Um Tempo de Restauração (05/07/2015 – manhã)

UM TEMPO DE RESTAURAÇÃO
mensagem pregada pelo Pr. Marcelo Coelho Fernandes
Quando é que identificamos que a nossa casa precisa de um reparo, de uma reforma, de um concerto, de uma restauração?

  • Quando aparecem rachaduras;
  • Quando aparecem as infiltrações;
  • Quando aparecem sinais de mofo;
  • Quando a pintura começa a ficar velha;
  • Quando o cimento começa a soltar da parede, etc…

Na vida espiritual também é assim. Se sabemos identificar pontos de restauração em nossa casa material, precisamos também saber identificar pontos de reforma, pontos de restauração em nossa casa espiritual. É o momento em que olhamos para dentro de nós e começamos a ver:

  • As rachaduras nos relacionamentos;
  • As infiltrações dos pecados ocultos;
  • Os sinais de mofo causado pela religiosidade;
  • A pintura da espiritualidade ficando velha.

No entanto, é mais fácil para nós, ver o que precisa ser mudado na vida do outro, na casa do outro. Mas, como é difícil enxergar aquilo que precisa ser mudado em nós mesmos. Quando não conseguimos identificar os pontos de restauração em nossas vidas, o próprio Deus se encarrega de nos mostrar cada detalhe que precisa ser restaurado. A restauração é algo extremamente necessário na vida dos filhos de Deus. A todo instante, precisamos deixar Deus reformar a nossa vida e fazê-la de novo, da forma como Ele quer.
Convido você para, juntos, observarmos alguns ensinamentos preciosos a respeito do processo de restauração que Deus que realizar em nossa vida. Quero usar o texto de Neemias 9:1-3:
“No dia vinte e quatro desse sétimo mês, o povo de Israel se reuniu para jejuar a fim de mostrar a sua tristeza pelos seus pecados… Eles já haviam se separado de todos os estrangeiros. Em sinal de tristeza, vestiram roupas feitas de pano grosso e puseram terra na cabeça. Então se levantaram e começaram a confessar os pecados que eles e os seus antepassados haviam cometido… Durante mais ou menos três horas, a Lei do Senhor, seu Deus, foi lida para eles. E nas três horas seguintes eles confessaram os seus pecados e adoraram ao Senhor.” (Neemias 9.1-3)
Deus havia dito que, se o povo fosse desobediente, Ele os mandaria como prisioneiros para uma terra estrangeira, mas, se eles se arrependessem, ele lhes daria o perdão e renovaria sua aliança com eles. Sendo assim, o povo de Israel se reuniu para mostrar a sua tristeza pelos pecados que eles e os seus antepassados haviam cometido. Hoje, estamos aqui para demonstrarmos tristeza com a vida que temos vivido e pedirmos ao Senhor que nos faça de novo.
Um tempo de restauração…
1. Exige ARREPENDIMENTO.
“No dia vinte e quatro desse sétimo mês, o povo de Israel se reuniu para jejuar a fim de mostrar a sua tristeza pelos seus pecados.” (Neemias 9.1)
O povo caminhou da festa (capítulo 8) para o jejum (capítulo 9). O povo se reuniu para jejuar com a finalidade de mostrar que eles estavam arrependidos de terem pecado contra o Senhor. Nós gostamos de nos reunir para festejar, mas nunca nos reunimos para chorar juntos a tristeza dos nossos pecados. O povo reconheceu seu pecado. Isso é sinal de profundo arrependimento. Arrependimento, literalmente, significa uma mudança radical de pensamento. Precisamos ter uma mudança de pensamento que nos leve a uma genuína mudança na vida diária.
Desta forma, restauração começa com choro, com quebrantamento, com humilhação, com contrição diante de Deus. Não podemos adorar o Rei da Glória antes de contemplarmos a triste condição do nosso pecado.
Qual foi a última vez que você jejuou para se quebrantar diante de Deus? Qual foi a última que você jejuou por causa dos pecados do povo de Deus? Qual foi a última vez que você fez uma reunião de pecadores para chorar a tristeza dos pecados cometidos contra o Senhor?
Um tempo de restauração…
2. Exige SEPARAÇÃO de tudo o que Deus CONDENA.
“Eles já haviam se separado de todos os estrangeiros…” (Neemias 9.2a)
Restauração implica em obediência incondicional ao querer de Deus. Deus não aceita uma obediência parcial. Porque obedecer parcialmente a Deus, é o mesmo que desobedecê-lo. O povo tomou a decisão de deixar todos àqueles que não eram da linhagem de Israel para se consagrarem ao Senhor. Aqueles que não eram da linhagem de Israel não participavam dessa reunião. Eles não tinham a mesma fé e nem o mesmo Deus. O problema aqui não é racial, nem preconceituoso, mas teológico (10:28). Unir-se aos outros povos era transigir com a fé, era aceitar o sincretismo, era uma espécie de ecumenismo. Era desobedecer ao Senhor.
O que é que Deus tem condenado em sua vida que você insiste em não deixar? Não há uma vida de restauração sem a separação daquilo que desagrada o coração de Deus. Não adiante cantar, levantar as mãos, bater palmas, fazer orações longas, cara de santo, se você continua fazendo aquilo que Deus condena. Ele não aceita o seu louvor, a sua adoração!
Um tempo de restauração…
3. Exige CONFISSÃO de pecados.
“… Em sinal de tristeza, vestiram roupas feitas de pano grosso e puseram terra na cabeça. Então se levantaram e começaram a confessar os pecados que eles e os seus antepassados haviam cometido.” (Neemias 9.2b)
Quando somos iluminados pela verdade da Palavra, deixamos de nos justificar e então, reconhecemos nossos pecados e os confessamos a Deus. Veja o que diz este verso:
“Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (Provérbios 28.13)
É próprio da natureza humana esconder seus pecados e ignorar seus erros. Mas como podemos aprender o certo se não estamos dispostos a reconhecer o que está errado? Alguém disse o seguinte – “Os erros são uma lição para se meditar, não para se reproduzir”.
Um erro serve para nos ensinar uma lição. Mas para aprender com um erro, é preciso admiti-lo, confessá-lo, analisá-lo e fazer as mudanças para que não aconteça novamente. Não há purificação sem confissão dos pecados:
“Se dizemos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, Ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: Ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.” (1ª João 1.9)
Confesse os seus pecados ao Senhor, libere a sua vida para a ação do Espírito Santo de Deus e celebre a liberdade espiritual em Cristo Jesus com o coração completamente limpo.
Um tempo de restauração…
4. Exige DEDICAÇÃO à Palavra de Deus.
“Durante mais ou menos três horas, a Lei do Senhor, seu Deus, foi lida para eles. E nas três horas seguintes eles confessaram os seus pecados e adoraram ao Senhor.” (Neemias 9.3)
Não há restauração sem a Palavra de Deus. Não há restauração sem contato com a Verdade de Deus! Quando a Palavra de Deus é lida, explicada e aplicada, então, os corações são impactados. A proclamação da Palavra produz mudança na vida do povo.
Conclusão:
Um tempo de restauração…
1. Exige ARREPENDIMENTO;
2. Exige SEPARAÇÃO de tudo o que Deus CONDENA;
3. Exige CONFISSÃO de pecados;
4. Exige DEDICAÇÃO à Palavra de Deus.

 

Rolar para o topo