Obras de Hipocrisia ou Obras de Justiça? Qual é a tua Obra? (25/09/2014 – quinta)

OBRAS DE HIPOCRISIA OU OBRAS DE JUSTIÇA? QUAL É A TUA OBRA?
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
Creio que durante a história Deus levanta líderes e profetas para nos levar ao arrependimento em áreas que vão se deturpando ao longo do tempo, e creio que o tempo de hoje é tempo de voltarmos ao Evangelho da graça que produz obras de justiça. Para o bom entendimento da mensagem de hoje vamos conceituar as 3 palavras chaves: Obra, hipocrisia e justiça.

  • Obra: Serviço, aquilo que alguém e está ocupado; ato, ação.
  • Hipocrisia: fingimento; fingir sentimentos, crenças, virtude, que na realidade não possui; vem do latim e do grego e significa representação no teatro, atores que usavam máscaras.
  • Justiça: É um estado de coisas, em que todos desfrutam que Deus é (Jesus) e tudo que Deus doa (Compartilham bênçãos)

As características de quem pratica obras de hipocrisias são:
1. VIVE DE DISCURSO RELIGIOSO | TITO 1:16
O texto lido é uma informação de pessoas que tem um discurso religioso, mas que sua mente ainda não se rendeu ao Evangelho da graça. O próprio discurso revela que suas falas depreciam falhas dos outros e não creem na mudança de vida. O discurso religioso sempre exige perfeição, enquanto o Evangelho de Cristo acolhe os vulneráveis.
Quem pratica obras de hipocrisia. Tem um discurso preconceituoso, baseia suas relações com as pessoas na base do julgamento e não na graça. Paulo adverte que esse discurso pode até parecer que não do Senhor, mas negam por más obras. Falam, julgam, mas não possuem a capacidade de amar. No livro “Cristianismo puro e simples” diz: “Não pense que Deus nos amam porque somos bons, mas que nos fará bons por que nos ama”.
E era esse conceito que muitos estavam negando, mostrando um Deus diferente do Evangelho, um Deus construído por homem baseado a partir da revelação, um Deus criado por eles para exercerem uma autoridade severa, como sinônimo de justiceiros de Deus. Cuidado com a necessidade de apontar. Fomos chamado para abraçar de tal forma que a graça de Cristo constranja o abraçado. Cuidado para que suas obras sejam apenas um discurso, e um discurso que nos faz esquecer quem éramos antes de Cristo.
2. PRATICA OBRAS DE APARÊNCIA | MATEUS 7:21-23
Esse texto alerta que o fato de fazer algo em nome do Cristo, não significa necessariamente que somos Dele. Deixa bem claro que fazer não significa ser. Há muitos fazendo boas obras que aparentemente são justas, mas no convívio mais próximo percebemos a injustiça. Jesus deixa claro que não será a visibilidade das obras que nos fará seus discípulos, mas a prática de vida, fora dos holofotes, da agenda programada e de projetos específicos, que dirão quem realmente somos e que obras estamos produzidos.
Quem pratica obras de hipocrisia fixa mais nas realizações do que no próprio Deus, que deveria ser a motivação para fazer algo. Obras hipócritas tem mais a ver conosco do que com próximo e suas necessidades. O problema é que a obra do hipócrita ele realiza através do que tem, e não no que o outro precisa, e ainda deseja que o outro que recebeu tenha gratidão.
Pr. Roberto Amorim disse uma frase: “Muita Igreja, pouco Reino”. O que isso significa? Há muitas obras que parecem de Deus, mas quando se convive não se vê o Reino do Cristo. Nós vivemos em um mundo que trocou a essência pela aparência. Será que eu e você estamos fazendo essa troca servindo por aparecer e não pela essência?
O problema de nossa sociedade é porque muitos de nós nos ausentamos, tomamos a forma do mundo, como a aparência de ser separados do mundo. Um provérbio chinês diz: “Se você não mudar a direção, terminará onde partiu”. Se não mudarmos o nosso jeito de ser, faremos, mas terminaremos no mesmo estágio que iniciamos longe dos propósitos de Deus.
3. IGNORA SEUS PECADOS | ISAÍAS 58:1-7
Que texto confrontador! Esse texto deixa claro que ações religiosas, podem nos dá a sensação de obediência. É como se falássemos hoje: Deus eu vou as celebrações, célula, jejuo, leio tua palavra, sirvo e nada acontece, o Senhor não olha para mim? E Deus nos respondessem: vocês fazem tudo isso, mas atitudes de vocês após esses atos, não produzem justiça e sim pecado de opressão contra aqueles, vivem para si mesmo que está sob sua autoridade, em suas funções sociais vocês negligenciam, vivem discutindo e brigando.
Quem pratica obras de hipocrisia se excede na prática religiosa e com ela não percebe seus pecados. Jesus quis que ele refletisse que boas obras, listas de ações politicamente corretas, obediência com legalismo, não era suficiente para apagar a essência pecadora. E o hipócrita acha que pode. Há 2 jeitos de povoar a terra: O jeito de Adão (que esconde seus erros) ou o Jeito de Cristo (que nos lembra quem somos, e nos transforma em quem Deus planejou). Quem pratica obras de hipocrisia é um Adão disfarçado de Cristo.
As características de quem pratica obras de justiça são:
1. ESPALHA VIDA POR ONDE PASSA | PROVÉRBIOS 10:16A
Há uma diferença entre ser agraciado e ser abençoado. Agraciado é todo aquele que recebe uma benção e o abençoado é aquele que recebe e compartilha com outros o que recebeu. Quem faz obras de justiça são pessoas que não se contém em receber somente, elas compartilham o que recebem. A vida produzida através dos justos, sinalizam a fonte.
Salmo 87:7 diz todas as minhas fontes estão em Deus. O justo bebe da essência da vida e vai distribuindo o que recebeu. Aonde o justo está, a justiça floresce, acontece, se instala. Por que é impossível beber da fonte da vida, e produzir morte? A mudança da sociedade não acontece no ajuntamento daqueles que são sal e sim na função do sal, onde não há sabor. O justo dá sabor a vida daqueles que já perderam a seu sabor.
2. REALIZA OS ATOS DE JUSTIÇA NATURALMENTE | MATEUS 25: 34 -40
Esse texto é uma visão do julgamento da humanidade, quando Jesus voltar. Jesus relata que a humanidade será dividia em 2 grupos e que o critério não é se um confessa fé nele ou não, mas quem havia agido com justiça e os outros que não haviam manifestado compaixão pelos necessitados, e por isso estavam banidos de sua presença.
A salvação não é pelas obras, mas as obras demonstram que somos salvos. Todo compromisso autêntico e genuíno para com Cristo será acompanhado de uma vida que a justiça, a bondade é gerada naturalmente. Não há obras de justiça sem a cruz, mas também não há ressurreição de uma nova maneira de viver sem o preço da cruz. Só vive e distribui a vida em abundância, quem recebe e paga o preço da cruz.
3. CRISTO É RECONHECIDO EM SUAS AÇÕES | 1 JOÃO 2:6
Conta-se uma história que no início do cristianismo era possível saber se uma simples cadeira era feita por um cristão. Quando se queria saber se uma cadeira era feita por um cristão, era só virar a cadeira e ver o acabamento, porque a dos cristãos havia excelência em lugares que ninguém via, mas eles tinham plena consciência que em tudo eles representavam Cristo.
O nome cristão não foi algo pensado em uma reunião dos discípulos de Jesus. A própria sociedade ao vê-los reconheceu Jesus em seus atos. Quem pratica obra de justiça, tem atitudes que sinalizam a Jesus. Jesus veio para estabelecer um reino onde há diversidade, sem perder o senso que somos todos iguais perante Deus.
Conclusão:
Só há 2 tipos de obras a serem realizadas na essência: a da hipocrisia e da justiça.
A da hipocrisia é a nossa maneira de realizar por nossa conta e por nós mesmos. Somos o centro de tudo. A da justiça é reconhecer a nossa miserabilidade e receber a graça e reparti-la em nossa existência. Todas as advertências da Palavra para obras de hipocrisia não eram para condenação, mas para que a verdade nos liberasse da falsa ilusão de poder chegar e fazer para Deus a partir de nossas próprias obras.
Hoje você pode dizer como Isaías: “Ai de mim”, e receber a graça de Deus para produzir vida, sinalizando Cristo e a justiça existir naturalmente; ou continuar se auto-iludindo, satisfazendo-se nas medíocres obras que é para sua exaltação do que pra glória de Deus. Qual é a tua obra? Que seja a da justiça, vivida pela graça recebida e distribuída por onde eu e você venhamos a passar.
 

Rolar para o topo