Igreja Mais Acolhedora

Série de Mensagens – IGREJA MAIS
Igreja MAIS Acolhedora | 02/05
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
Vamos pensar juntos. Quais são as principais razões para a escolha de uma igreja? Quais são os critérios que levam alguém a permanecer na igreja? Já existe uma estatística que comprova que o fator motivador mais importante para alguém desejar permanecer numa igreja não é a denominação, o pregador, a música, o conforto, a comodidade nem mesmo as doutrinas dessa igreja, mas sim, o acolhimento que esta igreja oferece. Estatisticamente, também se provou que, se uma pessoa não consegue fazer amizade em uma igreja, ela acaba saindo em busca de comunhão e amizade.
Uma igreja acolhedora precisa criar vínculos de amizades. Sem entrosamento não se cria esses vínculos. A recepção calorosa conta mais que qualquer outro fator. Assim sendo, cada membro do corpo de Cristo deveria prestar mais atenção a quem chega à igreja. Na verdade, seríamos mais eficazes na maneira que recebermos as pessoas em nossa comunidade de fé se tivéssemos mais atenção.
A receptividade às pessoas deveria começar lá fora, no pátio, no estacionamento ou no portão da igreja. A maneira como acolhemos as pessoas, muitas vezes, é mais significativa para elas do que a música que elas escutam em nossas celebrações. Uma igreja que não expressa amor nos seus gestos, acolhimento na recepção, simpatia nas suas palavras, interesse genuíno pelas pessoas, não reflete o espírito do evangelho de Cristo.
A igreja não é um clube onde pagamos uma cota e usufruímos os benefícios. A igreja não é uma plateia onde nos assentamos para escutar uma preleção. A igreja é um povo chamado por Deus, transformado pelo evangelho, habitado pelo Espírito, que deve adorar a Deus em espírito e em verdade e acolher aqueles que Deus enviar a essa comunidade de fé. A igreja é uma família que se reúne para cultuar a Deus e se espelha para testemunhar a graça de Deus na família, no trabalho, e em todos os lugares.
Uma das figuras mais ricas do novo testamento para descrever a igreja é a figura do corpo. Paulo, escrevendo à igreja de Corinto, falou sobre essa figura. Vamos ler 1ª Coríntios 12.12-27. A luz deste texto vamos observar quais são as marcas dessa igreja acolhedora?
Uma igreja MAIS acolhedora…
1. É a igreja que INVESTE na UNIDADE.
1ª Coríntios 12.12-13
A igreja é uma unidade. Nela há ricos e pobres; brancos e negros; homens e mulheres; doutos e indoutos. Quando nos reunimos como igreja, todas as nossas diferenças perdem seu significado porque todos somos um – temos um só pensar, um só sentir, e experimentamos o mesmo amor uns para com os outros. Uma igreja acolhedora trabalha pela unidade do corpo.
Conseguimos ser uma Igreja mais acolhedora quando não mais nos importamos com posições, títulos, nacionalidades, situações sociais, financeiras e aparências. Quando entendemos que em Cristo fazemos unidade com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Em João 17.20-23 disse Jesus:
“Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um: Eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.” (João 17.20-23)
Essa oração de Jesus nos ensina a necessidade de investirmos em nossa unidade como Igreja. Ele nos convida a olhar para Ele e, ao olhar para Ele veremos o Pai e nos uniremos a Ele em ações, palavras e pensamentos. Desta forma, no texto que lemos no início, Paulo compara a Igreja a um corpo. Um corpo existe para materializar a imagem e semelhança de Deus em nós e nos dá a possibilidade de sermos afetados pelas ações realizadas por ele.
Ser Igreja mais acolhedora é ser a materialização de Jesus aqui na terra. Jesus nasceu, viveu e continua vivo em matéria por sua Igreja. Por isso, ser Igreja mais acolhedora é demonstrar o acolhimento de Jesus. Precisamos ser um de tal maneira que qualquer pessoa que tiver contato com a Igreja, tenha contato com Deus, seu Filho e seu Espírito Santo. Uma das características de Deus é o acolhimento a todos.
Na Igreja não há acolhimento sem unidade. Não há lugar para divisões no Reino de Deus manifestado pela Igreja. Temos a mesma fé, o mesmo Senhor, o mesmo batismo, o mesmo Espírito. Tudo o que somos a partir do acolhimento de Jesus por nós na cruz deve ter como resultado sermos um, sermos unidos em um só propósito e missão.
Uma igreja MAIS acolhedora…
2. É a igreja que SERVE na DIVERSIDADE.
1ª Coríntios 12.5-11
Essa unidade não é uniformidade. O corpo possui diversidade de membros. Você tem um corpo só, mas formado por membros diferentes. Cada membro com sua função, com sua finalidade, com seu ministério, com sua particularidade. Ser Igreja mais acolhedora é enxergar nos outros diferentes formas de falar a mesma coisa. Temos a mesma mensagem, mas recebemos capacitações para demonstrá-la de maneiras diferentes, temos o mesmo Espírito, mas que nos capacita de maneiras diferentes. Somos um corpo, mas exercitamos para o funcionamento do corpo funções diferentes.
Cada pessoa do Reino tem suas capacitações, habilidades que devem servir para edificação e acolhimento de todos para que Deus seja louvado. Não deve haver orgulho de funções e sim adoração e gratidão pelo Reino e por poder participar da missão. A nossa dificuldade de lidar com o diferente seja na maneira de ser, vestir, falar ou nas diversas formas de desenvolver dons e habilidades, nos faz excluir pessoas em vez de acolhê-las.
A Igreja mais acolhedora é aquela que consegue aceitar, receber pessoas do jeito que elas são, crendo que estão em processos de santificação e que também entende que o Espírito Santo tem suas multiformes maneiras de manifestar a graça do Evangelho. Paulo mesmo disse que ele se reinventou de várias maneiras para que a mensagem do Evangelho fosse entendida por todos. Por causa de nossos complexos emocionais, seja de inferioridade ou superioridade, não acolhemos. Em nossa comunidade, acolhemos quem se parece conosco e se adapta à nossa maneira de servir. Não percebemos o outro como presente do Pai, para trazer mais beleza à comunidade do Reino.
Deus nos fez diferentes, não há um ser humano igual ao outro e quando Ele nos tirou das trevas para o Reino da luz, ele resgatou nossa singularidade e nos capacitou com diferentes dons para que abençoássemos e supríssemos aquele que agora não é mais um estranho, mas nosso irmão. Deus nos tirou do isolamento do pecado e nos deu uma comunidade para conviver cheia de ricas diferenças.
Uma Igreja mais acolhedora consegue servir a Deus e seus propósitos eternos acolhendo a todos com suas diversidades. Tanto o pecador que está chegando quanto o irmão que já faz parte da família. Com o pecador, temos que servi-lo com acolhimento; com o irmão em Cristo, temos que acolhê-lo permitindo que ele participe da missão. Quando contemplamos a natureza, percebemos a diversidade e quanta beleza há nela. Precisamos contemplar o Corpo de Cristo e ver as suas nuances e não tentar uniformizar a partir do que somos e sim desfrutar da beleza da diversidade.
Pr. Mario Rui Boto – “Deus não trabalha para acabar com nossas diferenças, mas para matar nosso eu. O que nos impede de servir na Igreja é porque o nosso eu predomina ao invés de morrer. Quem precisa estar no comando é Cristo e a ordem dele é acolhimento. Igreja mais acolhedora serve aos perdidos juntos com os irmãos acolhidos por Cristo e capacitados pelo Espírito para glória e honra do Pai”.
Uma igreja MAIS acolhedora…
3. É a Igreja que ABRAÇA a MUTUALIDADE.
1ª Coríntios 12.14-20
Igreja mais que acolhedora é aquela que abraça e deixa ser abraçada. É aquela que está pronta tanto para receber como para doar. O acolhimento se manifesta na mutualidade. O que recebemos do Senhor, damos aos outros. Quando entendemos que somos representantes de Jesus e capacitados pelo Espírito com diferentes dons, chega a hora de agirmos, e a mutualidade, que significa reciprocidade, acontece em nosso meio.
Porque somos do Reino agimos perdoando, orando, compartilhando, dedicando, amando e servindo uns aos outros. Ao pensar em mutualidade nos vem a seguinte pergunta: Que imagem passamos para os que não são da Igreja? O que eles percebem quando nos visitam ou convivem conosco?
Com certeza não são nossas músicas, discursos e roupas que realçam primeiro, mas como lidamos uns para com os outros. As pessoas não alcançadas pela graça de Deus pertencem ao mundo e esse mundo está mergulhado na podridão do maligno. Suas obras são de morte, guerras, fofocas, brigas, orgias, egoísmo, invejas, individualismo, poder, avareza.
A Igreja mais acolhedora precisa mostrar a essa gente a diferença de Reino. Eles precisam ver entre nós amor, paz, bondade, perdão, acolhimento. Elas precisam ver o amor de Deus manifestado em nós.
A mutualidade precisa ser percebida por quem ainda não pertence ao Reino. Podemos ser pedra de tropeço ou pontes para as pessoas serem acolhidas por Cristo. Um sorriso, um abraço, uma palavra com um irmão pode fazer com que um amigo vire um irmão.
Uma igreja MAIS acolhedora…
4. É a Igreja que PRATICA a SOLIDARIEDADE.
1ª Coríntios 12.25-27
Não tem como ser do Reino de Deus e não ter compaixão, não ser solidário. Compaixão é você ver a necessidade e se solidarizar agindo para solução. No mundo tão pragmático que vivemos, devemos ter cuidado de vestir a camisa da solidariedade e da compaixão.
Li esses dias no devocional “CÉUS ABERTOS” que precisamos parar de viver a vida cristã como se fôssemos o sol, onde tudo gira em torno de nós em vez de girar em torno de Deus. E ser um astro nos faz agir com murmuração, egoísmo e frustração.
Igreja mais acolhedora não vive para seus próprios interesses, vive para os interesses do Reino, e o interesse do Reino é sempre o outro e a disponibilidade de abençoá-lo. Quando olhamos para o texto do bom samaritano, percebemos a indiferença do sacerdote e do levita, que estavam tão próximos das ações divinas, mas seus corações estavam focados neles mesmos.
A própria ida deles para cidade já denotava que eles estavam fora da missão por eles exercitada. Lugar de sacerdote e levita é no templo, cidade não é o lugar deles, já que é sinônimo de negociação. Eles não precisavam de nada porque a parte deles já era compartilhada pelo Senhor.
O que aprendemos é que quando deixamos a melhor parte, que é a convivência com o Senhor, vamos atrás daquilo que não necessitamos, deixamos nossa missão do Reino, nos embaraçamos com nossos problemas e isso acarreta em indiferença ao próximo. Ser Igreja mais acolhedora é não sair da rota, é não perder a visão, a missão. A missão na Igreja começou com acolhimento de Deus a humanidade através de Jesus e continua conosco acolhendo a todos e fazendo o bem para que o nome de Deus seja glorificado. Enquanto estivermos concentrados em nós mesmos, ignoraremos as pessoas que Deus tem nos dado para acolher e ser solidário.
Conclusão:
Há um cântico que diz: “a começar em mim, quebra corações para que sejamos todos um como tu és em nós. Onde há tristeza que haja amor, onde há ódio o perdão. Para que teu corpo cresça sim rumo à perfeição”.
Igreja mais acolhedora é a que investe na unidade, serve na diversidade, abraça a mutualidade e pratica a solidariedade. Tudo que ligarmos na terra será ligado no céu e tudo que desligarmos na terra será desligado no céu isto é, unidade. Deus nos deu diferentes dons; isto é, diversidade. Deus nos deu uma família; isto é, mutualidade. Deus nos deu bênçãos para compartilhar; isto é, solidariedade.
Uma igreja MAIS acolhedora…
1. É a Igreja que INVESTE na UNIDADE
2. É a Igreja que SERVE na DIVERSIDADE
3. É a Igreja que ABRAÇA a MUTUALIDADE
4. É a Igreja que PRATICA a SOLIDARIEDADE

 

Rolar para o topo