REPARTIR – 40 Dias de Rendição

REPARTIR – 40 DIAS DE RENDIÇÃO
Texto Bíblico: Isaías 58.1-12
Hoje, estamos finalizando os 40 dias de rendição. Nas seis primeiras semanas, aprendemos a reavaliar, a romper, a receber, a regozijar, a a resistir e a restaurar. Então, o desafio de Deus para nossas vidas é REPARTIR. Mas, o que significa repartir? Segundo os dicionários, repartir é distribuir, é partilhar, é compartilhar.
O coração daquele que se rende a Deus por completo é um coração que se propõe a repartir tudo aquilo que o próprio Deus derramou e operou em sua vida. A Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, fala sobre repartir. Se, nestes 40 dias de rendição, você foi capaz de reavaliar a vida, de romper com o pecado, de receber o que Deus preparou, de regozijar-se nele, de resistir às tentações e de restaurar o seu viver, agora está na hora de repartir, de compartilhar, de distribuir.
De acordo com o texto proposto, podemos aprender algumas lições sobre o que devemos repartir e o que esse “repartir” produz em nosso viver.
Devemos repartir…
1. A MENSAGEM CLARA de Deus que não gostamos de ouvir
“Grite bem alto, não se contenha! Levante a voz como trombeta. Anuncie ao meu povo a rebelião dele, e à comunidade de Jacó, os seus pecados.” (Isaías 58.1)
O profeta clama contra os pecados do povo, com um forte som de trombeta; as transgressões e a hipocrisia do povo de Deus precisam ser expostas.  Se os mensageiros de Deus deixarem de falar contra os pecados do seu povo, não serão fiéis à sua vocação divina.
Devemos repartir…
2. A ESSÊNCIA do que Deus está BUSCANDO
“Pois dia a dia me procuram; parecem desejosos de conhecer os meus caminhos, como se fossem uma nação que faz o que é direito e que não abandonou os mandamentos do seu Deus. Pedem-me decisões justas e parecem desejosos de que Deus se aproxime deles. ‘Por que Jejuamos, e não o viste? Por que nos humilhamos, e não reparaste?’, dizem. Contudo, no dia do seu jejum vocês fazem o que é do agrado de vocês, e exploram os seus empregados.” (Isaías 58.2-3)
Judá buscava a Deus cada dia, como se o povo desejasse conhecer os seus caminhos; mas, ao mesmo tempo, esses judeus viviam no pecado, indiferentes aos santos mandamentos de Deus. O povo estava a se queixar que Deus não queria ajudá-lo. Deus, porém, sabia que a adoração e o jejum deles era hipocrisia. Ele lhes declara que um ato religioso só tem valor para Ele quando procede dos que buscam humildemente obedecer aos seus mandamentos e que, com compaixão, estendem a mão aos necessitados. Deus deseja que repartamos a essência daquilo que Ele está buscando em nós: corações humildes e dispostos a obedecer os seus mandamentos.
Devemos repartir…
3. A PAZ que somente Deus pode oferecer
“Seu jejum termina em discussão e rixa, e em brigas de socos brutais. Vocês não podem jejuar como fazem hoje e esperar que a sua voz seja ouvida no alto. Será que esse o jejum que escolhi, que apenas um dia o homem se humilhe, incline a cabeça como o junco e se deite sobre pano de saco e cinzas? É isso que vocês chamam jejum, um dia aceitável ao Senhor” (Isaías 58.4-5)
Nestes versos encontramos a última acusação de Deus contra jejum de Israel. Ele era ritualista e sem nenhuma conexão com o sentido real do jejum. Seu término era marcado por discussões e brigas. O jejum é símbolo de humildade e dependência de Deus. Não muda Deus, mas muda a nossa vida. A paz de Deus é um fruto gerado no jejum e que deve ser repartido por todo aquele que se rende a Ele.
Devemos repartir…
4. Os PROPÓSITOS do Senhor
“O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, por em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo? Aí sim, a sua luz irromperá como a alvorada, e prontamente surgirá a sua cura; a sua retidão irá adiante de você, e a glória do Senhor estará na sua retaguarda.” (Isaías 58.6-8)
Onde há amor verdadeiro a Deus e um sincero interesse pelo bem-estar do próximo, há também aí um canal para a bênção abundante de Deus em nossa vida. Não podemos ser salvos sem a fé em Cristo, mas a nossa fé não será sincera se não for estendida aos nossos semelhantes. O jejum pode ser espiritual e benéfico, mas ajuda apenas a quem o faz. Deus expressou o desejo de que o nosso jejum (a nossa rendição) vá além de nosso crescimento pessoal e revele-se através de atos de bondade, amor, justiça e generosidade. Quando fazemos isso, repartimos os propósitos do Senhor.
Conclusão:
Aprendemos que…
1. Quando mais repartimos, MAIS TEMOS
“Aí sim, você clamará ao Senhor, e ele responderá; você gritará por socorro, e ele dirá: aqui estou. ‘Se você eliminar do seu meio o jugo opressor, o dedo acusador e a falsidade do falar; se com renúncia própria você beneficiar os famintos e satisfizer o anseio dos aflitos, então a sua luz despontará nas trevas, e a sua noite será como o meio-dia. O Senhor o guiará constantemente; satisfará os seus desejos numa terra ressequida pelo sol e fortalecerá os seus ossos. Você será como um jardim bem regado, como uma fonte cujas águas nunca faltam.” (Isaías 58.9-11)
As recompensas desse amor a Deus, do repartir que não cessa de acontecer na vida daquele que se rendeu ao Senhor, são declaradas nestes versos:

  • A luz de Deus e a plena alegria da salvação e da cura;
  • A proteção e presença de Deus manifestas na vida;
  • O socorro divino na aflição, mediante a resposta das orações;
  • A remoção das trevas e da opressão;
  • A orientação, fortaleza e frutescência da parte de Deus.

Quanto mais repartimos, quanto compartilhamos, quanto mais distribuímos do Senhor, mas recebemos dele, mais temos do Senhor em nossas vidas.
Aprendemos que…
2. Quando mais repartimos, mais somos PARECIDOS com Deus
“Seu povo reconstruirá as velhas ruínas e restaurará os alicerces antigos; você será chamado reparador de muros, restaurador de ruas e moradias.” (Isaías 58.12)
Quanto mais repartimos de Deus, mas parecidos com ele nos tornamos. Seremos chamados de reparadores de muros, restauradores de ruas e moradias. Seremos identificados com Deus. Fomos criados para repartir. Aquele que deseja se render a Deus de verdade precisa entender esse princípio. Se você não gosta de repartir, nunca será capaz de render-se a Deus. O que precisamos repartir?
Devemos repartir…
1. A MENSAGEM CLARA de Deus que não gostamos de ouvir
2. A ESSÊNCIA do que Deus está BUSCANDO
3. A PAZ que somente Deus pode oferecer
4. Os PROPÓSITOS do Senhor
O que acontece com a nossa vida quando aprendemos a repartir?
Aprendemos que…
1. Quando mais repartimos, MAIS TEMOS
2. Quando mais repartimos, mais somos PARECIDOS com Deus
 

Rolar para o topo