O Poder do Amor Incondicional (24/05/2015 – noite)

O PODER DO AMOR INCONDICIONAL
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Logo depois, Jesus foi a uma cidade chamada Naim, e com ele iam os seus discípulos e uma grande multidão. Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva; e uma grande multidão da cidade estava com ela. Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: não chore. Depois, aproximou-se e tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Jesus disse: jovem, eu lhe digo, levante-se! O jovem sentou-se e começou a conversar, e Jesus o entregou à sua mãe. Todos ficaram cheios de temor e louvavam a Deus. Um grande profeta se levantou entre nós, diziam eles. Deus interveio em favor do seu povo. Essas notícias sobre Jesus espalharam-se por toda a Judeia e regiões circunvizinhas.”  (Lucas 7.11-17)
A sequência de más notícias, a enxurrada de problemas, a nuvem de enfermidades, a crise financeira, as angústias da alma, somadas a tantas outras coisas que acontecem ao ser humano dos nossos dias podem fazer alguns pensarem que não há qualquer possibilidade de um final feliz, até mesmo para aqueles que creem.
Dizem que o desespero está ligado à convicção de que no final de tudo é impossível impedir que as coisas sejam mudadas ou melhoradas, que, de fato, aos nossos olhos, Deus não se importa com a nossa dor, com a nossa perda, com a nossa enfermidade ou tragédia.
O texto que lemos nos mostra exatamente o contrário, que Deus não é duro, nem insensível e tampouco egoísta. Podemos ver que Deus é cheio de compaixão e sabe de todos os nossos sofrimentos. Há poder no amor incondicional de Deus. A história que lemos se passa em um contexto urbano, às portas de uma cidade, no vai e vem das multidões, exatamente à semelhança do que acontece todos os dias nos centros, shoppings e terminais de nossas cidades. Duas multidões são apresentadas: uma multidão alegre, cheia de esperança e seguindo a Jesus. E outra multidão, pisando o mesmo solo, mas infeliz, enlutada e sem esperança.
Todos os dias acontece isso entre nós! Há sempre duas multidões, há sempre dois tipos de gente que se cruzam pelas ruas, pelos shoppings, nas escolas e no trabalho. Há sempre dois tipos de corações: um alegre que se cruza com um angustiado.
A multidão angustiada tinha como referencial a morte, andava por uma estrada que terminaria em um túmulo, seus olhos estavam fixos em um caixão. A multidão alegre tinha como referencial a vida, seus olhos estavam fixos na alegria que lhe estava proposta em Cristo, o Senhor. Podemos notar que as contingências e as circunstâncias eram idênticas para ambas as multidões, mas o que as diferenciava era aquele para o qual elas estavam olhando.
O filho da viúva de Naim representa para nós, nestes dias, todas as canalizações de esperança que colocamos em coisas, sentimentos, objetos ou pessoas e que não podem se sustentar por si só em nós e nem adiante de nós! Quanta gente casou achando que o casamento lhes traria felicidade plena. Agora a morte dos sonhos e da alegria é o seu ponto de referência. Quanta gente colocou sua esperança em uma utopia filosófica ou política. Agora a morte de seus ideais é o seu ponto de referência. Quanta gente depositou todas as fichas na saúde e na beleza. Agora veem a morte do vigor, da beleza, e, lentamente, da saúde, como seu ponto de referência.
Qualquer ponto de referência, por mais nobre que seja, se não for Jesus, em quem tudo haverá um dia de convergir no céu e na terra, não será capaz de bancar a si mesmo e, portanto, terminará em morte, frustrando-nos, matando os nossos sonhos e destruindo as nossas esperanças. Louvado seja o Senhor Jesus que nos preparou um final feliz. O poder do seu amor incondicional pode transformar qualquer escrito de morte em vida.
Olhando para o texto que lemos podemos ver o que Jesus faz quando ele olha para multidão angustiada, sem esperança, enlutada e a caminho da morte. Observar o que ele fez é enxergar o que ele ainda faz àqueles que investiram toda a sua vida no casamento, nos filhos, na carreira, na saúde, no ministério e, agora, veem tudo ir por água abaixo. O que Jesus faz quando ele olha e vê que o curso de sua vida e que os limites de sua percepção só vão até o cemitério, até o túmulo, até o caixão, até a matéria, até às coisas desta vida? Ele faz a mesma coisa que fez em Naim.
O poder do amor incondicional…
1. Se faz PRESENTE na hora do sofrimento
“Logo depois, Jesus foi a uma cidade chamada Naim, e com ele iam os seus discípulos e uma grande multidão.” (Lucas 7.11)
Jesus vinha de Cafarnaum, logo depois de ter curado um servo de um certo centurião daquele lugar. Logo depois, entrou na cidade chamada Naim. Jesus nunca está tão longe e nem tão quieto como parece. Ele não para, nem se distancia. Ele só tem o seu tempo e o seu modo de agir. O que cabe a cada um de nós é confiar nele.
O poder do amor incondicional…
2. Se COMPADECE do nosso sofrimento
“Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela…” (Lucas 7.13a)
O Senhor se importa com os nossos dramas e dores. Ele não fica indiferente. Ele se compadece de nós, intercede por nós e nos sustenta.
O poder do amor incondicional…
3. CONSOLA com a sua Palavra
“… E disse: não chore.” (Lucas 7.13b)
Na hora do drama e da dor só a Palavra do Senhor para trazer consolo e descanso.
O poder do amor incondicional…
4. CONTROLA de forma soberana a situação
“Depois, aproximou-se e tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Jesus disse: jovem, eu lhe digo, levante-se!” (Lucas 7.14)
Jesus parou o cortejo, o enterro e trouxe o rapaz à vida. Ele não deixou que o menino fosse para a sepultura! Ele tinha toda aquela situação sob o seu controle. Jesus, assim como na história que lemos, tem cada segundo de nossas circunstâncias sob o seu controle e com sua mão ele mandar parar ou seguir, quando e como ele quiser!
O poder do amor incondicional…
5. CONSTRÓI de novo
“Depois, aproximou-se e tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Jesus disse: jovem, eu lhe digo, levante-se! O jovem sentou-se e começou a conversar, e Jesus o entregou à sua mãe.” (Lucas 7.14,15)
Ao agir soberanamente, ao proferir sua Palavra de poder, nós vemos que o Senhor fê-lo em um espírito de total reconstrução. Ele restaura três coisas essenciais:

  • Ele restaurou a VIDAO jovem sentou-se

Ele pode colar os pedaços, restaurar os valores, trazer de volta a vida! Ele pode mover com o seu Espírito trazendo vida àquilo que já havia morrido.

  • Ele restaurou a VOZe começou a conversar

Ele pode fazer-lhe dizer que crê e contar como foi a restauração! Ele pode fazer você voltar a orar e louvar mais uma vez, ou como nunca antes!

  • Ele restaurou a VIBRAÇÃOe Jesus o entregou à sua mãe

Ele pode restituir a alegria da salvação, do casamento, do trabalho, do ministério. Ele pode restituir a alegria de viver. Ele pode pegar o objeto de sua desesperança e entregar a você de volta com vida.
Conclusão:
Há sempre implicações positivas quando o poder do amor incondicional de Jesus interfere para o bem de nossas vidas. Em outras palavras, o nosso final feliz pode ser o final feliz para muitas outras pessoas:

  • As multidões encheram-se do TEMOR do Senhor

“Todos ficaram cheios de temor…” (Lucas 7.16a)
O temor do Senhor é tudo de que as pessoas ao nosso redor mais precisam provar.

  • As multidões GLORIFICARAM ao Senhor

“… E louvavam a Deus. Um grande profeta se levantou entre nós, diziam eles. Deus interveio em favor do seu povo.” (Lucas 7.16b)
Glorificar a Deus pelo que ele é e pelo que ele faz e fez em nós, visitando-nos com sua Palavra e mensageiros de sua Palavra.

  • As multidões ANUNCIARAM o Nome do Senhor

“Essas notícias sobre Jesus espalharam-se por toda a Judeia e regiões circunvizinhas.” (Lucas 7.17)
Ao saírem todos dali, eles passaram a divulgar a fama de Jesus por toda aquela circunvizinhança. O nome do Senhor foi proclamado com poder e grande glória.
Este momento especial que a viúvia de Naim, seu filho ressurreto e as multidões que assistiram a tudo tiveram com Jesus, nos ensina que é possível você ter um final feliz. O poder do amor incondicional de Jesus que afetou drasticamente a vida daquela viúva, do seu filho e das multidões é o mesmo que está aqui e pode afetar drasticamente sua vida também.
Se você chegou aqui angustiado, cabisbaixo, carregando o caixão dos seus sonhos, dos seus projetos, da sua vida, completamente sem esperança e sem alegria, o poder do amor incondicional de Jesus pode transformar a sua vida. O que você precisa fazer?

  1. Faça de Jesus Cristo o referencial de sua vida;
  2. Tire seus olhos de toda e qualquer coisa ou pessoa que não seja Jesus Cristo;
  3. Conheça Jesus Cristo de forma profunda e íntima, e viva para ele.

 

Rolar para o topo