Restaurando Relacionamentos

INVESTINDO EM GRANDES RELACIONAMENTOS
RESTAURANDO RELACIONAMENTOS | 08/08
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
“O amor não se ressente do mal.” (1ª Coríntios 13.5)
“O amor… não guarda rancor.” (1ª Coríntios 13.5)
É um fato que as pessoas se ferem umas as outras. Seja intencionalmente ou não. Você fere as pessoas e as pessoas lhe ferem. A forma como lidar com as feridas vai, em larga escala, determinar sua felicidade na vida.

  • Se você não responder corretamente, a ferida se transforma em ressentimento.
  • Se você fica ligado em suas feridas, elas se tornam em ressentimento.
  • Se você reprime suas dores, elas se transformam em raiva.

“Ressentimento é um grande inimigo dos relacionamentos.”

É possível que nesta manhã eu esteja falando para alguém que está enfrentando algum tipo de problema relacional. No entanto, entenda uma coisa – sempre vale a pena restaurar relacionamentos. Uma vez que a vida consiste em aprender a amar, Deus quer que valorizemos os relacionamentos e nos esforcemos para mantê-los, em vez de descartá-los sempre que houver um desacordo, uma mágoa ou um conflito. Por esse motivo, boa parte do Novo Testamento é dedicado a nos ensinar a ter um bom relacionamento uns com os outros. Deus deseja nos curar de todo ressentimento que possa existir em nosso coração.
As pessoas mais infelizes que conheço são aquelas cheias de ressentimento. Em contrapartida, a bíblia diz que felizes são aqueles que promovem a paz. Jesus disse:
“Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus”. (Mateus 5.9)
Note que Jesus não disse “Bem-aventurados os que amam a paz, pois todo mundo ama a paz”. Nem disse “Bem- aventurados os pacíficos”, que nunca se incomodam com nada. No entanto, Jesus disse: Bem aventurados aqueles que trabalham pela paz — aqueles que procuram efetivamente solucionar conflitos.
Diante dessa realidade, o que preciso fazer para curar os ressentimentos que estão no meu coração? O que preciso fazer para restaurar um relacionamento que está quebrado? Como cristãos, somos chamados para ajustar nossos relacionamentos. Desta forma, vamos pensar então em alguns passos essenciais que certamente contribuem na restauração dos relacionamentos e nos cura dos ressentimentos.
Para restaurar relacionamentos…
1. Fale com DEUS antes de falar com a PESSOA.
Converse sobre o problema com Deus. Abra seu coração para Ele antes de abrir para a pessoa que lhe feriu. Num momento de muita dor, Jó declarou:
“… Não posso ficar calado. Estou aflito, tenho de falar (…) meu coração está cheio de amargura.” (Jó 7.11)
Antes de falar com aqueles que o havia ferido, Jó desabafou com Deus. Se você orar a respeito do seu relacionamento quebrado, em vez de se juntar a alguém para murmurar, descobrirá que, em geral, ou Deus muda o nosso coração, ou muda o coração da outra pessoa, sem nossa ajuda. Todos os nossos relacionamentos seriam mais tranquilos se orássemos mais a respeito deles.
Assim como Davi compôs os salmos, use a oração para desabafar verticalmente. Conte a Deus sobre sua dor. Clame por sua ajuda. Ele não fica surpreso ou aborrecido com sua raiva, mágoa, insegurança ou qualquer outra emoção. Portanto, diga-lhe exatamente como se sente.
Para restaurar relacionamentos…
2. TOME sempre a INICIATIVA.
Talvez você me pergunte – Não devemos tomar iniciativa somente quando ofendemos alguém? Não importa se ofendemos ou fomos ofendidos – Deus espera que venhamos dar o primeiro passo. Não espere pela outra parte, vá primeiro a ela. Disse Jesus:
“Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão.” (Mateus 18.15)
Restaurar a comunhão perdida é tão importante que Jesus ordenou até mesmo que tivesse precedência sobre o culto de adoração:
“Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.” (Mateus 5.23,24)
Quando a comunhão com outra pessoa é prejudicada ou rompida, planeje imediatamente uma conferencia de paz. Não fique adiando, arrumando desculpas do tipo: “Resolvo isso a qualquer dia”. Você vai procrastinar é esse dia nunca vai chegar. Programe um encontro o mais rápido possível. Faça sua parte. Demoras só aprofundam ressentimentos e pioram a situação. Quando se trata de conflitos, o tempo não cura nada; pelo contrário, as mágoas tornam-se mais profundas ainda.
Para restaurar relacionamentos…
3. CONFESSE sua parte no CONFLITO.
Você conhece alguém que gosta de admitir que esteja errado? Dificilmente encontramos essa virtude na vida de alguém. É uma coisa rara! É raro encontrar alguém que admita está errado. Porém, se realmente desejarmos restaurar um relacionamento, devemos começar admitindo os nossos próprios erros e transgressões. Jesus disse:
“Como você pode dizer ao seu irmão: Deixe-me tirar o cisco do seu olho, quando há uma viga no seu?” (Mateus 7.4)
Às vezes precisamos perguntar: “Sou eu o problema? Estou sendo irrealista? Insensível ou sensível demais?” A bíblia diz:
“Se afirmarmos que estamos sem pecados, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.” (1ª João 1.8)
Lembre-se – a confissão é uma ferramenta poderosa para a reconciliação. Quando você começa admitindo humildemente os seus erros, isso neutraliza a raiva da outra pessoa e a deixa desarmada, porque ela provavelmente esperava que você ficasse se defendendo o tempo todo. Não dê desculpas nem transfira a culpa, apenas confesse sinceramente qualquer participação que tenha tido no conflito. Aceite a responsabilidade pelos erros e peça perdão.
Para restaurar relacionamentos…
4. INVISTA contra o PROBLEMA, não contra a PESSOA.
Não há como solucionar o problema se você estiver preocupado em identificar a culpa. Você terá de fazer uma escolha. A bíblia diz:
“A resposta cortês abranda a fúria, mas a língua afiada incita a ira.” (Provérbios 15.1, AM)
Você nunca se fará entender se estiver zangado, por isso escolha cuidadosamente as palavras. A resposta branda é sempre melhor do que a ironia. Alguém disse:

“Na solução de conflitos, a maneira de falar é tão importante quanto o que se fala.”

Se você se expressar de forma ofensiva, a outra pessoa ouvirá de forma defensiva. Porém, em sua palavra Deus nos diz:
“Quem tem coração sábio é conhecido como uma pessoa compreensiva; quanto mais agradáveis são as suas palavras, mais você consegue convencer os outros.” (Provérbios 16.21, NTLH)
Irritar as pessoas jamais funciona, e você nunca é persuasivo quando é rude. Em um artigo que estava lendo o autor disse que durante a Guerra Fria, ambos os lados concordaram em que algumas armas eram tão destrutivas que jamais deveriam ser usadas. Atualmente, as armas químicas e biológicas foram banidas, e os estoques de armas nucleares estão sendo reduzidos.
Aplicando isso para o assunto tratado nesta manha, para o bem do relacionamento, você deve destruir seu arsenal de armas nucleares relacionais, ou seja – condenar, menosprezar, comparar, rotular, insultar e ironizar. Paulo resume tudo isso desta forma:
“Não digam palavras que fazem mal aos outros, mas usem apenas palavras boas, que ajudam os outros a crescer na fé e a conseguir o que necessitam, para que as coisas que vocês dizem façam bem aos que ouvem.” (Efésios 4.29, NTLH)
Para restaurar relacionamentos…
5. Esteja disposto a PAGAR O PREÇO para viver em paz.
Por esta razão Paulo recomenda:
“Façam todo o possível para viver em paz com todos.” (Romanos 12.18)
A paz sempre tem uma etiqueta de preço. Às vezes, custo o nosso orgulho e quase sempre custa nosso egoísmo. Pelo bem do relacionamento, faça o melhor que puder para chegar a um acordo. Jesus disse:
“Abençoados são vocês, que conseguem mostrar que cooperar é melhor que brigar ou competir. Desse modo, irão descobrir quem vocês realmente são e o lugar que ocupam na família de Deus.” (Mateus 5.9; AM)
Conclusão:
Depois de ouvir essa mensagem, com quem você acha que precisa entrar em contato? Com quem você precisa restaurar um relacionamento? Não demore mais nem um segundo. Esses cinco passos são simples, mas não são fáceis. É necessário muito esforço para restaurar a comunhão que foi quebrada com alguém. Foi por isso que Pedro recomendou:
“Esforcem-se para viver em paz, com os outros.” (1ª Pedro 3.11,NTL)
Quando você tenta promover paz, está fazendo o que Deus faria. É por isso que os pacificadores são chamados filhos de Deus.

 

Rolar para o topo