O que Fazer Quando Não Tenho a Resposta de Deus?

O QUE FAZER QUANDO NÃO TENHO A RESPOSTA DE DEUS?
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“Até quando, Senhor? Para sempre te esquecerás de mim? Até quando esconderás de mim o teu rosto?… Até quando terei inquietações e tristeza no coração dia após dia? Até quando o meu inimigo triunfará sobre mim?… Olha para mim e responde, Senhor, meu Deus. Ilumina os meus olhos, ou do contrário dormirei o sono da morte;… os meus inimigos dirão: “Eu o venci”, e os meus adversários festejarão o meu fracasso… Eu, porém, confio em sua benignidade; o meu coração exulta em tua salvação… Quero cantar ao Senhor pelo bem que me tem feito.” (Salmo 13.1-6)
Este é um salmo de Davi, que clama a Deus: “Até quando, Senhor?”. É o salmo de uma alma aflita, angustiada porque julga que, por algum problema muito sério, Deus Se afastou. Então, ele já está cansado de esperar e pergunta: “Até quando, Senhor?”.
A repetição desta frase demonstra claramente o intenso sofrimento do salmista. Ele se sente perturbado pela aparente indiferença de Deus. Ele se sente abandonado por Deus na sua maior necessidade. Ele se sente desamparado e esquecido.
“Até quando, Senhor?” é a pergunta de pessoas que já se sentiram esquecidas ou abandonadas; é para aqueles momentos quando “ninguém parece se importar”, nem mesmo Deus. “Até quando, Senhor?” é a pergunta de pessoas angustiadas que sofrem e não conseguem enxergar uma perspectiva de alívio ao seu sofrimento.
“Até quando, Senhor?” é o questionamento de pessoas que perderam a alegria de viver. “Até quando, Senhor?” é o grito de famílias que estão vendo seus entes queridos se afundando cada vez mais nas drogas, no alcoolismo, na imoralidade.
“Até quando, Senhor?” é a pergunta de pessoas desconsoladas que não encontram mais esperança e consolo para suas aflições. “Até quando, Senhor?” é o clamor de pessoas que estão vendo seus entes queridos morrendo assolados por uma enfermidade cruel.
“Até quando, Senhor?” é o sentimento de pessoas perplexas, que não conseguem entender o tempo de Deus agir e a Sua fantástica maneira de responder. “Até quando, Senhor?” é o seu clamor… É a sua busca… É a sua inquietação… É o seu questionamento…
À semelhança de Davi, às vezes podemos ser acometidos pelos mesmos sentimentos. Se isso está acontecendo com você, quais seriam então, as atitudes a serem tomadas diante de tal situação?
O que fazer quando não tenho a resposta de Deus? O que fazer quando parece que Deus ficou em silêncio? O que fazer quando os questionamentos, as dúvidas alcançam o nosso coração? O que fazer quando estamos diante de um grande dilema? O salmista, que sentiu na carne essa experiência, nos revela pelo menos 3 atitudes que devem ser tomadas nessa situação.
Diante da ausência da resposta de Deus…
– NÃO PARE DE ORAR
“… Olha para mim e responde, Senhor, meu Deus…” (v.3)
Depois de tudo dito e feito, Davi ainda orava. Mesmo com o coração cheio de questionamentos e dúvidas o salmista tem um coisa clara em sua mente: “não pode parar de orar”, não pode desistir de clamar.
Diferente de muitos de nós, que paramos de orar e desistimos com facilidade diante das situações nas quais não temos resposta imediata, o salmista continua a crer, continua a chamar Deus de “Meu Deus” e insiste em sua oração.
Essa atitude de oração foi o ponto de virada da sua vida. Por mais paradoxal que seja, é no buraco do sofrimento, no vale da sombra da morte, nos dias de aparente silêncio, quando nos pegamos orando, que nós descobrimos que há em nós fé o bastante para prosseguir com perseverança.
Prossiga com perseverança orando mesmo que você não tenha todas as respostas. Ore mesmo que chorando. Ore mesmo que lamentando. Ore mesmo que sofrendo. Ore mesmo que cansado. Ore mesmo que esteja se sentindo fraco. Ore mesmo que não veja nenhum sinal da ação de Deus. Nunca pare de orar. Insista no seu clamor. Ore acreditando que Deus não deixará você sem resposta.
“É só me chamar, que eu respondo: ficarei ao seu lado nas horas ruins, resgatarei você e depois darei uma festa em sua honra.” (Salmo 91.15 AM)
“… Você clamará ao Senhor, e ele responderá; você gritará por socorro, e ele dirá: Aqui estou…” (Isaías 58.9 NVI)
“Antes de eles clamarem, eu responderei. Antes de terminarem de falar, já os terei ouvido.” (Isaías 65.24 AM)
“Por isso lhes digo: Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta… Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta.” (Lucas 11.9-10)
Diante da ausência da resposta de Deus…
– CONFIE EM SUA BONDADE
“… Eu, porém, confio em sua benignidade…” (v.5)
Você é capaz de confiar em Deus mesmo quando a situação ao seu redor é adversa? Ou você confia nEle apenas quando está debaixo da mais absoluta prosperidade e bonança?
Não é fácil confiar quando tudo é adverso. Quando não se tem resposta, a tendência natural é perder a confiança. No entanto, mesmo diante do aparente silêncio de Deus, o salmista continua a confiar nEle, mesmo que a intervenção de Deus ainda não tenha acontecido, ele confiava no seu Deus.
Havia uma coisa que motivava o salmista a não esmorecer na fé: a benignidade do Senhor. O termo benignidade descreve o amor fiel de Deus.
Um amor que jamais falha.

  • Como é bom pensar que temos um Pai benigno, que tem paciência até mesmo quando não temos paciência necessária para esperar o tempo dele agir.
  • Como é bom pensar que temos um Pai que nos conforta e nos consola quando enfrentamos as duras provas da vida.
  • Como é bom pensar que temos um Pai amoroso que nos carrega no colo quando não temos forças para continuar a caminhada.

Era neste Pai que o Salmista continuava a por a sua confiança, ainda que, aparentemente, ele não estivesse ouvindo o seu clamor.
“Bem aventurado o homem que põe a sua confiança no Senhor.” (Salmo 40.4)
Diante da ausência da resposta de Deus…
– PERMANEÇA ADORANDO
“Quero cantar ao Senhor pelo bem que me tem feito.” (v.6)
Perceba que, mesmo tendo começado o salmo com inquietações e queixas, após refletir, o autor termina louvando o Senhor. Quantos de nós somos incapazes de assumir um espírito de louvor quando as coisas não estão como gostaríamos que estivessem!
Quantos de nós, ao primeiro sinal de tribulação, não conseguimos mais adorar a Deus! Sabemos louvar a Deus quando tudo está indo bem. Na verdade, o grande desafio da vida é permanecer louvando ao Senhor incondicionalmente. Ele deseja ser adorado por nós nos dias bons e nos dias maus. Nos dias de respostas como nos dias sem respostas.
Esse foi o segredo do salmista. Mesmo diante dos problemas e dificuldades, mesmo diante do aparente silêncio do Senhor, Davi decide não abandonar seu louvor a Deus, Davi declara que irá cantar ao Senhor pelo bem que Ele o tem feito. Davi reconhece que mesmo nos dias de ausência de resposta, aquela situação pode ser favorável se o Senhor está no controle dela. Por isso, Davi faz do seu momento ruim, um momento de adoração e exaltação ao seu Deus.
Meu amado, faça o mesmo também. Transforme os momentos ruins da sua vida em um momento de louvor e adoração a Deus.
CONCLUSÃO:
Diante da ausência da resposta de Deus…
– NÃO PARE DE ORAR
– CONFIE EM SUA BONDADE
– PERMANEÇA ADORANDO

 

Rolar para o topo