Tempo de Espera, Tempo de Crescimento

TEMPO DE ESPERA, TEMPO DE CRESCIMENTO
mensagem pregada pela Pra. Tatiana Ramos
“Certo dia o SENHOR Deus disse a Abrão: Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e vá para uma terra que eu lhe mostrarei. Os seus descendentes vão formar uma grande nação. Eu o abençoarei, o seu nome será famoso, e você será uma bênção para os outros. Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem. E por meio de você eu abençoarei todos os povos do mundo. Abrão tinha setenta e cinco anos quando partiu de Harã, como o SENHOR havia ordenado. E Ló foi com ele.” (Gênesis 12.1-4)
É interessante perceber que faz parte do desejo do ser humano crescer seja em que aspecto for, mas temos pouca disposição em esperar o processo que nos levará a um crescimento. No texto que lemos, que servirá de base para nossa reflexão, vemos Deus convidando a Abraão a crescer, a sair de sua rotina e experimentar novos caminhos, tendo Ele como guia para experiências e posições inimagináveis para Abrão, que, no decorrer do processo de espera, teve até seu nome modificado como Memorial de tudo que ele se tornaria no caminho da espera. Começou a caminhada como Abrão, um homem que tinha um nome com um significado que não era sua realidade, porque Abrão significa pai iluminado. Ter esse nome e até o momento da promessa não conseguir nem ser um pai comum, devia doer em Abrão. Mas Deus entra em sua história e o convida para sonhar alto e, no meio do caminho, o chama de Abraão, pai de multidões, um nome ousado para quem ainda não havia gerado nenhum filho.
Percebemos que, para crescer, Abraão precisou abandonar a sua agenda presente e se dispor a caminhar para o futuro, aonde Deus tinha revelado muitas bênçãos. Mas, para isso, ele tinha que esperar crescendo. O texto nos informa que Abraão tinha 75 anos, sem filhos e rico. A promessa que ele havia recebido de Deus era de que ele teria uma descendência incontável, sua riqueza seria imensurável. A partir da promessa Abraão começou a crescer no momento em que obedeceu, mas algo que Abraão precisou aprender, e nós também precisamos aprender, é que o tempo de espera, muitas vezes, é maior do que ele imaginava, e, para isso, ele precisava perseverar para que pudesse crescer e receber tudo aquilo que lhe fora prometido. O que Deus lhe prometeu e que já passou muito tempo e não aconteceu? Como você tem reagido a essa demora? Você tem aproveitado para crescer enquanto espera ou você tem murmurado e desacreditado?

“Muitos de nós recebemos de bom grado as promessas do Pai, mas poucos de nós permanecemos crescendo até o tempo da concretização.”

Quando nascemos de novo, recebemos uma nova mentalidade, um novo propósito de vida, promessas para eternidade e também promessas específicas para que o Reino de Deus seja estabelecido na terra através de nossa nova identidade. Como Abraão, somos surpreendidos pelas revelações do Pai sobre nós, mas quando o Pai revela seus planos a nós e nos convida a participar dele, Ele está mais interessado em nosso crescimento na caminhada do que na concretização do que Ele nos prometeu. Essa é a questão: Deus foca em relacionamento e nós focamos nos resultados, por isso temos dificuldade em crescer enquanto estamos esperando. Nessa noite, o Espírito Santo deseja que você se lembre de quando Deus se revelou a você e lhe fez promessas. Ele o convida a esperar crescendo até que tudo seja concretizado, porque, afinal, o que Deus promete, Deus cumpre.
Pra crescermos enquanto esperamos…
1. Precisamos INVESTIR em nosso RELACIONAMENTO com Deus
“Um mestre da Lei que estava ali ouviu a discussão. Viu que Jesus tinha dado uma boa resposta e por isso perguntou: Qual é o mais importante de todos os mandamentos da Lei? Jesus respondeu: É este: Escute, povo de Israel! O Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças.” (Marcos 12.28-30)
Desde que somos gerados na barriga de nossa mãe, já iniciamos um relacionamento, continuamos por toda vida e o estendemos por toda a eternidade. Jesus, quando veio à terra revelar o Pai, relacionava-se com as pessoas o tempo todo, mas priorizava o seu relacionamento com o Pai. Ele afirma que como vê o Pai fazer, Ele também faz. Só quem anda lado a lado é que pode ser influenciado a ponto de seguir os passos daquele com quem se relaciona. Creio que, para crescermos em tempo de espera, precisamos nos relacionar com Deus. Não tem como esperar por algo se não recebermos promessas do Pai. Se estivermos esperando por algo temporário ou de nossos desejos e ambições carnais, a probabilidade de nos frustrarmos e nos decepcionarmos é tremenda. Quem cresce enquanto espera é aquele que sabe que recebeu promessas de Deus e, por isso, pode passar o tempo que for, as circunstâncias podem ser as mais adversas, mas ele continua esperando e se relacionando com quem prometeu.
Voltando a Abraão, Deus o chama e ele prontamente obedece. A cada cidade que parava, Ele adorava a Deus. Sua caminhada até o recebimento da promessa foi de adoração. Na caminhada, Abraão foi crescendo em confiança e entendimento da Pessoa de Deus. Logo nos primeiros obstáculos deixou o medo dominar e quase trouxe desgraça para um lugar. Deixou-se levar por Sara, que cria na promessa, mas deixou que as circunstâncias a fizessem propor atalhos para o seu cumprimento. Entretanto, depois de muitos anos, vemos um Abraão destemido, ousado, de tal forma que chega ao extremo de entregar seu filho, o que tanto esperava, para Aquele que o havia prometido.
Abraão, em seu tempo de espera, cresceu em seu relacionamento com Deus. Não podemos nascer de novo e viver como desconhecidos do Pai. Precisamos caminhar e crescer juntos Dele, deixar que cada obstáculo sirva como um degrau para que vejamos a sua Pessoa. Em toda caminhada de Deus com o homem, Ele deixa claro o seu desejo de se relacionar. Assim foi o povo de Israel. Deus prometeu libertá-los e caminhar com eles até à terra prometida, mas poucos desejaram ir com Ele até o fim. Somente dois chegaram, Josué e Calebe. Somente os dois cresceram em relacionamento com Deus.
Muitos de nós, quando recebemos uma promessa de Deus, nos alegramos, ficamos maravilhados, mas com o decorrer dos dias, vamos desanimando, e o pior, vamos abandonando Deus e queremos por nós mesmos aquilo que Deus nos prometeu e que só Ele pode realizar de maneira plena e para sua glória. Quando Deus lhe dá uma promessa não é com o objetivo de comprá-lo, é com o objetivo de caminhar e se relacionar com você. Lembre-se que no final da caminhada rumo à promessa, você poderá ser como Abraão, que entendeu que tudo de preciosava estava em Deus. Ou você pode agir como o povo de Israel, que perdeu a oportunidade de desfrutar dos sonhos de Deus para eles porque a bênção foi mais importante do que a pessoa que fez a promessa.
Minha oração é que todos nós, filhos amados do Pai, desejemos o Pai, certos de que, sempre em sua companhia, existirão bênçãos incontáveis. Enquanto espera, cresça em seu relacionamento com Ele. Li esses dias no devocional “Tudo para Ele” o seguinte: “Não busque Deus esperando pelas recompensas, porque assim você só estará revelando que a sua busca tem a ver com você e não com Ele”.
Crescemos em relacionamento com Deus através do secreto. Mas não é um tempo a sós com Deus que lhe fará crescer e, sim, o desejo de amá-lo acima de tudo e de todos, ao ponto de, no final, você ser capaz de abrir mão de tudo que o impulsionou em um primeiro momento a obedecê-lo, porque você chegou a um crescimento, que só Ele basta.
O apóstolo Paulo entendeu isso quando pedia ao Pai para curá-lo e Deus responde que não, dizendo a ele que a sua graça lhe bastava. Paulo amava tanto a Deus que nenhuma situação complicada poderia retirar Dele a maravilha da presença diária do Pai Nele. Você, enquanto espera, tem buscado a Deus para acelerar o processo do recebimento da benção revelada ou porque o que mais ama na vida é a pessoa Dele e mesmo sem a concretização do prometido ainda, você tem prazer em estar com Ele e desfrutar do seu consolo, de sua Palavra, do seu amor, das suas correções, enfim, de sua Presença?
Pra crescermos enquanto esperamos…
2. Precisamos VIVER EXPERIÊNCIAS de FÉ
“A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver. […] Foi pela fé que Abraão se tornou pai, embora fosse velho demais e a própria Sara não pudesse mais ter filhos. Ele creu que Deus ia cumprir a sua promessa.” (Hebreus 11.1,11)
Durante nossa vida temos muitas experiências, algumas boas, outras ruins. Mas quando temos uma promessa de Deus sobre nós, somos impulsionados a crescer em fé. O contrário da fé é o medo. Se as experiências fazem parte da vida, temos a opção de desenvolver a fé ou paralisarmos diante delas. A Bíblia é repleta de experiências de pessoas que tiveram que tomar uma decisão de crer ou não. O jovem rico desejava a vida eterna, mas quando Jesus mostrou o caminho, ele decidiu não crer. O povo de Israel, diante da terra prometida, resolveu estagnar por causa da realidade. Mas, também, temos outros que decidiram crer, como Davi, que colocou sua fé em prática e derrubou gigantes, e os discípulos que abandonaram tudo por um convite do Mestre.
Quando Deus lhe dá uma promessa e você está no tempo de espera, você terá, em muitos momentos, que decidir em exercer sua fé, não com pensamentos positivos e, sim, na pessoa de Deus. Erramos quando as circunstâncias falam mais alto do que a Palavra de Deus, quando o impossível parece ser maior do que Deus, quando não deixamos que a Palavra de Deus seja viva e eficaz em nós. Quando Deus lhe dá uma promessa, Ele sabe que você só chegará ao fim se viver pela fé, Porque o que Ele lhe promete, aos olhos humanos, não é possível, por sua própria força não acontecerá e Ele sabe que não será imediatamente. O tempo pode lhe trazer medo, dúvidas, e só a renovação da sua fé a cada dia, em cada Palavra e experiência com o Pai é que vai fazê-lo crescer em fé no tempo de espera.
Deus tem muitas maneiras de nos proporcionar experiências que poderão gerar fé em nós. São soluções de problemas, respostas de oração, uma Palavra amiga, sua Palavra, uma revelação que lhe traz força para continuar, um livro, um presente inesperado. Bênçãos, Deus nos dá diariamente, mas a concretização de promessas, sempre vai passar pelo processo de espera. Então, creia mesmo quando tudo for contrário, creia quando todos já não acreditam, somente creia como Abraão, creia contra a esperança.
Lemos no texto base que Abraão tinha 75 anos de idade quando recebeu a promessa e só começou a vê-la concretizada aos 100 anos. Entretanto, seu nome na galeria da fé demonstra que, apesar das dores da espera, ele creu até o fim. Deus tem lhe dado experiências para você desenvolver sua fé. O que você tem escolhido: viver pela fé ou desistir com medo da realidade que não muda?
Pra crescermos enquanto esperamos…
3. Precisamos DESENVOLVER AJUDA MÚTUA
“Guardemos firmemente a esperança da fé que professamos, pois podemos confiar que Deus cumprirá as suas promessas. Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem. Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês veem que o dia está chegando.” (Hebreus 10.23-25)
Deus nos chama para participar do seu Reino e nos faz promessas específicas que vão precisar de fé para vivenciá-las e percebemos que a recompensa ou a missão sempre tem a ver com o que não temos naturalmente para ofertar.
Vejamos: Ele chama Abraão para ser o pai de seu povo, sendo que Abraão e Sara era um casal estéril. Ele chama Moisés para ser o líder do processo de libertação, sendo que, quando o chama, Moises estava gago. Ele chama Gideão para liderar um povo na guerra quando ele era da menor família do povo de Israel. Ele chama Paulo para pregar o Evangelho aos gentios quando ele era o mais fundamentalista dos judeus.
Deus nos chama para sua missão e nos promete bênçãos que ainda nos faltam e que por nós mesmos não temos condição, mas também nos dá pessoas para nos ajudar no processo. Você precisa de pessoas para suportar o tempo de espera da promessa. Deus sempre coloca pessoas abençoadoras para nos ajudar na caminhada. Quando você se converte e começa a caminhada na fé precisará de pessoas para crescer e perseverar até o fim. Quando você tem um chamado para revelar o Pai às pessoas, você precisa de pessoas que lhe sustentem enquanto você está na batalha. Quando as traições e decepções chegam à sua vida e tentam roubar o que Deus lhe prometeu, você precisa de pessoas para caminhar até você se fortalecer.
Abraão precisou de Ló por um período, Jesus precisou dos discípulos, Paulo tinha Barnabé. E você, está com quem ao seu lado? A Bíblia diz que aquele que já passou por dificuldades consola da mesma maneira com que foi consolado. A promessa que você está esperando alguém já recebeu e vai ajudá-lo a passar também pelo processo de espera. O seu testemunho levará outros a saberem que Deus fará de novo. A ajuda mútua em tempo de espera é aquele que recebeu fortalecendo o outro que está na espera. No Reino não há lugar para inveja quando o outro recebe o que você está esperando, porque com aquilo que ele recebeu, ele vai abençoá-lo. Toda promessa cumprida de Deus, serve para abençoar outros.
A benção de Abraão chegou até nós. A sua promessa foi feita a você, mas você não será o único beneficiário. Então, não se isole, não murmure, não inveje. Viva esse tempo de espera com pessoas que se alegarão com você quando sua promessa chegar, pessoas que vão ajudá-lo em oração, que vão lembrá-lo da pessoa que lhe fez a promessa, que vão também ser abençoados, tanto em seu tempo de espera quanto na concretização da sua promessa.

“Sua promessa vai tocar gerações, e isso é maravilhoso!”

Conclusão:
Nessa noite o Espírito Santo de Deus lhe pergunta: Você confia no Pai? Ele sabe o quanto custa nos sentirmos vulneráveis diante de realidades que não mudam e que nos assustam, mas Ele nos diz: “Eu sei, porém, me siga”. Esperar não é só difícil, é, às vezes, devastador, mas o Pai diz: “Não temas, confia em mim”. Eu não sei o que Deus lhe prometeu. Pode ser a conversão de alguém querido, a cura de uma doença, a mudança de um filho, missões grandiosas em seu Reino, posições de influência. Eu não sei, mas sei que todos nós estamos esperando algo que Deus nos prometeu. Também não sei quando Ele vai cumprir, mas, olhando para sua Palavra, tenho a garantia de que acontecerá. Então, nessa noite, desista de duvidar, de murmurar, de controlar, de adivinhar, de questionar e só se lance ao crescimento no relacionamento com Deus, em experiências de fé e na ajuda mútua no tempo de espera.
Deus nunca falhou, nunca mentiu, nunca esqueceu. Então, temos 100% de garantia de que receberemos tudo o quanto Ele prometeu e nossos histórias estarão em mais uma promessa que foi concretizada pelo nosso Deus. Termino essa reflexão com um texto que me ajuda na espera de promessas sobre minha vida e família. E eu gostaria, como um ato de fé e confiança, em resposta à pergunta de Deus: “Você confia em mim?”, que você lesse esse texto de Hebreus comigo:
“E foi assim depois de esperar pacientemente, Abraão alcançou a promessa.” (Hebreus 6.15)

 

Rolar para o topo