Estudo 20 – Deixando a Orfandade

Estudo 20 (2021) – Deixando a Orfandade
Série: PATERNIDADE
Semana de 01 a 07 de agosto
(Clique aqui e faça o download do arquivo)

Todo ser humano, em praticamente todas as culturas, luta com sentimentos de não-pertencimento. É algo muito presente e inclusive muito recorrente no que diz respeito às nossas lutas: um dos maiores gigantes é o da rejeição. Esse fenômeno não acontece à toa. Lá no início do nosso mundo, satanás conseguiu plantar em Eva a semente da desconfiança do Pai, que fez com que ela saísse debaixo da proteção Dele e fosse para o que satanás propunha, ou seja, ela “saiu de casa”. Nesse momento satanás liberou um espírito de orfandade sobre toda a humanidade, e ela passou a viver debaixo do que um órfão vive: sentimentos de solidão, independência, uma sensação de que precisa vencer sozinho, de que não é amado nem aceito. O que ocorre é que satanás sempre trabalhou com a mentira, e esse “lugar” para onde ele nos levou é fundamentado nisso: em mentira. Deus nunca, em nenhum momento, deixou de estar junto a cada um de nós, e, na verdade, nunca estivemos sozinhos. E ainda assim nos “sentimos” sozinhos! Sabendo da verdade que o amor do Pai nos buscou antes mesmo de que soubéssemos que Ele existe, precisamos desistir de viver na orfandade, debaixo dos sentimentos que esse espírito coloca sobre nós. Vamos estudar o seguinte texto bíblico:

“Assim também nós, quando éramos menores, estávamos escravizados aos princípios elementares do mundo. Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos. E, porque vocês são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos seus corações, o qual clama: ‘Aba, Pai’. Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro.” (Gálatas 4.3-7)

Para deixar a orfandade…

1. Vamos desistir de ser regidos pela MANEIRA DE PENSAR ANTIGA. “Assim também nós, quando éramos menores, estávamos escravizados aos princípios elementares do mundo”. (Gálatas 4.3). Esse texto compara nossa situação aos menores de idade, que não tem como resolver coisas por si, então, está como que “preso” a princípios de outros, ou seja, do mundo: Assim também nós, quando éramos menores, estávamos escravizados aos princípios elementares do mundo. Mas então, veio a plenitude do tempo, a hora, e Deus enviou Jesus, que nasceu na mesma condição que nós, e o texto bíblico diz que isso é para que “recebêssemos a adoção de filhos” – ou seja, há uma ação nossa necessária agora: receber a adoção, desistir de ser, ou de se sentir, órfão. A adoção é uma via de mão dupla também: a pessoa que é adotada precisa também receber a adoção, sem dúvida.

2. Vamos APRENDER o RELACIONAMENTO com aba, NOSSO PAI. “E, porque vocês são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos seus corações, o qual clama: ‘Aba, Pai’.” (Gálatas 4.6). Está dizendo: E, porque vocês são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos seus corações, o qual clama: “Aba, Pai”. Somos filhos, essa é a realidade. É uma afirmação que muda nossa vida, nossa maneira de ver o mundo, nossa maneira de ser. Precisamos agora aprender o que é ter esse Pai incrível, Aba, Paizinho, investir nesse relacionamento e viver nele. Aprofundar relacionamentos toma tempo e investimento – precisamos fazer isso.

3. Vamos deixar a MENTALIDADE de ESCRAVO e assumir a de HERDEIRO. “Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro.” (Gálatas 4.7). Em Gálatas encontramos essa verdade incrível: Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro. A nossa realidade não é a do abandonado, ou sozinho na vida, ou deixado para trás, ou rejeitado. Nossa realidade é a de herdeiro. Somos filhos, estamos na Casa, temos lugar à mesa, independente de qualquer circunstância. Ser herdeiro de Deus significa ser seguro Nele, seja o que for, venha o que vier. Muitas vezes as circunstâncias serão difíceis, mas o Senhor sempre estará ao nosso lado, sem sombra de dúvida.

• Para reflexão: Ao deixarmos o espirito de orfandade, nos deixamos ser tomados pelo amor (1ª João 4.18,19)

• Para oração: Peça a Deus discernimento para rejeitar toda influência do espírito de orfandade.

• Para aplicação: Precisamos compreender que a adoção é via de mão dupla, já fomos adotados por Deus, agora precisamos nos deixar adotar, receber, e viver como filhos e não mais como órfãos.

• Para indicação: Leitura do livro “SENTINDO O ABRAÇO DO PAI”, de Jack Frost, Editora BVbooks.

Rolar para o topo