RESTAURAR – 40 DIAS DE RENDIÇÃO

RESTAURAR – 40 DIAS DE RENDIÇÃO
mensagem pregada pelo Pr. Acyr Júnior
“… Jerusalém está em ruínas, e suas portas foram destruídas pelo fogo. Venham, vamos reconstruir os muros de Jerusalém, para que não fiquemos mais nesta situação humilhante. […] Eles responderam: sim, vamos começar a reconstrução. E se encheram de coragem para a realização desse bom projeto.” (Neemias 2.17,18)
Estamos dando início à sexta semana dos 40 dias de rendição. Nas cinco primeiras semanas, aprendemos a reavaliar, a romper, a receber, a regozijar e a resistir. Hoje, o desafio de Deus para nossas vidas é RESTAURAR. Mas, o que significa restaurar? Segundo os dicionários, restaurar é por em bom estado, reparar, recuperar, consertar, restaurar.
Rendição requer restauração. O coração daquele que se rende a Deus por completo é um coração que se propõe a restaurar as ruínas da sua vida, é um coração que não suporta viver sobre os escombros das suas dores, lutas e dos seus sofrimentos. Com certeza, o desejo de Deus não é olhar para os seus filhos e os verem sentados sobre as cinzas do seu viver, mas ajudá-los no processo de restauração daquilo que um dia foi destruído.
Talvez você tenha entrado aqui com muitas coisas em ruínas: sua família, seus sonhos, seus projetos, seu emprego, seus relacionamentos! Mas Deus está dando a você, hoje, uma oportunidade de restauração de tudo o que ficou sepultado pelo caminho. O livro de Neemias vai nos ensinar sobre como é possível começar e não desistir de um processo de restauração das nossas vidas. Suas lições são preciosas e, se colocadas em prática, serão como alicerces para a restauração que Deus deseja fazer em nós.
Para que haja restauração…
1. Seja capaz de admitir as suas FALHAS
“Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aos mandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés. Lembra-te agora do que disseste a Moisés, teu servo: ‘se vocês forem infiéis, eu os espalharei entre as nações, mas, se voltarem para mim, obedecerem aos meus mandamento e os puserem em prática, mesmo que vocês estejam espalhados pelos lugares mais distantes debaixo do céu, de lá eu os reunirei e os trarei para o lugar que escolhi para estabelecer o meu nome’. Estes são os teus servos, o teu povo. Tu os resgataste com o teu grande poder e com o teu braço forte.” (Neemias 1.7-10)
Não pode haver restauração na vida de alguém que não consegue admitir que errou, que falhou, que pecou. Toda restauração começa com o reconhecimento das nossas falhas. Alguém que não erra, não precisa de restauração. Alguém que não falha, não precisa de restauração. Alguém que não peca, não precisa de restauração. Davi, no processo de restauração da sua vida, entendeu essa premissa, e fez a seguinte declaração para o Senhor:
“Contra ti, só contra ti, pequei e fiz o que tu reprovas, de modo que justa é a tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.” (Salmo 51.4-5)
Para que haja restauração…
2. Trate profundamente as FERIDAS ABERTAS
“Quando, porém, Sambalate, Tobias, os árabes, os amonitas e os homens de Asdode souberam que os reparos nos muros de Jerusalém tinham avançado e que as brechas estavam sendo fechadas, ficaram furiosos. Todos juntos planejaram aacar Jerusalém e causar confusão.” (Neemias 4.7,8)
No processo de restauração dos muros de Jerusalém, Neemias e seus compatriotas receberam ataques severos dos seus inimigos. Eles se opuseram de forma contundente contra a restauração dos muros. Isso se tornara uma ferida aberta, que se não fosse tratada de forma profunda, poderia destruir, de uma vez por todas, os planos de restauração dos muros de Jerusalém. Como Neemias tratou dessa ferida aberta?
“Mas nós oramos ao nosso Deus e colocamos guardas de dia e de noite para proteger-nos deles.” (Neemias 4.9)
Não existe restauração se não houve disposição em tratar profundamente as feridas que estão abertas. Quais são as feridas que estão abertas na sua vida? Se você quer restauração, vai precisar tratar de cada uma delas profundamente.
Para que haja restauração…
3. Procure aliviar suas CARGAS
“Enquanto isso, o povo de Judá começou a dizer: ‘os trabalhadores já não têm mais forças e ainda há muito entulho. Por nós mesmo não conseguiremos reconstruir o muro’. E os nossos inimigos diziam: ‘antes que descubram qualquer coisa ou nos vejam, estaremos bem ali no meio deles; vamos matá-los e acabar com o trabalho deles’. Os judeus que moravam perto deles dez vezes nos preveniram: ‘para onde quer que vocês se virarem, saibam que seremos atacados de todos os lados’. Por isso posicionei alguns do povo atrás dos pontos mais baixos do muro, nos lugares abertos, divididos por famílias, armados de espadas, lanças e arcos. Fiz um rápida inspeção e imediatamente disse aos nobres, aos oficiais e ao restante do povo: não tenham medo deles. Lembrem-se de que o Senhor é grande e temível, e lutem por seus irmãos, por seus filhos e por suas filhas, por suas mulheres e por suas casas.” (Neemias 4.10-14)
Ao ver o medo, a angústia e o desespero estampados nos rosto do seu povo, Neemias tratou de fazer um plano que pudesse aliviar sua carga. Restauração exige alívio de carga. Daquele dia em diante, enquanto metade dos homens trabalhava nos muros, a outra metade permanecia pronta para o ataque dos inimigos. O alívio da carga ajudou no processo de restauração dos muros de Jerusalém.
Em nossa vida, há muitas cargas que não queremos deixar para que haja restauração da parte de Deus. Deus o convida a aliviar a sua carga, a deixar a sua carga hoje, de uma vez por todas!
Para que haja restauração…
4. Reconheça que Deus é aquele que REALIZA a obra
“O muro ficou pronto no vigésimo quinto dia de elul, em cinquenta e dois dias. Quando todos os nossos inimigos souberam disso, todas as nações vizinhas ficaram atemorizadas e com o orgulho ferido, pois perceberam que essa obra havia sido executada com a ajuda de nosso Deus.” (Neemias 6.-15-16)
A casa a ser reformada somos nós. Que executa essa obra é o Espírito Santo de Deus. Precisamos reconhecer que Deus é aquele que realiza a obra de restauração da nossa vida. Sem ele nada pode ser feito, sem ele nada pode ser restaurado.
Conclusão:
Rendição exige reavaliação da vida, rompimento com o pecado e com tudo o que nos afasta de Deus, recepção de tudo o que Deus tem para minha vida, regozijo por aquilo que Deus é e faz, resistência ao Diabo e seus projetos e restauração daquilo que foi destruído.
Para que haja restauração…
1. Seja capaz de admitir as suas FALHAS
2. Trate profundamente as FERIDAS ABERTAS
3. Procure aliviar suas CARGAS
4. Reconheça que Deus é aquele que REALIZA a obra

Rolar para o topo