Preparados para Enfrentar os Invernos da Vida (26/07/2015 – noite)

PREPARADOS PARA ENFRENTAR OS INVERNOS DA VIDA
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos dispersas entre as nações: saudações. Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal pessoa que receberá alguma coisa do Senhor, pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz. O irmão de condição humilde deve orgulhar-se quando estiver em elevada posição. E o rico deve orgulhar-se caso passe a viver em condição humilde, porque o rico passará como a flor do campo. Pois o sol se levanta, traz o calor e seca a planta; cai então sua flor, e a sua beleza é destruída. Da mesma forma o rico murchará em meio aos seus afazeres. Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam.” (Tiago 1.1-12)
Tiago escreve sua carta em um período cujo pano de fundo é a perseguição pesada dos romanos aos judeus. Como fruto dessa perseguição, os judeus perderam casas, perderam dinheiro, foram expropriados. Essa é a realidade: uma igreja perseguida, uma igreja expropriada, uma igreja aterrorizada pelos horrores impostos pelo governo romano, desde a crucificação até as brincadeiras de leão comer gente do coliseu em Roma. É pra esse povo que Tiago está escrevendo. Os judeus estavam vivendo os invernos da vida e precisavam estar preparados para enfrentá-los.
Por isso, Tiago escreve essa carta encorajando-os a por em prática uma fé que funciona, que leva as pessoas a tomarem decisões, ações e novas posturas diante dos embates da vida.
Talvez existam pessoas aqui, entre nós, que estão enfrentando os ventos gélidos dos invernos da vida, a neve cobriu sua esperança e o forte frio apagou a chama da alegria e da vontade de viver. Qual é a luta ou o desafio que tem feito você experimentar e enfrentar os invernos da vida? E, assim como Deus tinha uma palavra ao coração daqueles judeus usando a vida de Tiago, Deus tem uma palavra para o seu coração hoje.
No texto que lemos, encontramos algumas verdades que, se forem compreendidas e devidamente aplicadas, nos prepararão para enfrentar os invernos da vida.
1ª Verdade – Os Invernos da Vida um Dia CHEGARÃO – Precisamos estar Preparados
“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.” (Tiago 1.2-3)
Tiago começa a nos dizer uma coisa muito importante sobre a vida e sobre os invernos da vida, especialmente daqueles que servem a Cristo. Não é “se” eu vou passar por provações; não é “se” eu vou passar por tribulações; mas é “quando” eu vou passar por elas. Essa é a questão.
E eu sei que esse tipo de discurso é politicamente incorreto diante do que nós ouvimos hoje sobre o evangelho. Um triunfalismo exacerbado, uma ideia de uma fé barata, vazia, mercantilizada, comprada, em que tudo se resume à quantidade de coisas que eu faço pra Deus, ou a quantidade de dinheiro que eu dou para a igreja, para, então, eu experimentar a plenitude.
Uma fé mentirosa que não prepara homens e mulheres para a carreira da vida, que não prepara homens e mulheres para os desafios que acontecem em todos os momentos da nossa vida.
Porém, se eu sei que lutas virão, se eu sei que provações, ou existem agora ou chegarão amanhã, ou na semana que vem, ou daqui a um ano, eu não sei, mas o fato é que, se eu sei que elas virão, a primeira atitude diante dos possíveis invernos da vida é preparar o meu espírito.
O cristão deve sempre estar armado diante da vida, sabendo que não é “se” seremos atribulados, mas “quando” seremos atribulados. Os invernos da vida um dia chegarão para mim e para você, por isso precisamos estar armados para enfrentá-los.
Parafraseando Jesus, baixe a primeira mão aquele que nunca sofreu; aquele que não sofre, aquele que não luta, aquele que não passa por estreitos tão estreitos a ponto de sentir os próprios ossos esmagados pela vida. Os invernos da vida um dia chegarão, ou, para muitos que aqui estão, já chegaram. Então, precisamos estar preparados para enfrentá-los com as armas que Deus nos oferece.
2ª Verdade – Os Invernos da Vida Precisam ser Recebidos com ALEGRIA
“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações.” (Tiago 1.2)
Se, em primeiro lugar, para enfrentar os invernos da vida eu preciso me preparar com as armas que Deus me dá, em segundo lugar, é recebê-los com alegria. Irmãos, Deus não me convida a me alegrar com a minha dor, Deus me convida a me alegrar nele no meio da minha dor. Deus me convida a me alegrar nos planos perfeitos dele no meio da minha dor.
Dor é dor, é pra sentir, é pra chorar. Dor é dor, é pra ranger os dentes, é pra se sentir pequeno, é pra se sentir totalmente incapaz de sair sozinho dessa circunstância. Jesus, por si próprio, não estava no calvário se alegrando: bota mais um preguinho na minha mão, aumenta o tamanho desse cravo, não fure só os dois pés mas enfie algo nas minhas pernas também, essa coroa de espinhos é muito leve por que não me trouxeram uma maior? Ao invés de espinhos pequenos, por que não espinhos maiores para atravessarem a minha nuca?
Lógico que Jesus não agiu assim, mas a Bíblia diz que pela alegria que estava destinada, ele suportou a cruz. Jesus estava triste, mas confiante que havia um processo completo, perfeito e temporário que ele precisaria para alcançar o plano que Deus tinha para ele e para todos nós.
Eu preciso entender que, se sou filho de Deus, se estou no projeto de Deus nessa vida, se reconheço a Cristo como meu Salvador, se sei que a minha vida pertence a ele, que não sou tolo, que não estou orando para as paredes, que eu não estou conversando com as nuvens, que quando eu me deleito na presença dele ou em lágrimas ou em sorrisos, eu tenho a certeza de ele está ali, de que ele é meu pai, de que ele me ama, então, me alegro, não pela dor que eu sinto, mas pelos resultados que advirão dessa dor, pelos efeitos que Deus vai produzir em minha vida a partir desse sofrimento.
3ª Verdade – Os Invernos da Vida Sempre Produzem EFEITOS Maravilhosos

  • PERSEVERANÇA

“Pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.” (Tiago 1.3)
A primeira coisa que Deus deseja produzir em minha vida no meio da tempestade, é uma palavra que não se aprende nos livros, que não se aprende em aconselhamentos, que só se internaliza quando se vive, ela se chama perseverança. E o que é perseverar? É não desistir, é não parar, é não olhar para trás, é sentir a dor e olhar para o alto, é sentir o navio afundando e ter a certeza de que Deus é o senhor dos mares. Perseverar é continuar, é dormir cansado e se levantar renovado pelo poder do Espírito Santo, é dormir quebrado, triste, e dizer assim: as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã em minha vida.
Você nunca vai aprender sobre perseverança a partir de uma exposição teológica. Só sabe o que é perseverança quem perseverou. Eu sei que depois da tempestade vem a bonança, mas depois da bonança vem outra tempestade. Uma coisa é real: os livros não ensinam sobre perseverança, porque a nossa própria testifica que ninguém aprende a andar de passos firmes sem antes cair no chão e ralar os seus joelhos. Toda criança, no processo de aprendizado do andar, cai, rala os joelhos, as mãos, alguns quebram os dentinhos, por quê? Porque Deus criou toda uma lógica para que quando nós começarmos a andar, nós tenhamos passos firmes porque perseveramos nas quedas. O que ensina a andar é a queda.
Irmãos, vamos construir a lógica: Deus tem um plano na minha vida, Ele vai completar esse plano e esse plano é perfeito. Eu entendo que as provas virão, eu me alegro porque sei que Deus, no final das provas, vai extrair algo melhor a meu respeito. Então, entendo que as provas são necessárias para que eu aprenda a perseverar na minha fé e essa perseverança vai produzir mais duas coisas: maturidade e integridade.

  • MATURIDADE e INTEGRIDADE

“E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.” (Tiago 1.4)
A gente precisa do hormônio do crescimento e de uma série de outros hormônios para que cresçamos até o tamanho básico estabelecido em nosso DNA, para tenhamos as nossas funções, para que tenhamos um organismo maduro. Uma criança, que precisa ficar 40 dias, 90 dias entubada em uma UTI é porque ela ainda não está madura o suficiente para ir para o mundo como ele é. Essa é a lógica.
Assim é a vida espiritual. Tem muita gente com anos de igreja, sabe a Bíblia decorada de Gênesis a Apocalipse, mas ainda é criança, porque o conhecimento que produz maturidade não é teórico, mas prático. A vida é construída no corte, a vida é construída na queda, a vida é construída na dor, a vida é construída na falta, a vida é construída na luta. A perseverança, no propósito de Deus, produzirá em você maturidade.
Uma maturidade que não tem como colocar carbureto, porque você não é uma banana, você é gente, e você é único. Como único, Deus tem uma receita única para você, diferente de mim. As receitas que Deus usa para me levar à maturidade são únicas, mas elas passam, em todas as situações, pelas tribulações, pelas provações.
Mas, também, diante das provações, Deus deseja que você se torne uma pessoa íntegra. E o que é integridade? É não ter o coração dividido, é ser inteiro, é ser íntegro, é ser sincero, sem cera. Na antiguidade, eram feitas esculturas de mármore e quando o escultor fazia um buraco na escultura, completava com cera, polia e vendia. Era uma obra de arte menos valiosa porque ela era com cera, e não sem cera, sincera, íntegra.
Deus quer que as tribulações produzam homens e mulheres íntegros. Nosso país está vivendo um tempo de desmonte da república e não sabemos o que nos espera. Se o desmonte da república ou qualquer outra coisa que Deus quer para o Brasil pra que ele aprenda e seja íntegro, sem cera, que assim seja.
Os sábios olham para as lutas dos outros e aprendem. Uma coisa eu sei: se tribulação produz perseverança da fé que se abre em dois eixos, o eixo da maturidade espiritual e o eixo da integridade humana, o processo só vai acabar quando você aprender o que precisa aprender. A prova teórica da afirmação que acabei de fazer está registrada na carta aos Hebreus. Preste atenção aos métodos humanos de atingir os objetivos no coração:
“Além disso, tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade.” (Hebreus 12.9-10)
Disciplina, segundo a Bíblia, não é castigo, mas é educação, é ato de amor, é uma tentativa, que não vai ser frustrada, de Deus chegar nos objetivos que Ele tem para minha vida, e ninguém vai impedir. Por quê? Porque os meus pais me disciplinavam segundo lhes parecia melhor, mas Deus me disciplina para o meu bem. Ele não erra nem na dose, nem no tempo e nem nos propósitos.
Você pode disciplinar o seu filho e não atingir os objetivos esperados, mas Deus não sai dos eixos. Como ele conhece cada um de nós por dentro, ele sabe exatamente o que moverá o nosso coração. Ele sabe exatamente o que fará para alcançar o objetivo dele: maturidade e integridade, sem faltar coisa alguma.
A obra que Deus faz na minha vida com as lutas que passo indica que no final de tudo não faltará coisa alguma e seu objetivo em minha vida será alcançado: maturidade e integridade, e isso só acontece quando somos levados à moenda. O modelo para minha maturidade e para minha integridade é Jesus.
Conclusão:
Porém, para enfrentar os invernos da vida, o texto nos mostra que há duas batalhas que precisamos vencer:
1. A Batalha contra a DÚVIDA
“Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal pessoa que receberá alguma coisa do Senhor, pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz.” (Tiago 1.5-8)
Sabe qual é a batalha dentro da batalha? É a guerra contra a dúvida. Quando Tiago diz “quem tem falta de sabedoria peça a Deus”, ele não mudou o assunto a respeito das provações, das tribulações. Tiago entende que o que mais precisamos no meio da luta, no meio dos invernos da vida, é a sabedoria de Deus para entender a sua mente, para entender o meu processo e para confiar que Ele está no controle. Pedir sabedoria significa entregar-se totalmente aos cuidados diretivos, curativos e instrutivos do Senhor. Por isso, eu não posso duvidar. A sabedoria do alto é tudo o que precisamos na hora da tempestade.
Nós perdemos muitas lutas nesta vida porque perdemos o controle no meio delas. As nossas lutas já são tão grandes e nós agregamos a ela mais pesos, mais problemas e o que quer que seja. Deus está no comando (ponto). A dúvida não é, necessariamente, a antítese da fé. A dúvida é a negação da soberania de Deus! É negar que ele está no barco, é negar que ele está por perto, é negar que ele está em casa, é negar que ele está comigo, é negar que ele é o piloto do avião descontrolado da minha vida.
2. A Batalha contra as COMPARAÇÕES
“O irmão de condição humilde deve orgulhar-se quando estiver em elevada posição. E o rico deve orgulhar-se caso passe a viver em condição humilde, porque o rico passará como a flor do campo. Pois o sol se levanta, traz o calor e seca a planta; cai então sua flor, e a sua beleza é destruída. Da mesma forma o rico murchará em meio aos seus afazeres.” (Tiago 1.9-11)
Sabe o que Tiago está dizendo nestes versos de maneira metafórica? Evite fazer comparações! Lute contra o espírito de comparação, porque é exatamente na comparação que começam a surgir as tentações do inferno, porque o Diabo sabe que não pode mexer com a sua salvação, mas pode mexer com a plenitude da sua vida discipular.
Não se compare. Cada vida é uma vida. Cada experiência é uma experiência. Cada processo é um processo. Cada projeto de Deus é um projeto. O tamanho da sua prova e o tamanho da sua dor são diretamente proporcionais à completude de bênçãos que virão desse processo! Lute contra a dúvida e contra a comparação para que você não caia em tentação e negue a Deus.
Você, que entrou aqui hoje, precisa sair daqui entendendo algumas verdades das quais você não pode fugir:

  • Os invernos da vida um dia chegarão, por isso, precisamos estar prontos;
  • Precisamos ser capazes de receber os invernos da vida com alegria, alegrando-nos em Deus no meio da dor;
  • Precisamos tomar posse dos efeitos maravilhosos causados pelos invernos da vida: perseverança, maturidade e integridade;
  • Precisamos vencer a luta contra a dúvida e contra as comparações, confiando que Deus está no controle absoluto da nossa vida!

 

Rolar para o topo