeza desta entrega. Ele esvaziou-se de sua glória para padecer em nosso lugar. O verso chega a mencionar que “o castigo que nos traz a paz estava sobre ele”. Ao analisar a palavra castigo pude perceber o quão intensa foi essa entrega, pois, no original, essa palavra traz o sentido de “castigo com golpes”.
Jesus tomou o meu e o seu lugar para ser golpeado por chicotes. Chicote este chamado de flagum, que, ao mesmo tempo em que batia, rasgava a pele até o osso. E isso nos remete a outra expressão do texto: “ele tomou sobre si”. O sentido da palavra no original significa “admitir; tomar a culpa para si que não era dele; ou carregar. Significa representar ou substituir o verdadeiro culpado”.
Ele se entregou por mim, e por você, literalmente. Mediante a isso, o que fazer? Como responder a tão grande amor?
Por Amor…
2. Ele SOFREU por nós.
“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si…” (v.4a)
Podemos parar para pensar no seguinte: será que nós suportaríamos tanto sofrimento e tanta dor? A Bíblia diz o quanto Ele sofreu por nós e como foi doloroso este calvário. A Bíblia relata tamanha crueldade que Ele suportou em nosso lugar.
Por que Jesus sofreu por nós? Por que o seu sofrimento foi vicário e redentor? Somente através desse sofrimento, todas as ovelhas perdidas seriam recuperadas. O contraste entre Cristo e suas ovelhas é impressionante e comovente.
Isaías declara que Jesus morreu por nós. O que Ele fez, Ele fez por nós. O que Ele sofreu foi por nós. A dor e a brutalidade da cruz foram tudo por nós. A partir da nossa perspectiva, podemos dizer que Jesus foi traído, julgado, espancado, escarnecido, humilhado, coroado de espinhos, falsamente acusado, obrigado a carregar a sua cruz, e depois publicamente crucificado, a forma mais brutal de execução em sua época.
Se nos concentrarmos nesses eventos podemos chegar à conclusão de que Jesus não deveria ter morrido. Foi tudo um grande erro e que, de alguma forma, os poderes das trevas finalmente triunfaram sobre a luz. A Bíblia nunca nega a culpabilidade moral daqueles que levaram Jesus à morte. Em Atos, Pedro diz:
“Sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos.” (Atos 2.23)
Então, é perfeitamente adequado dizer que Jesus foi assassinado por seus inimigos. Mas esse não é o fim da história. Longe disso. Os escritos Bíblicos se unem para declarar que Jesus deu a sua própria vida, que ninguém a tomou. Ou seja, Ele tinha um grande motivo para fazer e passar pelo sofrimento que passou.
Na verdade Ele escolheu ir para a cruz em nosso lugar. Ele resolveu ser moído em nosso lugar. Ele resolveu ser ferido em nosso lugar. Ele foi espancado, traído, escarnecido, flagelado, coroado de espinhos e crucificado; tudo por nós. Nossos pecados levaram Jesus à cruz. Mas Ele não foi de má vontade. Se os nossos pecados O levaram lá, Seu amor por nós O manteve lá.
Ele se sofreu por mim e por você. Diante dessa realidade, o que fazer? Como responder a um amor tão grandioso?
Por Amor…
3. Ele TOMOU sobre si o nosso castigo.
“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (v.5)
A agonia física de Jesus na crucificação foi grande e intensa. Mas sua obediência ao Pai era o que contava. A Bíblia diz:
“A si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” (Filipenses 2.8)
Sua morte satisfez a ira de Deus contra o pecado e lhe permitiu esquecer e perdoar os pecados da nação de Israel e de todos nós que cremos Nele, porque foram pagos pela morte substitutiva do Servo. Mas sua morte não é o fim da história. Jesus não falhou no que veio fazer. Ele cumpriu perfeitamente a vontade do Pai: “o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”.
Nós temos paz com Deus. A palavra significa integridade, saúde, ausência de guerra e segurança. Em um mundo bagunçado, cheio de pessoas quebradas e promessas não cumpridas, por meio de Cristo temos a paz que excede todo o entendimento humano.
Ele levou sobre si o nosso pecado, suportou nossas dores, e, através da sua morte na cruz, nos curou de dentro para fora, de modo que agora vivemos em paz. Jesus Cristo levou sobre si o nosso castigo. E, então, o que fazer diante dessa demonstração de amor? Como corresponder a um amor tão maravilhoso?
Por Amor…
4. Ele TOMOU o nosso LUGAR.
“Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.” (v.6)
Alguém já disse que Isaías 53.6 é o João 3.16 do Antigo Testamento. Note que a palavra “todos” é a primeira e a última palavra do versículo seis. Todos nós pecamos. Todos nós andávamos desgarrados. Todos nós havíamos errado o alvo. Todos nós estávamos em nosso próprio caminho. Estávamos no mesmo barco e se Deus não tivesse feito alguma coisa, todos nós iríamos perecer eternamente. Neste ponto, encontramos a verdade gloriosa do Evangelho: Deus fez alguma coisa!
“… mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.” (v. 6)
Esse é Jesus! Esse é o grande Servo do Senhor que veio do céu em uma missão de resgate divino. Deus colocou nossos pecados sobre Jesus. Essa é a doutrina da substituição. Esse é o coração do evangelho. Ele tomou o meu lugar quando morreu na cruz. Deus colocou os meus pecados sobre Ele.
Quando visitamos uma pessoa idosa ainda não convertida em um hospital, e pregamos para ela o evangelho. Sua pergunta sempre é: “Pode um pecador velho como eu ir para o céu?”. Podemos sempre assegurá-la que mesmo os “velhos pecadores” podem ir para o céu, confiando em Jesus. Mas há uma boa notícia para os velhos pecadores e também para os jovens pecadores, grandes pecadores, pequenos pecadores e para todos os pecadores como nós. Jesus pagou o preço por completo para que você possa ir para o céu.
Não importa quem você seja, o que você fez ou o quão ruim seja o seu histórico de vida. Se você se considera um pecador, você pode ser salvo. Como posso ter tanta certeza disso? Porque Jesus foi ferido por causa das nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades, e isso é a garantia que temos do nosso passaporte para o céu.
Jesus, o Filho de Deus, tomou o nosso lugar na cruz do Calvário. E, diante disso, o que fazer? Como responder a tão grande amor?
Conclusão:
Estas duas perguntas são decisivas e foram feitas no final de cada tópico desta mensagem: diante disso, o que fazer? Como responder a tão grande amor? Então, quero explicar a você, em breves palavras, como responder estas duas perguntas.
Primeira pergunta: diante disso, o que fazer? Resposta: entregue sua vida a Jesus, porque ele se entregou por você, porque ele sofreu por você, porque ele tomou o castigo que era seu para Ele e porque Ele tomou o seu lugar na cruz.
Segunda pergunta: como responder a tão grande amor? Resposta: não deixe que a timidez ou qualquer outra coisa neste momento atrapalhe você de amá-lo na mesma intensidade. Lembre-se: tudo isso foi por amor!
Por Amor…
1. Ele se ENTREGOU por nós.
2. Ele SOFREU por nós.
3. Ele TOMOU sobre si o nosso castigo.
4. Ele TOMOU o nosso LUGAR.

 

Rolar para o topo