Pais Intercessores (15/11/2015 – manhã)

PAIS INTERCESSORES
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor desta terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nenhum.” (Ezequiel 22.30)

“Pais intercessores são, muitas vezes, tudo o que Deus precisa para mudar a realidade de filhos e famílias.”

O profeta Ezequiel registra que quando a nação de Israel estava numa crise política, econômica, social, moral e espiritual, ameaçada de ir para o cativeiro babilônico, Deus olhou do céu, procurou um homem, pelo menos, que pudesse colocar-se a favor da nação e não encontrou um sequer. Por não encontrar quem pudesse interceder o povo com suas famílias foram para o cativeiro.
Ao olhar para esse acontecimento passado, fico pensando na realidade presente de nossas famílias e filhos. Quantos filhos e filhas estão presos em cativeiros porque lhes têm faltado pais intercessores. Muitos filhos estão necessitando de pais intercessores. O mundo esta precisando de pais intercessores.
O mundo conhece muitas mulheres bonitas e muitos homens ricos e poderosos, mas a maior necessidade do mundo e conhecer pais intercessores. Deus esta procurando por pais intercessores. Desta forma, como podemos identificar pais intercessores? Que marcas caracterizam esse tipo de pais?
Pais intercessores…
1. Investem TEMPO na ORAÇÃO pelos filhos.
“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3.1)
Se existe um tempo determinado por Deus para todas as coisas, precisamos encontrar tempo exercermos o papel de intercessor dos nossos filhos. A pressa é um dos sinais marcantes da nossa geração. Acordamos cedo e vamos dormir tarde. Vivemos um tempo de agitação e correria que tem nos roubado essa atribuição tão importante. Vivemos sob o peso do estresse, da agenda congestionada. Os pais não têm tempo para os filhos. As tarefas e compromissos se tornaram mais importante do que os relacionamentos em família. Como disse alguém:

“As COISAS URGENTES tomaram o lugar das COISAS IMPORTANTES.”

Com isso tudo, muitas coisas menos importantes tem ocupado o lugar do altar de oração nos lares. A família já não tem mais tempo para orar, para ler a Bíblia e para louvar a Deus. Pais e filhos vivendo isolados debaixo do mesmo teto. Filhos fazendo de seus quartos um lugar de fuga para não dialogar com seus pais. Em muitos lares a família tem levantado muralhas de separação ao invés de construírem pontes de comunicação. Diante desse caos total precisamos de pais intercessores.

  • Precisamos de pais que passem mais tempo com seus filhos
  • Precisamos de pais que falem mais de Deus para seus filhos

Mas, sobretudo…

  • Precisamos de pais que falem dos seus filhos para Deus.
  • Precisamos de pais que busquem mais a salvação e a santificação dos seus filhos do que o sucesso deles.
  • Precisamos de pais que passem mais tempo no altar da intercessão pelos filhos.
  • Precisamos de pais que desejem mais ardentemente que seus filhos sejam mais filhos de Deus do que seus próprios filhos.

Sabe por que tudo isso? Porque a maior influência que um pai ou uma mãe pode exercer na vida dos filhos é por meio da intercessão. O maior investimento que os pais podem fazer na vida dos filhos é orar por eles.

“Pais invistam tempo em orar pelos seus filhos.”

Pais intercessores…
2. Não ABREM mão de VER seus filhos no ALTAR de Deus.
“Orai sem cessar.” (1ª Tessalonicenses 5.17)
O caminho da oração, embora seja glorioso, não é fácil de ser percorrido. Muitos que se propuseram a ter uma vida fervorosa e intensa de oração desistiram no meio do caminho. Às vezes, é fácil começar; difícil é perseverar na oração.

  • Talvez você já tenha perdido o ânimo de orar.
  • Talvez sua vida de oração seja tão pobre quanto à vida espiritual que você leva.
  • Talvez você já teve uma vida de oração mais fervorosa, mas agora seu coração está seco e sua vida sem frutos.
  • Talvez você se lembre dos dias que sua alma se deliciava na presença de Deus, e hoje há um vazio em seu coração.
  • Talvez você já lutou com Deus em favor dos seus filhos, já chorou por eles, já jejuou em favor deles, mas hoje você está enfraquecida , sem esperança e sem ânimo para prosseguir em frente.

Exemplo de Agostinho: “Mônica orou cerca de 40 anos pela conversão de seu filho Agostinho. Ele era jovem devasso e completamente resistente ao evangelho. Ela jamais desistiu de esperar pelo milagre de Deus na vida de seu filho. Noite e dia, ela clamava a Deus pela conversão dele. Depois de 40 anos de luta, de choro, de oração, agostinho foi convertido. Ambrosio, amigo da família, disse que um filho de tantas lágrimas não poderia se perder.”
Eu profetizo sobre sua vida, que aqueles filhos que estão sendo gerados com lágrimas, nenhum deles vai se perder.
Por isso, não desista de orar por eles. Não abram mão de vê-los no altar de Deus. Você não gerou filhos para o cativeiro. Você não gerou filhos para morte. Você não gerou filhos para o inferno. Seus filhos são herança de Deus. Eles são filhos da promessa. Lute por eles, chore por eles, ore por eles jejue por eles.
Pais intercessores…
3. Dedicam a DEUS a vida dos seus filhos.
Temos muitos sonhos e projetos para nossos filhos. Investimos nos nossos filhos, procurando dar a eles a melhor educação, colocando-os em melhores escolas, pois o nosso desejo é que eles tenham sucesso na vida. Queremos que eles alcancem as melhores notas na escola e no Enem. Não poupamos esforços para vê-los alcançando o topo das realizações profissionais. Temos orgulho de apresentá-los como os nossos troféus. No entanto, a grande questão é se estamos consagrando esses mesmos filhos a Deus com o mesmo entusiasmo.
A coisa mais importante não é que nossos filhos realizem os sonhos do nosso coração nem mesmo os sonhos de seus próprios corações, mas que eles realizem os sonhos do coração de Deus. Por isso, precisamos de pais que ousem dedicar os seus filhos a Deus. Na Bíblia nós temos o exemplo de Ana.
“Era este o menino que eu pedia, e o Senhor concedeu-me o pedido… por isso, agora, eu o dedico ao Senhor. Por toda a sua vida será dedicado ao Senhor.” (1º Samuel 1.27-28)
Nesta declaração, Ana reafirma o que já sabemos – O nascimento de Samuel foi resposta de oração – “por esse menino orava eu”. Também, que Samuel não lhe pertencia, tal como nenhum filho é propriedade dos pais, pois os nossos filhos pertencem a Deus. Então, ela o devolveu a Deus, em cumprimento do seu voto e em atitude de consagração do seu filho a Deus – “por isso, agora, eu o dedico ao Senhor. Por toda a sua vida será dedicado ao Senhor”.
Conclusão:
Pais intercessores…
1. Investem TEMPO na ORAÇÃO pelos filhos.
2. Não ABREM mão de VER seus filhos no ALTAR de Deus.
3. Dedicam a DEUS a vida dos seus filhos.

 

Rolar para o topo